Início » Labenu promove inclusão no mercado de TI com aprendizado rápido e eficaz

Labenu promove inclusão no mercado de TI com aprendizado rápido e eficaz

Labenu oferece formação de profissionais web full stack, com a vivência de mais de 1000 horas em conteúdos de front-end, back-end e soft skills

A alta demanda que o mercado de TI tem exigido de novos profissionais é gigante e em escala global. A expansão dos negócios nesta área acaba esbarrando em um enorme problema: a falta de mão de obra qualificada, demanda que afeta em especial o mercado brasileiro. Suprir essa necessidade, trazendo a oportunidade de qualificação para todos, é o que move a Labenu, edtech que oferece cursos voltados para a inclusão de pessoas no mercado de tecnologia.

Fundada em 2019 por Luciano Naganawa e Artur Vilas Boas, profissionais com ampla experiência no setor de tecnologia e educação, respectivamente, a startup surgiu com a missão de oferecer acesso à educação, reduzindo os obstáculos que possam existir, sejam financeiros, sociais ou regionais.

“Acreditamos que o talento está igualmente distribuído pelo Brasil, mas as oportunidades, de forma geral, não. Somente a educação pode romper essas barreiras e acelerar o progresso tecnológico do País”, destaca Naganawa, CEO da Labenu.

A edtech tem a premissa de utilizar metodologias pedagógicas modernas, aliando estudos, focados na parte prática e na execução de projetos, diferenciando do que é apresentado nas faculdades, indo ao encontro do que o mercado de trabalho exige. A intenção é formar profissionais capacitados em 6 meses, no modelo de estudo em tempo integral, ou em um ano, com a opção de curso noturno, para quem não pode parar de trabalhar.

Com mais de 500 estudantes já formados desde seu lançamento e outros 500 ativos, atualmente a Labenu tem alunos em 26 estados brasileiros, além de três países da Europa e um na América do Sul. O objetivo é que, nos próximos meses, a presença já tenha atingido todos os estados do Brasil, além de formar mais 500 alunos até o final de 2021.

Como a Labenu trabalha?

Para conseguir suprir todas as necessidades vistas como fundamentais pelas empresas no mercado de trabalho, atualmente a Labenu trabalha com o modelo de bootcamps (cursos de alta intensidade, com duração de 6 e 12 meses). Para tornar o serviço mais acessível, oferece três opções de cursos para os alunos:

  • Integral web full stack: atividades de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 horas, com seis meses de duração. São ministrados conteúdos de front-end, back-end e soft skills;
  • Noturno web full stack: as aulas acontecem de segunda a sexta-feira, das 18 às 22 horas, com duração de 1 ano. O conteúdo aborda temas de front-end, back-end e soft skills;

Além da possibilidade do aluno se inscrever diretamente com a edtech, a Labenu realiza trabalhos em parceria com as empresas, quando há procura das companhias em desenvolver projetos com bolsas de estudos.

Uma das vantagens que a startup oferece, além de cursos de alta qualidade focados na prática e na empregabilidade, são as condições de pagamento. O aluno que procurar a instituição pode se matricular por meio do ISA (Income Share Agreement), modalidade na qual a pessoa estuda o curso todo e só paga por ele depois de formada e de ter alcançado renda mínima de R$3 mil.

Esse pagamento representa somente 17% da renda, com um contrato válido por cinco anos. Os alunos também podem contratar o curso pelo método tradicional, com pagamento de mensalidade, financiamento ou à vista.

De acordo com um dos cofundadores da Labenu, Artur Vilas Boas, a intenção é alcançar cada vez mais pessoas, principalmente as que não teriam tantas oportunidades de se qualificar nessa área.

“Queremos, cada vez mais, diversificar o mercado de tecnologia. Conseguimos oferecer estudantes formados com os mais diversos perfis e com mais de 1000 horas de experiência, vivências em diversas áreas e muitas atividades de desenvolvimento de soft skills, as principais exigidas pelo mercado de trabalho”, pontua ele.

Ensinando do zero os novos profissionais

Para a Labenu, a inclusão de novos profissionais no setor de tecnologia deve ser ampla. Assim, seus cursos são oferecidos até mesmo para as pessoas que não possuem conhecimento algum sobre o tema, com atendimento que passa por uma equipe de instrutores, monitores, empregabilidade, e CX, que cuida dos estudantes, recebe os feedbacks, controla presenças e realiza atendimentos. A estrutura da empresa ainda conta com times de administrativo, de recursos humanos e de comunicação.

As aulas acontecem de forma online, com atividades ao vivo, plantões de dúvidas e oficinas de empregabilidade. O conteúdo é prático e consiste em que o aluno coloque, de fato, a mão na massa, tendo à sua disposição toda a vivência de uma equipe profissional do setor, com projetos que integram a vivência acadêmica à profissional.

Depois da metade do curso realizado, a equipe da Labenu inicia as atividades de empregabilidade, ajudando-os a montar seus currículos e perfis no LinkedIn, assim como a realização de plantões de dúvidas para desafios, auxílios, atendimentos e simulações de entrevistas, por exemplo. Depois que os estudantes começam a trabalhar, no caso dos que entraram na escola pelo ISA, declaram mensalmente à PROVI (startup de financiamento estudantil) seus rendimentos e, a partir do momento que a renda ultrapassa os R$ 3 mil, o pagamento do curso é iniciado.

Formando os profissionais do presente e futuro

 O foco da Labenu é ajudar tanto as empresas como os futuros profissionais a se conectarem, onde ambas as partes consigam suprir as necessidades de cada uma.

“A demanda por profissionais na área tem se concretizado e continuam a crescer. As empresas têm aumentado seu interesse em iniciativas inovadoras de formação de novos profissionais, principalmente com a atenção à diversidade”, declara Luciano Naganawa, acrescendo que “temos ainda que fortalecer o modelo de curso com bootcamp no Brasil, mostrando, tanto para empresas como para os estudantes, que é uma forma eficaz de ensino e que pode gerar emprego e renda”, conclui.

Em um cenário tão plural como o de hoje, a Labenu se posiciona como uma empresa que valoriza as individualidades de cada pessoa, buscando oportunizar a esse indivíduo um emprego e uma carreira na área que mais têm crescido nos últimos anos.

“Formamos profissionais que, por trás, têm toda uma bagagem histórica e de formação pessoal. As empresas têm buscado pessoas com esse perfil para compor seus times e queremos ser parte disso, oferecendo candidatos preparados para suprir as necessidades que o mercado possui”, finaliza Vilas Boas.

Sobre a Labenu

Fundada em 2019, a Labenu é uma edtech que oferece cursos voltados para a inclusão de pessoas no mercado de tecnologia, pensando em tornar essa área mais diversa e inclusiva e com a missão de oferecer acesso à educação, reduzindo as barreiras que possam existir, sejam financeiras, sociais, regionais, acelerando progresso tecnológico do país.

Para conseguir suprir todas as necessidades vistas como fundamentais pelas empresas no mercado de trabalho, atualmente a Labenu trabalha com o modelo de bootcamps, cursos de alta intensidade, com duração de 6-12 meses, com a formação de profissionais web full stack, com a vivência de mais de 1000 horas em conteúdos de front-end, back-end e soft skills.