Pular para o conteúdo
Início » Chocolate para cachorro: A Páscoa está chegando, saiba o que um pet pode ou não comer

Chocolate para cachorro: A Páscoa está chegando, saiba o que um pet pode ou não comer

Período em que o consumo de chocolate aumenta pode ser também um perigo para o animal de estimação

Parece difícil imaginar que essa iguaria tão presente em nossas vidas possa fazer um mal danado para eles, mas é justamente isso o que acontece. Em alguns casos, o consumo de chocolate pode levar alguns cachorros à morte por envenenamento, de tão nociva que essa substância pode ser para o organismo deles.

É só você abrir um pacote de chocolate que, não importa onde o seu cachorro esteja, pode ter certeza que ele virá perto de você para dar uma olhada no que se trata. Quando eles olham com aquela cara de piedade para os donos, muitas pessoas não resistem e acabam dando um pedacinho de chocolate para cachorro, sem saber o mal que isso pode estar causando, afirma Larissa Mitie, veterinária do Centro Veterinário Vet Quality 24h.

Com a chegada da Páscoa, aumenta o consumo de doces e chocolates e, com isso, aumentam também as chances de que animais se vejam intoxicados por conta do consumo inocente de chocolates. Esse vilão, entretanto, não é único a ser evitado. Há outros alimentos que definitivamente também devem ser riscados da lista de consumo do animal.

Por que chocolates não combinam com os cachorros?

A quantidade de chocolate responsável por fazer mal para o cachorro varia de acordo com o porte da espécie. Entretanto, como cada organismo reage de maneira diferente, na dúvida é melhor evitar o chocolate para o animal de estimação sempre. Isso acontece por conta de uma substância encontrada no doce, chamada teobromina.

O problema é que a teobromina é metabolizada pelo organismo humano, mas não pelo dos animais. Aliás, ela até é metabolizada, mas não em uma velocidade suficiente – o que resulta em uma intoxicação alimentar. Uma quantidade pequena pode fazer com que o animal vomite, mas quantidades maiores podem causar tremores musculares, ataques cardíacos e até mesmo hemorragias internas.

Por mais que haja consciência do tutor e não dê chocolate para o cão e gato, a Páscoa é um período que requer mais atenção. Nessa época do ano, é comum que muitos chocolates fiquem espalhados pela casa, sobre a mesa ou em qualquer outro lugar. Os animais sentem o cheiro e com certeza vão fuçar para saber o que é – e há risco que eles acabem comendo.

Feito especialmente para eles

O animal pode participar da festa também, existem várias marcas de chocolates especiais para cachorro, que são fabricados com ingredientes especiais que não fazem mal ao pet. Em formato de ossinhos, em bombons, barras e até ovos de Páscoa. Podem ser encontrados em lojas especializadas, pet shop e até na internet.

Chocolate não é o único problema

Embora o chocolate seja o mais nocivo de todos ele não é o único item do cardápio de Páscoa que pode fazer mal ao cachorro. Doces, em geral, também não são recomendados. Além do risco de intoxicação eles também podem causar problemas como obesidade, cáries e até mesmo diabetes.

Os veterinários recomendam, nesse caso, substituir qualquer tentativa de dar um doce a eles por um petisco. Sempre lembrando que os petiscos não devem substituir a ração de forma alguma. Ou seja, aquele agradinho de Páscoa que você está pensando em dar para o animal pode vir na forma de um belo petisco, por exemplo. Ele vai adorar, reforça Larissa.

Outros alimentos prejudiciais aos animais

Que o chocolate é um vilão para os animais você já sabe, mas infelizmente ele não é o único e, na tentativa de agradar o pet, você pode acabar fazendo mal a ele sem saber. Itens que devem ser riscados da lista também são ovos, carnes e peixes crus. Isso porque alimentos que não estejam devidamente cozidos podem causar intoxicação alimentar devido a bactérias como Salmonella e E. coli.

No caso dos ovos crus, há ainda uma enzima que interfere na absorção pelo organismo das vitaminas do complexo B. Sem essa correta absorção, seu animal pode ter problemas de pele e queda de pelos. Iogurtes e outros alimentos com leite também estão proibidos e devem ser evitados sempre que possível.

Os cães não possuem quantidades significativas de lactase, como os humanos, e por isso têm mais dificuldade em digerir esse tipo de alimento. Quando eles não conseguem, o resultado é um desconforto estomacal, causando diarreia e problemas digestivos das mais variadas espécies. Se perceber algum sintoma como esse após a ingestão de derivados de leite, leve o cão ao veterinário.

Bebidas estimulantes: nem pensar

Por fim, além da lista de alimentos que devem estar sempre fora do alcance dos animais de estimação, é preciso mencionar algumas bebidas que precisam ser evitadas a todo custo. Bebidas alcoólicas, por exemplo, nem pensar. Porém, essa é mais óbvia e as pessoas acabam sendo mais cuidadosas com relação a elas.

Entretanto, tome muito cuidado também as chamadas bebidas estimulantes. Chá, café e energéticos, por exemplo, só vão fazer mal para cães e gatos, além de não acrescentarem absolutamente nada de positivo na dieta deles. O grande mal aí fica por conta da cafeína, uma substância estimulante à qual os animais são muito mais sensíveis do que nós, humanos.

Em linhas gerais, não há nenhum tipo de malefício associado imediatamente ao consumo de cafeína pelos animais, mas a sugestão dos veterinários é que esse tipo de substância seja evitado. Os riscos estão associados também à borra de café ou sacos de chá, que animais podem ingerir por curiosidade ao encontrarem pacotes na despensa, por exemplo. Caso isso ocorra, os sinais serão similares ao do envenenamento por chocolate e não outra coisa a se fazer: leve o animal a uma clínica veterinária imediatamente.