Pular para o conteúdo
Início » Gasolina mais cara: 4 dicas para o varejo “driblar” a alta dos preços no frete

Gasolina mais cara: 4 dicas para o varejo “driblar” a alta dos preços no frete

Com novo reajuste, especialista elenca soluções práticas para ajudar empreendedores de pequeno e médio porte a diminuírem o impacto sobre as entregas

O reajuste no preço dos combustíveis, anunciado pela Petrobras como reflexo da alta do preço do barril de petróleo, afeta o desempenho do comércio varejista. O setor, que já sofre com a inflação e taxas de juros mais altas, além de outros efeitos econômicos acarretados pela pandemia, agora se depara com o aumento do preço médio do litro da gasolina para R$ 7,283 o litro – e do diesel, que passou para R$ 6,630. Segundo dados da Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom), o preço dos combustíveis já acumula 20% de defasagem, o que impacta diretamente o custo do frete de produtos.

Para Marina Ballester, Chefe de Experiência do Cliente da Loja Integrada, plataforma para criação de lojas virtuais mais popular do país, a alta dos combustíveis tem potencial para impactar diversos setores da economia e pressionar o preço dos fretes e do delivery. “Para empreendedores de pequenos e médios negócios, a escalada do preço dos combustíveis afetará os custos de operação e o faturamento, tendo impacto direto no valor do frete e, por consequência, afetando também o preço dos produtos finais transportados”.

Pensando nisso, a especialista elenca cinco dicas para ajudar pequenos e médios empreendedores a driblarem os constantes aumentos dos combustíveis e assim reduzirem os impactos dessa oscilação sobre seus negócios. Confira:

1. Pense em parcerias com comerciantes vizinhos

Para Marina, criar parcerias com outros empreendedores vizinhos para realizar entregas conjuntas, de qualquer segmento, é uma das possibilidades para contornar a alta dos combustíveis. “Além de reduzir gastos, os parceiros podem, juntos, otimizar a logística de entrega, beneficiando ainda mais os clientes”.

2. Disponibilize outras modalidades de entrega

Os empreendedores devem apostar na criatividade e inovação e estar atentos a novas possibilidades. “Uma das soluções é aderir a outras alternativas de frete mais sustentáveis, como o uso de bicicletas, dependendo da distância a ser percorrida. O comerciante pode informar o uso da bicicleta aos clientes, garantindo rapidez na entrega, além de uma solução mais sustentável para o meio ambiente”, sugere a executiva.

3. Negocie o preço com os fornecedores

Convencer a transportadora a liberar descontos pode não ser um processo simples, no entanto, se o vendedor tiver um grande volume de carga, o acordo poderá ser mais fácil. “O empreendedor pode elaborar uma tabela de frete junto com a transportadora, prevendo diferentes custos para diferentes volumes a serem transportados. Com isso, ambos os lados terão vantagens, formando uma boa parceria”, orienta Marina.

4.Faça manutenção nos veículos

Por fim, outra estratégia que parece básica, mas acaba sendo esquecida por muitos e que impacta no custo das entregas é realizar a manutenção dos veículos, no caso dos empreendedores que têm frota própria ou alugada. ”Estar atento se o veículo não precisa de reparos e se não está gastando mais combustível do que deveria é uma das soluções para poupar gastos e garantir o melhor preço de frete para os consumidores”, finaliza a especialista.

Sobre a Loja Integrada
A Loja Integrada é uma plataforma que oferece recursos para a criação de lojas virtuais de maneira prática e intuitiva, com opções de temas e serviços adicionais, além de parcerias com meios de pagamentos e envios. Com mais de 2,5 milhões de lojas criadas, a empresa tornou-se uma das maiores plataformas gratuitas da América Latina e a mais popular do Brasil. Segundo o Built With, portal que mede o desempenho das tecnologias e das plataformas de e-commerce, a Loja Integrada é responsável pela maioria das lojas virtuais que operam hoje no Brasil.