Pular para o conteúdo
Início » Como a Ludoterapia pode ajudar no desenvolvimento infantil?

Como a Ludoterapia pode ajudar no desenvolvimento infantil?

O desenvolvimento infantil é uma das partes mais importantes da vida de qualquer pessoa, isso porque essa fase é crucial para que se tenha o mínimo de experiências e trocas que serão essenciais para nossa vida em sociedade como adultos. 

Quando uma criança se desenvolve, é de suma importância que os pais ou responsáveis dela se preocupem com fatores essenciais para o bom desenvolvimento do pequeno ou pequena, como a saúde, lar e educação. 

Assim como é necessário, em alguns casos, contratar uma mão de obra terceirizada limpeza para garantir a qualidade do ambiente em que está, às vezes também é preciso contar com profissionais especializados para cuidar do desenvolvimento de uma criança.

E é justamente dentro deste cenário que surge o conceito da ludoterapia, que vem conquistando um grande e poderoso espaço no mercado e provando a importância das crianças abraçarem essa inovação. 

Muitos adultos acreditam que as crianças não precisam cuidar da saúde mental ou que não conseguem desenvolver alguns distúrbios que atrapalhem o seu processo de desenvolvimento e aprendizagem, mas isso é uma grande mentira. 

Assim como um profissional que trabalha com tratamento de efluentes liquídos pode estar a mercê de todo e qualquer tipo de problema mental, o mesmo acontece com uma pequena criança, que a qualquer momento pode desenvolver algum problema. 

A ludoterapia é uma técnica que existe no mercado há bastante tempo mas que começou a ganhar destaque recentemente, e tem como objetivo justamente auxiliar no tratamento de alguns transtornos ou problemas mentais que podem afetar as crianças. 

Por isso, hoje iremos abordar mais sobre esse tema mega importante e te fazer entender mais sobre o que se trata a ludoterapia, quais os benefícios dela e como saber se o seu pequeno ou pequena deve aderir a esse tipo de tratamento. 

Conheça a ludoterapia e sua origem 

A ludoterapia nada mais é do que uma psicoterapia voltada para o tratamento psicológico exclusivamente de crianças. A principal ferramenta utilizada dentro dessa abordagem, por mais incrível que pareça, é a brincadeira. 

A tradução da palavra em si, significa a terapia do lúdico, ou seja, uma abordagem da psicologia voltada para a brincadeira e diversão, onde as crianças conseguem cuidar de sua saúde mental fazendo o que mais amam, brincando.

Afinal de contas, se uma empresa de planejamento e gerenciamento de obras chama a atenção de um adulto, a brincadeira é a situação perfeita para cativar uma criança e manter o seu foco no que será feito naquele momento.

É através do ato de brincar que o psicólogo possui acesso ao mundo interior daquela criança e consegue ajudá-la a superar os desafios que a afligem e que podem ser os mais diversos que imaginamos. 

Já com os jovens e adultos, é possível aplicar técnicas terapêuticas mais diretas e de rápido confronto de ideias para estimular insights ou outras maneiras de pensar. 

Isso porque sabemos muito bem que nem sempre as coisas que funcionam para os adultos funcionam para os pequenos, enquanto um adulto entende muito bem sobre o que se trata a manutenção preventiva de disjuntores, uma criança não saberá nada sobre o assunto. 

A ludoterapia surgiu para possibilitar a análise comportamental das crianças por meio de uma linguagem que é possível entender e replicar: o lúdico, ou seja, algo divertido e animado, ideal para as crianças e adolescentes. 

Um pequeno pode não entender nada sobre tubos e perfis de alumínio, por exemplo, mas com certeza irá entender bem quando alguém lhe ensina uma nova brincadeira que lhe parecerá um simples momento de diversão mas que também ajuda na análise de seu comportamento.

Em 1920, a psicanalista Melanie Klein desenvolveu um método com base na simples ação de brincar com a criança para analisar o comportamento dela. Essa técnica permitiu acessar o inconsciente, assim como as memórias e experiências reprimidas das crianças. 

De acordo com a sua teoria, o ato de brincar é capaz de mostrar as fantasias, interesses e apreensões das crianças projetadas nos brinquedos e nas brincadeiras utilizadas por elas, influenciados principalmente pelo relacionamento com seus pais. 

Assim como os adultos expressam seus sentimentos através da procura por um produto ou serviço como uma análise de consumo de energia elétrica, as crianças também possuem seus próprios espaços para expressarem o que sentem e pensam. 

Este método também é muito eficaz no tratamento terapêutico de crianças que sofreram  com alguns traumas, como abusos, acidentes ou a morte de um familiar que acabou mexendo bastante com o emocional dela. 

A ludoterapia possibilita que elas expressem sentimentos profundos e, de maneira segura, revivam as lembranças sobre o ocorrido até que se sintam prontas para falar sobre o ocorrido.  

Isso significa que a ludoterapia, hoje, é uma das melhores abordagens para as crianças, pois é possível fazer um diagnóstico junto a um profissional fazendo com que o pequeno ou a pequena realize o processo com o que mais ama fazer, brincar. 

Sinais de que uma criança precisa de ludoterapia 

Assim como um adulto sabe muito bem o momento de procurar pela instalação de ar condicionado residencial após sinais de que o ambiente não está agradável, as crianças também oferecem sinais para alertar os adultos no momento de procurar pela ludoterapia.

Infelizmente, nem todos os pais ou responsáveis estão cientes sobre esses sinais, por isso, selecionamos alguns dos mais comuns para que você fique atento ao seu pequeno ou pequena nas mais diversas situações. Confira: 

  1. Alteração brusca de humor

Nem sempre as crianças estarão em um bom dia, afinal de contas, elas são seres humanos assim como os adultos e possuem os seus dias e momentos de tristeza, raiva, estresse, retração, felicidade e tantos outros sentimentos. 

Entretanto, se a sua criança começa a apresentar a alteração de humor com muita frequência e de maneira inesperada, talvez esse seja um sinal de que ela precise de ajuda profissional. 

Se ao acordar a criança está triste, a tarde está feliz e a noite está brava e todos esses sentimentos sem uma razão por trás, talvez ela possa estar desenvolvendo algum problema que só será descoberto com a ludoterapia. 

  1. Comportamento agressivo

A agressividade é uma característica comum na personalidade de crianças que sofrem com algum tipo de transtorno, isso porque sabemos muito bem que a violência nunca leva a nenhum lugar bom e não ajuda a resolver nada. 

Por isso, se esse comportamento já não é bom até mesmo para um adulto, será ainda menos positivo para uma criança que está se desenvolvendo.  

Sendo assim, se a sua criança apresentar comportamentos agressivos com você ou quaisquer outras pessoas, esse também pode ser um sinal de que ela precisa de ajuda. 

  1. Agitação e dificuldade de manter a atenção 

Muitas crianças se sentem sempre agitadas e são bem difíceis de manter a atenção e o foco em algo por muito tempo, se sentem sempre na necessidade de estar em movimento, mexendo em algo ou falando com alguém. 

Isso pode ser o sinal de um transtorno com o TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade) que afeta até mesmo os adultos nos dias de hoje e é algo que traz inquietude para quem o desenvolve. 

Por isso, se você perceber que sua criança está sempre agitada e não consegue se concentrar no que alguém fala ou até mesmo nos pequenos deveres do dia a dia, a indicação é levá-la a um ludoterapeuta. 

Esses são apenas alguns dos principais sinais que aparecem na rotina das crianças que podem precisar da ludoterapia, mas também são os mais comuns, ou seja, é fácil identificá-los se ficarmos atentos. 

A qualquer sinal como esses destacados acima, procure um ludoterapeuta e agende uma consulta para que a sua criança comece o processo e cuide bem de sua saúde mental desde cedo. 

Dicas para encontrar um bom ludoterapeuta 

Seja você um pai, uma mãe ou um tio, tia, avó ou avô, o fato é que sempre nos preocupamos com quem terá contato com nossos pequenos e como irão ajudá-los a ficar melhor, não é mesmo? 

Por isso, selecionamos uma lista com dicas para te ajudar a encontrar um bom ludoterapeuta para a sua criança e começar já o tratamento. Confira: 

  • Peça indicações;
  • Veja se a criança se sente confortável; 
  • Avalie o preço das sessões;
  • Tenha uma sessão de teste;
  • Veja se o terapeuta é atento;
  • Se sinta confiante no serviço. 

Com esses pontos você irá conseguir saber se está contratando um bom profissional para cuidar da sua criança e garantir a ele não apenas mais saúde e qualidade de vida, mas também um espaço e tempo de diversão e alegria para ajudar em seu desenvolvimento.

Lembre-se, assim como sua empresa busca lhe deixar o mais seguro por meio de EPI como cintas de poliéster para movimentação de cargas, você como pai deve sempre prezar pela saúde mental de sua criança, então a partir de qualquer sinal busque um profissional.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.