Pular para o conteúdo

Senac Barretos

Neurocientista português membro da SIGMA XI palestra no maior evento de tecnologia do mundo 

Fabiano de Abreu abordou a temática dos videojogos e a sua influência no QI

No passado domingo, dia 13, o PhD em neurociências, membro de 4 sociedades internacionais de alto QI e ainda membro integrante da SIGMA XI, Dr. Fabiano de Abreu Agrela palestrou na Campus Party Brasil, um dos maiores eventos de tecnologia do mundo que reuniu diversos palestrantes internacionais.

Este evento sobre tecnologia envolve milhares de participantes entre oradores e assistência e é o local perfeito para discutir as temáticas mais atuais.

Durante esta edição do evento, Fabiano de Abreu abordou um tema que tem badalado a internet nestes últimos tempos: a questão dos jogos de computador e consolas e o aumento de QI.

Para Abreu que se tem dedicado a questões sobre a inteligência humana, inclusive tem um estudo sobre como a internet está a afetar a inteligência geral do ser humano, ele acredita que devemos ter muito cuidado quando expomos temas como estes.

“As pessoas criam as ideias que mais lhes convêm”, diz neurocientista sobre os mais recentes estudos, questionando a generalização de resultados de estudos que alegam aumento de QI relacionado ao uso de videojogos.

A relação entre os videojogos/videogames e o cérebro sempre despertou curiosidade e medo, por essa razão, diversas pesquisas foram realizadas para identificar os benefícios ou malefícios que os jogos eletrónicos trazem à mente.

Recentemente, os resultados de um novo estudo repercutiram grandemente ao indicarem uma relação entre o uso de videojogos e o aumento do QI, no entanto, os resultados positivos da pesquisa não devem ser generalizados.

“A forma como os resultados do estudo foram divulgados passaram a impressão de que o uso de videojogos é exclusivamente benéfico, sem considerar que existem as outras variáveis, como o tempo gasto com os jogos, os tipos de jogos em relação à faixa etária do jogador, e vários outros” declarou o neurocientista.

Como fez questão de explicar durante a sua participação na Campus Party, “Um benefício não apaga os seus malefícios, todos os aspetos devem ser considerados, é importante saber utilizar os jogos para estimular os benefícios e não apenas ignorar o lado negativo”.

“As pessoas criam as lógicas que lhes convêm, uma lógica da incoerência onde se confortam e a tomam como verdade absoluta, é perigoso analisar resultados de pesquisas isoladamente.”, ressalta Dr. Fabiano de Abreu, destacando os perigos da manipulação dos resultados de estudos científicos.

Por último, Abreu teve ainda tempo para falar sobre como outros aspetos do mundo online nos estão a afetar, inclusive como o excesso de tempo nas redes sociais está a diminuir o QI e a formatar personalidades que podem prejudicar o futuro da humanidade. Inclusive, chamou a atenção que estas pessoas estão envolvidas num coletivo de narcisismo patológico, numa sociedade narcísica, vitimista e que utiliza da empatia como forma de chamar a atenção