A Televisão emburrece as pessoas

A qualidade dos programas de televisão nos tira a inteligência e diminui a nossa capacidade crítica, e nos torna alienados da realidade. (enviado por Dr. Edu Celso Nogueira Branco)

A Televisão emburrece as pessoas.
Nelson Rodrigues

Nos dias atuais vemos que a tecnologia é de fundamental importância para o desenvolvimento da humanidade, principalmente nos meios de comunicação. Nos últimos anos temos visto um desenvolvimento jamais visto, como a modernização da telefonia. Como exemplo disto, temos os celulares que possibilitaram uma integração entre as pessoas, países e continentes. Vimos à televisão se desenvolver de forma a transmitir em tempo real eventos dos mais distantes locais, a todos os lares deste país. Por outro lado vemos uma regressão acentuada dos meios de comunicação, no que se refere à qualidade dos programas levados ao ar pela telinha, nas mais diversas emissoras, chegando a atingir o limite dos mais selvagens instintos do ser humano.

Dizia Nelson Rodrigues que “a televisão emburrece as pessoas.”. Nisto sou obrigado a concordar com um dos maiores dramaturgos e jornalistas deste país. O que observamos na telinha é apenas e tão somente uma jogada de interesse comercial, sem o menor conteúdo educativo, visando única e exclusivamente audiência, e lucro. Pouco importa que se passe na telinha é educativo ou não, o que interessa é audiência e faturamento, e aparecer custe o que custar.

O que vemos então: programas que demonstram claramente a banalização do sexo, pessoas se comportando como animais em uma rinha para ganhar prêmios, fama e dinheiro, como foi o famigerado BBB… Telenovelas que incitam a violência, sexo, prostituição, golpes, malandragem da mais refinada, com intuito de promover sabe-se lá o quê ou quem.

Somos “obrigados” a agüentar os canais que vendem seus horários mais nobres para eventos religiosos dos mais variados segmentos (diga-se de passagem, respeito todas as religiões), com os seus representantes vendendo de tudo, assinatura de TVs, viagens, santinhos, vendem salvação da alma, se bobearmos nos vendem terrenos no Paraíso em suaves prestações entre outros tantos “produtos”.

Quando ainda temos alguma condição financeira podemos optar pela TV paga, mesmo assim somos bombardeados por canais de compras, canais religiosos, canais políticos, como se não bastasse o horário político gratuito que temos que agüentar a cada quatro anos. O pobre brasileiro mesmo pagando ainda é enganado, com a programação da TV paga. Se formos somar os canais que realmente nos trazem alguma coisa boa, não chegam a trinta por cento da programação! Devíamos pagar apenas pelo que aproveitamos, e assim ter um belo desconto. E a grande parcela da população que é obrigada a assistir uma programação medíocre, e de extremo baixo nível na telinha?!

Neste período de tecnologia e desenvolvimento, parece que prevalece a lei do mais forte, sem lugar algum para a ética, respeito familiar, sem lugar algum para o respeito às pessoas, e o próprio ser humano. Parece que há uma sanha sanguinária nos programas televisivos, como por exemplo, as reportagens que mostram os crimes, seus detalhes, e faz destes acontecimentos um show de horrores, digno dos melhores filmes de Hitchcock. Isto sem contar com as intermináveis entrevistas com os psicólogos de plantão querendo traçar o perfil do criminoso e as discussões jurídicas sem fim sobre o fato. Mas de toda coisa ruim sempre tiramos alguma coisa boa. A melhor invenção de tecnologia, sem dúvida, foi o controle remoto, pois temos o poder em nossas mãos de desligar a TV, sem sair do lugar e ainda temos ótimas opções: acessar a internet, ler um bom livro, praticar um esporte, ir a uma pescaria, passear com a família, ou permitir o convívio com as coisas que temos de mais preciosas: nossos filhos, esposa ou esposo e amigos verdadeiros.

Felizmente temos esta opção, e que bela opção.

enviado por Dr. Edu Celso Nogueira Branco.

Publicidade:
Anterior O que comemorar no Dia do Índio?
Próxima Paulo André indica caminho para profissionalizar a base