[Opinião] 1 ano do dia de São Nunca – Por Lígia Timão

Hoje completa exatamente 1 ano que o nosso maior sonho foi concretizado. Foi o dia em que a Terra tremeu. O dia em que cantamos, choramos, emocionamos, comemoramos. Até o torcedor "menos" fanático se emocionou. Quem viu, jamais esquecerá nenhum detalhe.
1 ano do dia de São Nunca

1 ano do dia de São Nunca
Hoje completa exatamente 1 ano que o nosso maior sonho foi concretizado. Foi o dia em que a Terra tremeu. O dia em que cantamos, choramos, emocionamos, comemoramos. Até o torcedor “menos” fanático se emocionou. Quem viu, jamais esquecerá nenhum detalhe. Tenho certeza que em nossas vagas lembranças, nos lembraremos da catimba do Erviti, do gol do Romarinho no La Bombonera, do Émerson e suas desavenças, e, claro, dos gols dele, do iluminado, Émerson Sheik.

Neste dia, o sol brilhou mais, a manhã começou diferente. A emoção de todo corintiano já estava à flor da pele. Nós contávamos os segundos para às 21h50 chegar mais depressa. Uma noite em que paramos o Brasil com o nosso canto, devoção. Porque o Corinthians é uma religião. Para o Corinthians não se torce, se vive! O Corinthians é mais que um mero clube para nós.

É humanamente impossível entender o amor do corintiano para com o Corinthians. É inenarrável, indescritível, inigualável. Como já dizia o nosso eterno ídolo, Casagrande: “Parece que Deus deu uma parada no Parque e transformou o time e a torcida no que eles são hoje”. É mágico o nosso amor pelo Timão. Muitos dizem que é uma doença, mas se for, não quero cura. Um antídoto? Preferimos a morte.

Foram feitos estudos sobre a loucura corintiana, mas até agora, nenhuma explicação. Menocchi Del Picchia descreveu o que não tem descrição: “O Corinthians é um fenômeno sociológico a ser estudado em profundidade”. Levamos o apelido de Fiel e fazemos jus a isso, pois não existe torcida mais fiel e apaixonada do que a torcida corintiana em nenhum lugar do planeta!

O que leva um ser humano a deixar de comer, economizar o dinheiro da bebida só para ver um clube jogar? Que sentimento é esse que nos faz sofrer e mesmo assim continuarmos ali, torcendo? Seria apenas amor? Será que somente o amor explica tudo isso? Por mais que eu fique tentando explicar, não seria o suficiente. O corintiano morre pelo Corinthians se preciso for.

Hoje, dia 04 de julho de 2013, completa 1 ano da conquista invicta da Copa Libertadores. Na primeira fase enfrentamos o Deportivo Táchira da Venezuela, o Nacional do Paraguai e o Cruz Azul do México. Classificamos como primeiro de nossa chave, e na fase seguinte, iríamos enfrentar o Emelec do Equador. No primeiro confronto, um jogo truncado, com Cássio estreando como titular e salvando o Corinthians com importantes defesas. No segundo jogo, goleada corintiana no Pacaembu. Com gols de Fábio Santos, Paulinho e Alex, o Timão avançava para às quartas de final e tinha pela frente, o Vasco. No primeiro jogo, um 0 x 0 feio, com um Corinthians valente.

No segundo jogo, susto na segunda etapa. Após Alessandro errar o cruzamento, Diego Souza avançou e ficou cara a cara com o gol, mas Cássio com a pontinha do dedo, salvou a pátria alvinegra. Aos 44 do segundo tempo, Paulinho subiu mais alto que os zagueiros vascaínos para abrir o placar e colocar o Corinthians na semi-final contra o time do Santos. O primeiro confronto entre os paulistas aconteceu na Vila Belmiro com vitória corintiana, gol de Émerson, um golaço! No jogo de volta, no Pacaembu, empate em 1 x 1, gol de Neymar na primeira etapa para o Peixe e de Danilo para o Timão no segundo tempo, empatando a partida.

E pela primeira vez, estávamos na final. O adversário alvinegro era nada mais, nada menos que o temido argentino, Boca Juniors, campeão seis vezes da Libertadores. O primeiro jogo foi no La Bombonera. Um jogo com a catimba dos argentinos, mas que nada influenciou, pois o Timão não caia na catimba dos hermanos.

Após Roncaglia abrir o placar para o Boca, o jogo parecia perdido para os corintianos, mas no segundo tempo entrou um tal de Romarinho para empatar a partida. Ah! Que sufoco! Mas se não for assim, não é Corinthians. No jogo de volta no estádio do Pacaembu, à noite parecia diferente, mais iluminada, abençoada. O primeiro tempo foram de muitas chances para ambos lado. Já na volta do segundo tempo, Émerson Sheik fez a alegria dos corintianos. O primeiro gol foi aos 8 minutos, com cobrança de falta do baixinho Jorge Henrique, que achou Danilo, que com um passe magistral, deixou Émerson Sheik na cara do gol para delírio da Fiel. O segundo gol do jogo foi dele novamente, do iluminado, Émerson, que ficou atento ao erro de passe de Schiave e partiu no contra ataque para levar o Corinthians ao seu primeiro título da Libertadores.

Foram 14 jogos, 8 vitórias, 6 empates. 22 gols marcados, sendo 13 na primeira fase, 9 no mata-mata. Saldo de gols: 18. Apenas 4 gols sofridos, a defesa menos vazada da competição em 2012.

Corinthianos, parabéns para nós que perseveramos, acreditamos e que hoje estamos aqui desfrutando da nossa fé. Porque quem acredita, sempre alcança. O dia de “São Nunca” finalmente está sendo comemorado. As piadinhas com a Libertadores, acabaram. O nosso maior sonho se tornou realidade, bando de loucos! Corinthians, muito obrigada por existir, por trazer minha alegria de domingo a domingo. Deus, eu agradeço incondicionalmente por eu ser Timão!

CORINTHIANS
CORINTHIANS MINHA VIDA
CORINTHIANS MINHA HISTÓRIA
CORINTHIANS MEU AMOOOR
RESUMO
Primeira fase, Libertadores 2012
Deportivo Táchira 1 x 1 Corinthians (1 ponto)
Corinthians 2 x 0 Nacional (3 pontos)
Cruz Azul 0 x 0 Corinthians (1 ponto)
Corinthians 1 x 0 Cruz Azul (3 pontos)
Nacional 1 x 3 Corinthians (3 pontos)
Corinthians 6 x 0 Deportivo Táchira (3 pontos)
14 pontos na primeira fase, líder da chave, segunda melhor campanha.
Em ordem (Mata-Mata) (Gols)
Emelec 0 x 0 Corinthians (Equador)
Corinthians 3 x 0 Emelec (Pacaembu) F. Santos, Paulinho e Alex
Vasco 0 x 0 Corinthians (São Januário)
Corinthians 1 x 0 Vasco (Pacaembu) Paulinho
Santos 0 x 1 Corinthians (Vila Belmiro) Émerson
Corinthians 1 x 1 Santos (Pacaembu) Neymar e Danilo
Boca Juniors 1 x 1 Corinthians (La Bombonera) Roncaglia e Romarinho
Corinthians 2 x 0 Boca Juniors (Pacaembu) Émerson 2x
Se a Libertadores fosse de pontos corridos, o Corinthians teria terminado a competição com 30 pontos. 22 gols marcados, 4 sofridos, 18 de saldo de gols. 14 jogos, 8 vitórias e 6 empates.
19 pontos conquistados em casa, 11 fora de casa.
16 gols marcados em casa, 6 gols marcados fora de casa.
1 gol sofrido em casa, 3 gols sofridos fora de casa.
Escalação da Final no Pacaembu (4-4-2)
Cássio
Alessandro
Leandro Castán
Chicão
F. Santos
Ralf
Paulinho
Danilo
Alex
Jorge Henrique
Émerson

[author] [author_image timthumb=’on’]http://www.guairanews.com/wp-content/uploads/2013/05/ligia-timao-corinthians.jpg[/author_image][author_info]Lígia Gregório Rocha: Corinthiana, Maloqueira e Sofredora. Graças a Deus! Mais conhecida como Lígia Timão, ela é colunista sobre o Corinthians para o GuairaNews.com. Facebook: www.facebook.com/ligiaa.rochaa[/author_info] [/author]

Publicidade:
Anterior Abertas inscrições para as provas cronometradas na 58ª Festa do Peão de Barretos
Próxima [Opinião] As Zebras Contra a Aranha e o Lobo - por Gabriel Ogata Nogueira