Dicas para manutenção de seu gramado

Saiba o que é preciso para ser dono de um belo gramado. Cuidar de um gramado é muito mais fácil e infinitamente mais prazeroso do que você imagina

dicas

Saiba o que é preciso para ser dono de um belo gramado. Cuidar de um gramado é muito mais fácil e infinitamente mais prazeroso do que você imagina

Talvez não haja nenhum povo no mundo que goste mais de gramados do que o brasileiro. Afinal, sobre as quatro linhas dos gramados do mundo, o futebol brasileiro encanta a todos por onde passa.
Especulações à parte, cuidar bem do gramado, seja para uma peladinha de fim de semana ou simplesmente para as crianças ficarem à vontade, é muito mais fácil do que se imagina.

É bem verdade que cuidar de um gramado vai exigir um certo pendor à jardinagem. Mas, garantem os iniciados, é uma ótima técnica de administração do estresse.

Os primeiros pontos a serem observados por quem vai cuidar da manutenção de um gramado devem ser os seguintes:

Plantio, Nivelamento do terreno, Adubação correta, Irrigação e Podas regulares

Cobertura Uniforme
Antes de iniciar o plantio, retire pedras, pedregulhos e outros detritos. Cavoucar a terra, livrando-a de pragas, garante uma cobertura uniforme ao gramado. Feito isto, o próximo passo é começar o nivelamento do terreno. As placas ou tapetes devem ser plantados abaixo do nível da calçada para impossibilitar desníveis.

Molhando sem encharcar
Muitas pessoas pensam que quanto mais irrigado estiver o gramado, mais nutrido estará. Engano. O excesso de água afeta a saúde da grama, que é uma planta como outra qualquer, como também facilita a instalação e propagação de doenças. O clima é que vai determinar a freqüência da rega. No verão brasileiro, o ideal é que ela ocorra em intervalos mínimos de 15 dias. No inverno, como a grama retém mais a umidade, o espaço de tempo entre uma rega e outra pode aumentar para 60 dias.

Adubação orgânica é sempre melhor
Depois que a grama fixou suas raízes na terra, é muito mais difícil e muito menos eficaz a adubação. Por isso, durante o plantio é bom não esquecer da adubação. A melhor adubação, aquela que fornece a maior quantidade de nutrientes ao solo, é a orgânica, cuja composição é feita de esterco, restos de plantas e húmus de minhoca. Segundo os especialistas, o ideal é aplicar 2 kg de húmus por metro quadrado.
O adubo químico pode ser utilizado, mas ao o fazer, use-o em pequena quantidade e com muita irrigação. E o mais importante: apenas no início da primavera.

Poda: o penteado do seu gramado
Assim como precisa ser molhado com maior freqüência, durante o verão, o intervalo entre as podas do gramado tende a ser menor. O ideal, segundo os paisagistas, é não deixar a grama ultrapassar 2 cm de altura, mas a poda deve considerar as necessidades de cada espécie de grama. A batatais, por exemplo, pode ser podada quando ultrapassa 5 cm. A japonesa já permite a poda aos 2 cm. O mesmo acontece a bermudas. Diferente da esmeralda, uma das mais apreciadas, que só deve ser podada quando ultrapassa 3 cm de altura.

Conheça as diferentes espécies de grama

Inglesa (Stenotophrum secundatum):Bastante ornamental, a grama inglesa, mais conhecida no Brasil como Santo Agostinho, é apropriada para terrenos próximos ao litoral, pois a planta é extremamente resistente à maresia, embora seja frágil ao pisoteio e às pragas.

São Carlos
 (Axonopus compressus): Gosta de umidade e frio. Em épocas de estiagem, exige regas freqüentes.

Bermudas 
(Cynodum dactylum): rústica, a planta é muito utilizada em chácaras, sítios e campos de futebol, devido à sua resistência. Suas folhas estreitas são fortes e permitem pisoteio.

Batatais
 (Paspalum notatum): Além da tolerância excepcional à áreas mal iluminadas, é extremamente resistente. Suporta secas, pisoteios, pragas e doenças sem traumas ou seqüelas.

Japonesa 
(Zoysia tenuifolia):belíssima, sua característica são as de folhas macias, finas e compactas. Seu crescimento é lento, dispensando podas freqüentes.

DICAS PARA MANUTENÇÃO DO SEU GRAMADO

Água
Uma das dúvidas muito freqüentes diz respeito à quantidade de água a ser fornecida para a grama. A regra básica é que, como todas as plantas, o gramado não deve ser encharcado no tratamento de manutenção.

Com o tempo e utilizando o seu bom-senso, é possível chegar à quantidade adequada de água. Tocar a terra durante a rega pode ajudá-lo a verificar a quantidade de água já fornecida, ao sentir a umidade da terra. Conforme o clima da região e a espécie de grama, a irrigação deve ser feita com maior ou menor freqüência. Considere intervalos mínimos de 1 semana no verão e até no máximo 60 dias no inverno.

Poda
A poda é muito importante, pois fortalece o gramado. As podas devem ser feitas com freqüência, mantendo a altura da grama uniforme ou em uma medida ideal.

Adubação
É preciso garantir nutrientes para o gramado. Além de material orgânico, o solo precisa de fertilizantes ricos em nitrogênio, fósforo e potássio. Isso é feito através da adubação orgânica e /ou química. Aqui, todo cuidado é pouco, pois o adubo pode queimar as folhas. Por isso, quando a adubação é feita, o gramado deve ser muito regado. Pode-se utilizar 20g, por exemplo, de NPK (uma combinação de material orgânico e fertilizantes) para cada m2 de área gramada. Uma cobertura prática que pode ser feita é usando um adubo de formulação comercial conhecida como “20.0020″.

Sob árvores, a dosagem deve ser dobrada. O recomendável é contar com serviços de profissionais, que saberão executar o serviço sem causar danos à grama.

Geralmente, a adubação é feita na primavera, mas também varia de acordo com cada espécie.

gramas-invernadinha
clique para ver a página da Gramas Invernadinha de Guaíra/SP
Publicidade:
Anterior 20 Anos de Legado: Especial Ayrton Senna 54 anos
Próxima Guarda Municipal de Guaíra comemora 27 Anos de história