Fórum Regional de Comunicação reforça necessidade de mais debates

A participação do público que compareceu na primeira edição do Fórum Regional de Comunicação (ForCom) confirmou a necessidade de novos debates

ForCom (18)

A participação do público que compareceu na primeira edição do Fórum Regional de Comunicação (ForCom) confirmou a necessidade de novos debates. Essa é a observação feita pelo diretor de Comunicação da Prefeitura, Cristian Sterchile, logo após o encerramento do encontro, promovido no sábado, dia 7, na Casa de Cultura guairense.

“Houve muita interação entre a plateia e os convidados que conduziram os debates. Assim, o ForCom cumpriu com seu objetivo de criar um ambiente em que nossos municípios possam refletir sobre a forma como se produz e se veicula notícias na região”, avaliou Cristian.

O ForCom foi promovido pelo Consórcio Intermunicipal Culturando, em parceira com a Prefeitura de Guaíra. A ideia partiu do prefeito Sérgio de Mello, atual presidente do consórcio, aos 25 municípios integrantes. Cada edição será realizada em uma das cidades associadas. 

O consórcio arcou com os custos do evento e Prefeitura forneceu a logística (com translado dos palestrantes) e alimentação para os participantes, que foi produzida na Central de Alimentação da Prefeitura.

Na estreia os debates foram pautados pelo tema ética na comunicação e na cultura. Conduziram as discussões os jornalistas Renato Rovai, Galeno Amorim, Hélvio Tamoio, Luiz Felipe Nunes e Fernando Kaxassa, o ator Sérgio Mamberti, o produtor executivo do grupo Teatro Mágico Gustavo Anitelli, além do anfitrião Sérgio de Mello. No intervalo, o público assistiu à apresentação do grupo cultural do grupo Dalapagarapa.

Galeno Amorim, que entre outras funções presidiu a Fundação Biblioteca Nacional e atualmente é diretor geral do Observatório do Livro e da Leitura, observou que o país está prestes a protagonizar uma verdadeira revolução a partir da leitura digital. A internet, segundo ele, deve popularizar — e facilitar — a distribuição de livros no país, especialmente para estudantes. Ele citou como exemplo o projeto “Árvore de Livros”, uma biblioteca on-line que permite o empréstimo de e-books (livros digitais).

Logo em seguida, debateram Hélvio Tamoio, Luiz Felipe Nunes e Sérgio de Mello. Hélvio defendeu que o jornalismo tem uma função social importante para a comunidade, mas ponderou que os veículos de comunicação devem desempenhar sua função com ética. “[O jornalismo] é uma relação de conflito”, afirmou. 

Sem citar especificamente o nome de veículos de comunicação de cidade, o prefeito Sérgio de Mello reclamou que a falta de ética de órgãos da imprensa que se comportam como partido político impede que a população receba informação de qualidade. Nesse momento, o descontraído Hélvio brincou com Mello. “Meu amigo, esqueça, eles nunca vão falar bem de você”, disse. 

Luiz Felipe, que também edita um jornal na cidade de Monte Alto, afirmou que “ouvir o outro lado é questão básica” no dia a dia de qualquer jornalista minimamente sério.

À tarde, os debates foram promovidos pelo jornalista Renato Rovai, pelo produtor cultural Fernando Kaxassa, pelo ator Sérgio Mamberti e pelo o produtor executivo do grupo Teatro Mágico Gustavo Anitelli. 

Rovai destacou que os meios de comunicação estão em fase de transformação importante, criando “um espaço de autonomia e de construções coletivas de informação”, especialmente em função da ruptura do monopólio provocada pela internet. 

“A comunicação não pode ser mais cartelizada, ficando nas mãos de poucos. Temos o direito de nos comunicar, de refletir sobre a nossa condição, sobre as nossas bandeiras, a partir da nossa realidade”, afirmou Rovai. 

Já Fernando Kaxassa destacou o projeto de popularização do Cine Caium, em Ribeirão Preto, que hoje recebe caravanas de estudantes e mantém sessões gratuitas e/ou de baixo custo abertas ao público. Falou da importância da cultura como ferramenta de difusão da informação. “Cinema é um dos veículos de comunicação mais importantes da nossa história”, afirmou ele.

Gustavo Anitelli destacou que a popularidade do grupo Teatro Mágico foi alcançado por vias alternativas, que utilizaram a internet e a criação de comunidades virtuais para divulgar o trabalho dos músicos. Hoje, a banda é uma das mais importantes do cenário da música popular brasileira.

O ator Sérgio Mamberti refletiu sobre a importância de se investir em cultura, como agente transformadora da realidade em que vivemos — ainda afirmou que “cultura é comunicação”. 

O 1º Fórum Regional de Comunicação atraiu representantes de 14 municípios da região. Foram eles: Barretos, Ribeirão Corrente, Guaíra, Monte Azul Paulista, Miguelópolis, Ariranha, Jaboticabal, Monte Alto, Rio de Janeiro, São Carlos, Ribeirão preto, Rincão, Colômbia e Pontal.

BIBLIOTECA VIRTUAL 

Durante o ForCom Guaíra assinou o convênio para receber a Biblioteca Digital, Árvore de Livros, que disponibilizará, num primeiro momento, 1.000 títulos de livros virtuais para empréstimo ao público. A ideia é aumentar o acervo conforme a demanda, criando em médio prazo a oportunidade para os autores locais incluírem suas peças no acervo, que pode ser acessado de qualquer lugar, e mais, com remuneração de acordo com o número de downloads. O tema exposto por Galeno Amorim interessou muito ao público por beneficiar leitores e autores.

O Consórcio Culturando vai anunciar em breve a proxima cidade que vai receber o ForCom 2015. Guaíra é só notícia boa!

Fotos:

ForCom (17)

ForCom (16)

ForCom (14)

ForCom (8)

ForCom (10)

ForCom (12)

ForCom (13)

ForCom (2)

ForCom (3)

ForCom (4)

ForCom (5)

ForCom (6)

ForCom (1)

Publicidade:
Anterior Projeto Reviva o Óleo doa 100 litros de óleo para o Fundo Social
Próxima Agenda Esportiva da próxima semana