DARITON E RALPH

Dariton Souza de Barros e seu parceiro de pesquisa Ralph Diniz

O projeto experimental de conclusão de curso do estudante Dariton Souza rendeu reportagem no site da globo e participará XXII Prêmio Expocom 2015. O projeto já é um dos 5 melhores da Região Sudeste e se vencer o concurso vai disputar entre os melhores do país.

O Guairense, formando de jornalismo na Universidade de Franca, realizou uma pesquisa de um ano sobre Corpolatria, o culto ao corpo, e as consequências negativas  que a prática pode acarretar em diferentes tipos de pessoas, juntamente com o seu colega de classe, Ralph Diniz, de São Sebastião do Paraíso (MG) . O trabalho foi apresentado como projeto experimental para a conclusão do curso no ano passado.

Dariton e Ralph apresentaram artigo científico, monografia, documentário, programa de rádio, e uma exposição fotográfica com temas tabus, que vão desde a anorexia á gordofobia. O projeto foi muito elogiado pelos profissionais da área de comunicação, tendo a maior nota da turma.

Após isso, os jovens não imaginavam que o bom resultado do esforço da dupla resultaria em uma reportagem para o portal de notícias da Globo e a participação no XXII Prêmio Expocom 2015,  que será realizado em Uberlândia, nos dias 19 a 21 de junho. “Dá uma sensação de orgulho muito grande ter um trabalho divulgado por um dos melhores sites de notícia do país”. Isso mostra que foi realizado um ótimo projeto e que todo o esforço do ano valeu muito a pena”, afirma o guairense.

Trabalho que será  apresentado ao XXII Prêmio Expocom 2015, que será realizado em Uberlândia, nos dias 19 a 21 de junho, Categoria Produção Transdisciplinar, Modalidade Projeto de Comunicação Integrada (avulso).

Nesse caso serão todos os trabalhos realizados (Vídeo-documentário, um programa de rádio, um ensaio fotográfico artístico, uma ferramenta de comunicação digital – fanpage –, um infográfico e um projeto de assessoria de imprensa)

O projeto de comunicação integrada teve como principal abordagem o tabu da corpolatria (culto exagerado ao corpo), foram criados produtos midiáticos que abrangem os mais diversos meios de comunicação. Os produtos são variados de modo a atingir pessoas de diversos grupos sociais, deixando as informações diversificadas. Um vídeo-documentário, um programa de rádio, um ensaio fotográfico artístico, uma ferramenta de comunicação digital – fanpage –, um infográfico e um projeto de assessoria de imprensa que discutiram, principalmente, as consequências desse culto exagerado ao corpo e, ao mesmo tempo, fizeram uma crítica a essa pressão exercida por um padrão de beleza, que, na maioria das vezes, é inalcançável pela maioria das pessoas.

É uma verdadeira “ditadura da beleza”, que gera insatisfação com a imagem corporal e aumenta a procura por formas inadequadas para atingir a magreza tão desejada, seja com dietas e remédios milagrosos até os transtornos alimentares mais graves – ligados a doenças como anorexia e bulimia nervosas, que são, muitas vezes, associadas a esse padrão máximo de magreza veiculado pela mídia.

Sendo assim, o presente trabalho teve, como objetivo central, fomentar a discussão da corpolatria para mostrar como a perseguição pelo corpo perfeito pode ser nociva à saúde física e mental. É necessário compreender que a busca incessante por um tipo de corpo que não condiz com a realidade do indivíduo pode ser fatal.

A justificativa para o projeto de comunicação integrada encontra respaldo nos dados e pesquisas que atestam crescente da insatisfação com o corpo e aumento dos transtornos alimentares nos últimos anos.

Tendo em vista os temas abordados, o desenvolvimento do trabalho e as hipóteses levantadas, entende-se que, de maneira geral, a corpolatria configura-se como um assunto contemporâneo que emerge das demandas sociais e influencia na formação e afirmação da identidade do ser humano. Pode-se perceber, ainda, que o indivíduo busca nesses dogmas a necessidade de atender não aos seus anseios, mas os desejos da sociedade em que ele está inserido. Para ser aceito em um grupo social, precisa preencher os requisitos impostos pelos padrões de beleza.

“Nós ficamos muito felizes, pelo destaque positivo que o projeto comunicacional teve, seja na Universidade entre os professores, como também entre os profissionais de comunicação que nos aprovaram, agora é torcer muito para que nosso trabalho seja premiado no EXPOCOM para fechar com chave de ouro esse grande projeto”, ressalta Dariton.

O jovem ainda destaca o apoio que recebeu de pessoas do município. “Não posso esquecer de agradecer todos aqueles que nós ajudaram, seja aqui em Guaíra, Franca e São Sebastião do Paraíso e ao meu grande amigo e parceiro Ralph Diniz, sem essas pessoas nada disso teria sido realizado. Com certeza estamos gerando frutos positivos para nossas cidades. “Nossa intenção é continuar com o trabalho, mesmo depois da entrega e da formatura, temos a intenção de ajudar outras pessoas usando os exemplos que conseguimos para este documentário e para mostra fotográfica”, concluiu o jornalista  Dariton Souza.

Todo o projeto foi concebido e executado no decorrer do ano de 2014, como parte do Projeto Experimental desenvolvido no último ano do Curso de Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo para conclusão da graduação.