QUEIJOS E CERVEJA, COMBINAÇÃO IMPROVÁVEL QUE DÁ CERTO

Com esse friozinho de inverno, as preferências gastronômicas mudam, e optamos por degustar pratos típicos desta época, delícias que esperamos o ano inteiro pela oportunidade de saborear.

queijos e cerveja

Os queijos finos, muito comuns nas degustações de inverno, têm uma aliada perfeita para realçar o seu sabor, a cerveja. A bebida preferida do brasileiro não acompanha só petiscos de buteco no verão, ela é a pedida perfeita para harmonizações com diversos tipos de queijo. O beer sommelier Tulio Rodrigues explica que cervejas típicas de inverno, mais encorpadas, são ideais paraserem degustadas também no ‘friozinho’.

Apesar do vinho ser mais conhecido para essa harmonização, na verdade as propriedades da cerveja são mais favoráveis para ampliar o sabor do queijo. A carbonatação (o que dá o “gás” da cerveja) ativa e estimula as papilas gustativas da língua, acentuando os complexos sabores dos queijos. Também tem o poder de cortar a gordura dos queijos que cobre as papilas gustativas, preparando a boca para os próximos sabores.

Além da variabilidade da bebida, que permite muitas combinações. “A cerveja é uma bebida extremamente versátil, por isso, sempre vai existir um estilo de cerveja para cada tipo de prato”, resume Tulio Rodrigues.

Não só deliciosa, quando não há abusos, essa harmonização também pode beneficiar a saúde.Por ser produzida a partir de ingredientes naturais, como a cevada e o lúpulo, a cerveja possui boas quantidades de antioxidantes, substancias que protegem o organismo contra a ação de radicais livres e favorecem a saúde de maneira geral. Associada ao seu baixo teor de álcool, que é o menor entre as bebidas, essas propriedades contribuem para prevenção de algumas doenças, como as cardoivasculares, por exemplo.

Já os queijos, são alimentos representantes do grupo dos lácteos, ou seja, oferecem boas quantidades de cálcio e proteínas, nutrientes essenciais dentro de uma alimentação equilibrada. Por conter uma quantidade considerável de gordura na maioria dos casos, a dica é apenas não exagerar nas porções e apreciar o petisco com equilíbrio e moderação.

Queijo de mofo branco e Fruit Lambic

Com textura aveludada e casca macia os queijos de mofo branco tem como caracteristica serem bastante cremosos por dentro, como o brie. “Estes queijos podem ser degustados acompanhados de uma cerveja Fruit lambic que nos faz lembrar as clássicas combinações de queijos com geléias de frutas (cereja e framboesa), só que com mais acidez”, explica Túlio. Essa acidez é importante para equilibrar a gordura do queijo.

Gruyere/Gouda e Bock

O queijo Gruyere, tem sabor frutado no início e mais acentuado de nozes no seu final. Túlio sugere uma cerveja mais maltada “O ideal é harmonizar com uma cerveja Bock que tem um pronunciado sabor de malte”. O queijo Gouda que também tem as mesmas características básicas do Gruyère, combina muito bem com essa cervejas de sabor forte.

Queijo duro e Porter/Stout

A cervejas com toques adocicados e com maior potência alcoólica são ideais para equilibrar o sal e a gordura de queijos duros, como o parmesão. Cervejas bem tostadas e encorpadas, como uma Porter até uma Imperial Stout, pois o sal combina muito bem com esses sabores de torrefação.

Azuis envelhecidos e IPA

Com sabores mais complexos, com o sal sobressaindo e uma certa picância por conta do tipo de maturação, esses potentes queijos harmonizam com cervejas também muito potentes. “Uma IPA com lúpulos fortes reforça a suas qualidades e sabores. O ingrediente  natural da cerveja ajuda a equilibrar e limpar o paladar”, explica o beer sommelier.

Publicidade:
Anterior Festa do Peão de Barretos: Competições de Três Tambores e Team Penning estão com inscrições abertas
Próxima Dono de loja de suplementos é preso com anabolizantes em Guaíra, SP