Programação da Rede Globo/EPTV para o período de 02 a 08 de Abril de 2016

Resumo de novelas, sinopse de filmes e todo cronograma do canal

COMO SERÁ

A partir deste sábado, dia 2, e pelos próximos meses, o espírito olímpico vai bater ponto nas manhãs da Globo, no ‘Como Será?’, com a estreia da série ‘Atrás da Medalha’.

Nela, jovens atletas e paratletas promissores em diferentes modalidades contam suas trajetórias e apresentam o professor ou projeto social que esteve por trás do início da carreira. O primeiro episódio conta a história de Sarah Santos, do atletismo. Ela pratica esportes desde os nove anos e sempre teve apoio da mãe. O professor Arnaldo de Oliveira foi quem incentivou Sarah a começar a treinar profissionalmente quando, em 2007, ele fundou o projeto Futuro Olímpico e convidou a menina para treinar com ele. Hoje, ela reconhece que foi um passo fundamental para seu desenvolvimento como atleta. Sarah foi campeã juvenil dos 400m rasos e ficou em terceiro lugar no campeonato sul-americano em 2013, ano que ela considera divisor de águas na sua vida.

Em 2007, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu que 2 de abril é o Dia Mundial de Conscientização do Autismo. Para falar sobre como esta síndrome deve ser encarada nas crianças, Sandra Annenberg recebe a psiquiatra da Infância e Adolescência, Rosa Magaly Morais. Ela fala sobre diagnóstico, tratamentos e sobre como a família deve lidar com a condição. Para Rosa, é importante que os pais se informem sobre o autismo, já que a síndrome não tem tratamento com medicação, mas terapias ocupacionais podem melhorar o trabalho sensorial do autista.

A homossexualidade é o tema deste sábado da série ‘Amor Animal’*, produzida pela BBC. O episódio mostra um casal de pinguins que se tornou celebridade no zoológico onde vivem, na Alemanha. Juntos há 10 anos, eles deixaram os pesquisadores intrigados por não terem se reproduzido. Até que um teste de DNA revelou que ambos são machos. A ligação entre eles é tão forte que todos os anos eles faziam ninhos, esperando por um ovo. Até que, um dia, um ovo rejeitado por outro casal foi colocado no ninho deles. Eles adotaram o filhote e formam uma família feliz com os dois pais dividindo a responsabilidade pelo filhotinho. O episódio também vai mostrar uma ilha no Havaí habitada por inúmeros casais de albatrozes fêmeas.

Sandra também conversa no estúdio com o produtor cultural e jogador de basquete Wanderson Geremias, o WG, que comanda o projeto Cultura na Cesta, no Cesarão, comunidade na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O projeto, que oferece aulas de basquete para crianças, existe desde 2005, mas WG percebeu que os jovens tinham dificuldade de socializar, apesar de garantirem boas notas na escola. Ele explica como resolveu inovar: começou a reunir os alunos junto com professores de poesia antes das aulas e, a partir daquele dia, cada um teria que ler uma poesia antes de entrar em quadra. Será que caneta e bola, juntos, teriam potencial transformador?

O ‘Como Será?’ vai a Belo Horizonte desvendar segredos e curiosidades dos botequins no quadro ‘Hoje é dia de… comida de boteco’. Para contar a história deste tipo de estabelecimento no Brasil, Alexandre Henderson visita o tradicional Bar do Zezé, cuja origem familiar se confunde com a chegada dos botecos ao Brasil. No Mercado Municipal, o apresentador é guiado pelo idealizador do concurso Comida di Buteco, Eduardo Maya, por um tour pelas barracas, suas cores, temperos e aromas. Alexandre também conhece uma banda de samba e bossa nova que se formou há 15 anos em um botequim e lança um desafio: os músicos devem lembrar canções com comidas ou ingredientes em suas letras. Por fim, ele encarna um papel imprescindível nos botecos: o do garçom.

+MAIS CAMINHOS

O cenário do Mais Caminhos deste sábado (02) está cheio de histórias. Pedro Leonardo e Aline Lima apresentam o programa na Fazenda Santa Gertrudes, localizada na cidade de mesmo nome, que fica na região de São Carlos – SP. Fundada há mais de 160 anos, o lugar chama a atenção pela preservação de seus jardins e construções inspiradas na arquitetura francesa.

No quadro Segredos da Cozinha, Fernando Kassab foi bater um papo com quem entende de culinária italiana e traz dicas imperdíveis. Um especialista da cidade de Araraquara (SP) conta os segredos para preparar massas e recheios da forma mais tradicional.

Tem muito amor envolvido no quadro Meu Pet É O Bicho! A repórter Edlaine Garcia vai falar sobre um assunto que tem ajudado muitos animais a sair das ruas: a adoção! Tem gente que não mede esforços para ajudar os cachorros e gatos abandonados, e tem contribuído muito para a vida desses bichos dando carinho e um lar.

Você já pensou em construir o seu próprio carro dos sonhos? O repórter Daniel Perondi foi conhecer um engenheiro que construiu um Porsche na garagem de sua casa. Para conhecer melhor os detalhes essa história, confira no quadro Minha Amada Cilindrada.

O Pedro vai participar de um casamento bem diferente. Os noivos são apaixonados por sertanejo e decidiram comemorar esta data especial no estilo country! Teve cavalgada, botina e touro mecânico – uma verdadeira festa de peão com uma galera muito animada!

E para encerrar o programa, Pedro Leonardo e Aline Lima batem um papo bem descontraído com Manu Gavassi, cantora que já participou de Malhação e agora investe no mais novo trabalho com suas músicas no estilo pop, que tem conquistado muita gente.

O Mais Caminhos vai ao ar neste sábado, às 8h, na EPTV!

TERRA DA GENTE

O Terra da Gente de sábado (02/04) desbrava as riquezas de Águas de Lindoia, uma das nove cidades do Circuito das Águas no interior de São Paulo. Na Mata do Brejal e no Morro Pelado, a fauna e a flora se mostram às câmeras em suas peculiaridades. Plantas com propriedades medicinais, capuchinha, orelha-de-lebre e ora-pra-nóbis são os ingredientes de uma salada nutritiva. No rio Teles Pires, no Mato Grosso, o Terra da Gente se aventura na companhia do dentista Bruno Vitale Marchini, que mudou de vida graças à paixão pela pescaria. Na Hora do Rancho, uma lasanha fria acompanhada de molho rosé com um toque especial.

Os tesouros das águas

O Terra da Gente vai ao interior paulista para desbravar as riquezas de Águas de Lindoia, cidade que abriga 240 nascentes. Na Mata do Brejal, extensa área de Mata Atlântica, o repórter Eduardo Lacerda encontra algumas das 250 espécies de aves que ocorrem na região, além do ameaçado sagui-da-serra-escuro. No Morro Pelado, ponto mais alto da cidade, a paisagem se modifica, mas não deixa de abrigar os bichos, como o canário-rasteiro.

Salada medicinal

O repórter Eduardo Sozo aprende a preparar uma salada à base de plantas com propriedades medicinais. A receita leva como ingredientes a capuchinha, considerada um antibiótico natural, a orelha-de-lebre, usada para combater problemas respiratórios, e a curiosa ora-pro-nóbis, planta rica em vitaminas, minerais e proteínas.

Pesca no rio Teles Pires

A equipe do Terra da Gente vai ao Norte do Mato Grosso em busca dos gigantes do rio Teles Pires. Quem acompanha nossos repórteres na aventura é Bruno Vitale Marchini. O dentista mudou radicalmente o estilo de vida em função da paixão pela pesca. Logo nos primeiros arremessos os peixões começaram aparecer. Tesouros com mais de 20 quilos exigiram esforço e muito trabalho em conjunto do time.

Lasanha fria

A Hora do Rancho traz uma releitura de um prato clássico, a lasanha. Você vai aprender a fazer uma lasanha fria com ingredientes leves que ganham ainda mais sabor com o acompanhamento de um molho especial que leva canela. O prato é fácil e rápido de fazer e serve até seis pessoas.

ALTAS HORAS

Nada melhor do que um vilão ardiloso para deixar uma novela ainda mais interessante. Mas, como em toda história, cada antagonista tem suas características. Carminha, de ‘Avenida Brasil’ (2012), e Laerte, de ‘Em Família’ (2014) são opostos: ela, enérgica; ele, contraditório. Neste sábado, dia 2, a arena ‘Altas Horas’ recebe os atores Adriana Esteves e Gabriel Braga Nunes, os intérpretes desses vilões que sacudiram o horário nobre da Globo. Para a trilha sonora da noite, a Bahia e a Califórnia se revezam para colocar todo mundo para dançar: o grupo Alavontê traz hits do axé e os norte-americanos do Vintage Trouble mostram as nuances do rock clássico.

Em sua estreia no programa, Adriana Esteves é ovacionada pelos fãs presentes na plateia. Seu currículo de vilã vai além de Carminha. “A Sandrinha (‘Torre de Babel’, de 1998) era jovem, então, ela cresceu e se transformou na Carminha”, brinca a atriz. Em meio à conversa com o apresentador Serginho Groisman, ela também relembra a participação especial como Nazaré, na primeira fase de ‘Senhora do Destino’ (2004). Mas o grande destaque na carreira de Adriana é mesmo a personagem de ‘Avenida Brasil’. Gabriel Braga Nunes, ao lado dela, elogia a atuação da atriz: “A Adriana sapateou nesse papel. Nós, como atores, sempre buscamos esse grau de envolvimento que o personagem oferece”.

Por trás da simpatia, o ator também recruta um time de vilões durante a trajetória na profissão. O último, Laerte, tinha um toque de contraste nas atitudes que desafiaram Gabriel Braga Nunes. Serginho ainda lança a questão da relação do público com os antagonistas e a dupla confirma o carinho – até mesmo a torcida pelos vilões. O assunto envolve os convidados, que se divertem ao se imaginarem contracenando juntos: “Seriam os vilões que se odeiam!”, conclui Serginho.

“Eva” e “É o bicho” são duas das canções trazidas pelos baianos do Alavontê para o ‘Altas Horas’. O grupo, formado por compositores de sucesso do axé, convidam Durval Lelys para uma parceria. Além de cantarem juntos “Porto Seguro”, Durval recorda: “Esses caras são grandes parceiros, inclusive os primeiros ensaios foram realizados na minha casa!”. Do Lollapalooza para o ‘Altas Horas’, Ty Taylor, vocalista do Vintage Trouble, afirma que os integrantes do grupo estão encantados pelo Brasil e que gostariam de voltar outras vezes. Ao longo da noite, eles explicam as principais referências para o estilo musical e a banda garante elogios de Serginho Groisman e dos convidados pela energia transmitida em cada música, dentre elas, “Run like the river”, que faz Ty Taylor correr até o palco suspenso do outro lado do estúdio.

 O ‘Altas Horas’ vai ao ar aos sábados, após o ‘Zorra’.

PEQUENAS EMPRESAS & GRANDES NEGÓCIOS

Uma alternativa encontrada por profissionais independentes ou pequenos empresários para deixar a informalidade do home office sem ter de investir um alto valor em salas e escritórios é o coworking. Aluga-se uma mesa de trabalho, uma sala de reunião ou até um auditório, compartilhando seu uso com outras pessoas e reduzindo custos. Muitos desses lugares já existem nas grandes cidades, mas Fabio Uehara e Diogo Hayashi resolveram investir em um coworking de moda, uma espécie de ateliê compartilhado. No ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’ deste domingo, dia 3, eles revelam que o custo médio de um local como esse seria de R$ 50 mil, enquanto que, ali, o investimento feito por quem quer alugar o espaço é de apenas R$ 7 mil.

Algo que também segue nesse sentido é a economia circular, um conceito de sustentabilidade que procura resgatar o que seria descartado para ser utilizado novamente na cadeia produtiva. A empresária Claudia Schalka, por exemplo, recolhe cerca de 100 toneladas de tubos de pasta de dente por mês, por meio de doação de indústrias. Esse material, feito de alumínio e plástico, é transformado em placas e telhas, atualmente vendidas em 40 lojas de construção civil no país.

Quando o assunto é tecnologia, os celulares são praticamente itens de primeira necessidade. Por conta disso, alguns empreendedores buscam soluções relacionadas ao aparelho para fazer seu próprio negócio. No caso de Fabien Mendez, ele aproveitou as novas leis que regularizam a atividade do motoboy e a popularização dos smartphones, para criar um aplicativo de entrega rápida, que também está disponível no computador. A startup tem 2.500 motoboys cadastrados em São Paulo, ABC Paulista, Rio de Janeiro, Niterói, Belo Horizonte e Curitiba. Já Waldir Santos e o filho, Rafael Santos, queriam acabar com um problema recorrente: ficar sem bateria no aparelho. Assim, Waldir vendeu um apartamento e investiu R$ 400 mil no desenvolvimento de totens, em formato de armários, para carregar celulares. Hoje, são 140 armários alugados para shoppings, universidades e hospitais, em todo o Brasil. O serviço é gratuito, mas, em 2015, o faturamento foi de quase R$ 1,5 milhão. E os empresários já criaram mais um produto: um carregador portátil que, em menos de uma hora, abastece o celular. Para utilizá-lo, a pessoa vai ao balcão do shopping, deixa alguns dados pessoais e depois devolve o aparelho, tudo também sem custo.

Uma opção para quem quer ter um negócio, mas não tem muito capital para investir, é a microfranquia. Ela se assemelha à franquia convencional, porém é mais barata e costuma ter um retorno rápido. Outra saída é investir em algo que seria uma mera distração. Francisco Feijes mandou a história dele para o programa e explica que virou artesão por brincadeira, pois trabalhava como técnico de telefonia e começou a fazer peças com fio de cobre. O diretor da empresa em que ele trabalhava gostou e encomendou um lote do material para dar de brinde. A partir daí, Feijes se profissionalizou, fez curso de empreendedorismo, tirou o CNPJ e montou a oficina na própria casa. Hoje, ele fatura R$ 5 mil por mês com brindes artesanais de fios de cobre.

Com conhecimento na área farmacêutica, bioquímica e até de administração de recursos humanos, o empresário Júlio Maia abriu, há 40 anos, a primeira farmácia de manipulação em Natal, no Rio Grande do Norte. Ele precisava também entender de logística e conhecer fornecedores. Com ajuda do Sebrae, a empresa passou por um ajuste de gestão e de organização. Hoje, Maia tem uma rede com 77 farmácias em todo o Brasil. O empresário quer fazer novos parceiros, vender mais franquias e aumentar o faturamento, que, no ano passado, foi de R$ 21 milhões.

GLOBO RURAL

Depois de muito navegar pelas histórias do rio São Francisco, o ‘Globo Rural’ deste domingo, dia 3, apresenta a quarta e última parte do especial sobre ele e sua região. O destaque, agora, é para o baixo rio São Francisco a partir da região de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), seguindo pela divisa natural entre Alagoas e Sergipe até a foz no Atlântico. É ali que surge a figura do vaqueiro nordestino, tradição vinda do tempo em que o velho Chico era chamado “rio dos currais”, em razão de sua importância para o desenvolvimento da criação de gado no Nordeste. Lá estão ainda muitos traços de cultura de uma época mais distante, como cidades coloniais e igrejas antigas.

Alvo de polêmicas, a transposição do São Francisco também desperta muitas dúvidas e esperança em quem vive na região. A previsão é de que até o primeiro trimestre de 2017 já estejam em operação todos os canais da transposição. Apesar disso, há quem ainda não saiba o que vem pela frente. O baixo rio São Francisco conta também com várias hidrelétricas, destacando-se as de Paulo Afonso e Xingó. Embora sejam fontes de energia importantes, elas também são motivo de queixa daqueles que ficaram na parte abaixo das usinas. Além da diminuição da vazão da água, os moradores alegam que o rio, nessa área, tem menos nutrientes, o que impacta na população de peixes. Outra problemática é o avanço do mar sobre o rio, que tem salinizado a água e até submergido lugarejos.

Em meio a incertezas, o que fica do baixo rio São Francisco é sua arte, sua cultura e sua beleza.

O ‘Globo Rural’ vai ao ar aos domingos depois de ‘Pequenas Empresas & Grandes Negócios’.

CHAPA QUENTE

 ‘Chapa Quente’ aumenta o ritmo e a temperatura na segunda temporada com reviravoltas na trama envolvendo as relações e os dramas dos moradores fictícios de São Gonçalo, no Rio de Janeiro. As soluções que eles encontram para lidar com as adversidades dão o tom do humor, elevando ainda mais a temperatura. “Quem acompanhou o seriado no ano passado, percebeu que a trama era dinâmica. Este ano, as histórias voltam ainda mais aditivadas e com o elenco ainda mais afinado”, disse o roteirista final Cláudio Paiva, durante bate-papo com a imprensa, que aconteceu nesta quarta-feira, 30, na cidade cenográfica.

 Marcos Caruso estreia no seriado como o deputado Moacir, pai de Marlene (Ingrid Guimarães). A cabeleireira que passou a vida achando que era filha do homem que a criou, descobre que seu pai é, na verdade, um rico  político da região.  “Acho que nessa temporada, as questões familiares trazem ainda mais verdade para o texto. Há cenas muito emocionantes e, ao mesmo tempo, hilárias, que surgem desse reencontro entre pai e filha”, adiantou Ingrid Guimarães, que participou do encontro com todo elenco.

Mas, se Marlene reluta em aceitar o pai, Genésio (Leandro Hassum), seu marido, gosta da ideia de ter um sogro com potencial para investir no Jurema Hall, afinal de contas, a família aumentou com a chegada de Genezinho, filho do casal. A casa de shows passa por uma grande reforma e se transforma em um empreendimento promissor. “ O entrosamento de toda equipe só aumentou. Os personagens e cenários são muito bem desenhados e criados. Na segunda temporada, estamos chegando mais longe ainda”, contou Hassum. “Acho que Chapa está  mais maduro em todos os sentidos. As equipes estão ainda mais coesas. Toda a bagagem do primeiro ano foi fundamental para chegarmos neste conceito atual”, reforçou a diretora-geral Flávia Lacerda.

Dentro deste conceito, Marcos Caruso destacou a linguagem que a diretora imprime no seriado: “Temos aqui um processo mais artesanal e a Flávia está me ensinando muito. Ela tem um olhar muito próximo do cinema, que me surpreende a cada gravação, apesar de fazer comédia desde o início da minha carreira”, revela o ator que já entra na história desestruturando relações e fazendo outras novas, como  seu envolvimento com Celma (Thalita Carauta).  A personagem volta ainda mais provocativa e interferindo na vida dos casais, especialmente Genésio e Marlene. “Acho que  a Celma tem essa função de acentuar os conflitos, de uma forma exagerada, intensa”, enfatizou a atriz.

As confusões amorosas não param por aí. Bigode (Lúcio Mauro Filho) e Josy  (Renata Gaspar), têm seu casamento constantemente ameaçado também por Celma e Godzila (Paulo Américo), ex-noivo da manicure. Já Fran (Tiago Abravanel) descobre que seu affair  seria perfeito não fosse um detalhe: a esposa.

‘Chapa Quente’ tem roteiro final de Cláudio Paiva e Márcio Wilson e direção geral de Flávia Lacerda. Com estreia prevista para 07 de abril, a segunda temporada do seriado vai ao ar nas noites de quinta, após ‘Velho Chico’.

PROGRAMAÇÃO DE FILMES

SÁBADO, 02/04/2016

SUPERCINE

O SISTEMA

Título Original: The East

Nacionalidade: Americana

Ano de Produção: 2013

Diretor: Zal Batmanglij

Elenco: Brit Marling, Alexander Skarsgard, Ellen Page, Toby Kebbell

Classe: Drama

A funcionária de uma empresa de inteligência tem como tarefa se infiltrar em um misterioso grupo anarquista, conhecido por atacar grandes corporações. No entanto, sua lealdade é testada quando ela começa a apresentar sentimentos pelo líder do grupo. Cor. Inédito na TV Aberta.

CORUJÃO I

PEQUENO PROBLEMA, MEGA CONFUSÃO

Título Original: Fun Size

Nacionalidade: Americana

Ano de Produção: 2013

Diretor: Josh Schwartz

Elenco: Victoria Justice, Jackson Nicoll, Chelsea Handler, Josh Pence, Jane Levy, Thomas Mcdonell

Classe: Comédia

Wren é uma jovem sarcástica que não vê a hora de deixar a família para trás e entrar na faculdade. Entretanto, ela precisa cuidar do irmão caçula, Albert, em plena noite do dia das bruxas. Ela não gosta da tarefa, mas acaba cumprindo-a por ordem de sua mãe, Joy. Só que, em meio às visitas para pegar gostosuras, Wren se distrai ao ser convidada para a festa do ano e Albert simplesmente desaparece. Desesperada, Wren conta apenas com a ajuda de April, sua melhor amiga, para encontrar o irmão antes que sua mãe descubra o que aconteceu. Cor.

CORUJÃO II

O FANTÁSTICO SR. RAPOSO

Título Original: Fantastic Mr. Fox

Nacionalidade: Americana

Ano de Produção: 2009

Diretor: Wes Anderson

Classe: Aventura

O senhor e a senhora Raposo vivem felizes com seu único filho desde que o Sr. Raposo prometeu a esposa que não roubaria mais galinhas. Só que o Sr. Raposo cai em tentação e planeja o maior roubo que o mundo animal já viu. Sua ousadia cobra seu preço, e ele vai ter que lutar contra fazendeiros enfurecidos que querem proteger seus galinheiros a qualquer custo. Cor. Inédito na TV Aberta.

DOMINGO, 03/04/2016

TEMPERATURA MÁXIMA

PRÍNCIPE DA PÉRSIA – AS AREIAS DO TEMPO

Título Original: Prince of Persia: The Sands of Time

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2010

Diretor: Mike Newell

Elenco: Jake Gyllenhaal, Gemma Arterton, Ben Kingsley, Alfred Molina, Richard Coyle, Toby Kebbell

Classe: Aventura

Pérsia, idade média. Dastan é um jovem príncipe, que ajuda o irmão a conquistar uma cidade. Lá, ele encontra uma estranha e bela adaga, que possui o poder de fazer seu portador viajar no tempo. Só que Dastan é vítima de um  golpe. Incriminado injustamente pela morte do pai, o rei Sharaman, ele passa a ser perseguido como assassino e vive uma grande aventura enquanto luta para provar sua inocência. Cor.

DOMINGO MAIOR

12 ROUNDS 2

Título Original: 12 Rounds: Reloaded

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2013

Diretor: Roel Reine

Elenco: Randy Orton, Tom Stevens, Brian Markinson, Venus Terzo, Cindy Busby

Classe: Ação

O simpático bombeiro Nick Malloy será alvo de um enigmático psicopata que o fará passar por vários desafios. Quando Sarah, a  esposa de Nick começa a ser ameaçada, o bombeiro terá que deter o criminoso para manter sua família a salvo. Cor.

SESSÃO DE GALA

O ÚLTIMO DANÇARINO DE MAO

Título Original: Mao’s Last Dancer

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2009

Diretor: Bruce Beresford

Elenco: Bruce Greendwood,Kyle Maclachlan, Joan Chen

Classe: Drama

China, durante a Revolução Cultural implementada por Mao Tsé Tung. Aos 11 anos Lin Cunxin (Wen Bing Huang/Chengwu Guo/Chi Cao) foi escolhido para deixar sua família de camponeses e estudar balé em Pequim. Em 1979, durante uma visita ao Texas, nos Estados Unidos, ele se apaixona por uma mulher local. Dois anos depois, ele se torna o principal dançarino do Houston Ballet e também o principal artista do Australian Ballet. Cor. Inédito na TV Aberta.

SEGUNDA-FEIRA, 04/04/2016

SESSÃO DA TARDE

VOCÊ NÃO PODE BEIJAR A NOIVA

Título Original: You May Not Kiss the Bride

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2011

Diretor: Rob Hedden

Elenco: Dave Annable, Katharine McPhee, Rob Schneider, Mena Suvari, Kathy Bates, Ken Davitian

Classe: Comédia

Bryan é obrigado a casar com a filha de um gangster croata para que ela consiga a cidadania americana, mas o “sogro“ ordena que nada deve acontecer entre eles. A situação piora quando a noiva é raptada na lua de mel, e Bryan deve resgatá-la antes que o sogro descubra e o deixe em pedaços. Cor.

TELA QUENTE

FÚRIA

Título Original: Tokarev

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2014

Diretor: Paco Cabezas

Elenco: Nicolas Cage, Max Fowler, Michael McGrady, Rachel Nichols, Max Ryan, Peter Stormare

Classe: Ação

Paul Maguire, um ex-vigarista, busca encontrar os sequestradores de sua filha para evitar que seu passado criminoso seja revelado. Cor. Inédito na TV Aberta.

CORUJÃO I

RELAÇÃO PERIGOSA

Título Original: HeavenPond

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2003

Diretor: Joel Viertel

Elenco: Meredith Baxter, Dan Gunther, Kip Pardue, Tara Reid

Classe: Drama

O que começa como uma romântica lua de mel em uma ilha deserta se transforma em um horrível pesadelo quando Julianne descobre que seu novo marido é psicótico. Quando ficam presos na ilha, ela percebe que ele não tem planos de retornar à civilização, nem de deixá-la voltar. Cor. Inédito na TV Aberta.

TERÇA-FEIRA, 05/04/2016

CORUJÃO I

ESCOLA DE ROCK

Título Original: The School of Rock

País de Origem: Alemã/Americana

Ano de Produção: 2003

Diretor: Richard Linklater

Elenco: Jack Black, Adam Pascal, Joan Cusack, Lucas Papaelias, Chris Stack, Sarah Silverman

Classe: Comédia

Dewey Finn é um músico que acaba de ser demitido de sua banda. Cheio de dívidas para pagar, ele aceita dar aulas como professor substituto em uma escola particular de disciplina rígida. Logo, Dewey se torna um exemplo para os alunos, que se juntam ao professor para montar uma banda local. Cor.

QUARTA-FEIRA, 06/04/2016

SESSÃO DA TARDE

QUANDO EM ROMA

Título Original: When In Rome

Nacionalidade: Americana

Ano de Produção: 2009

Diretor: Mark Steven Johnson

Elenco: Kristen Bell, Josh Duhamel, Anjelica Huston, Will Arnett, Jon Heder, Dax Shepard, Danny De VitoBeth Harper e uma bem-sucedida curadora de arte sem muita sorte no amor.

Em Roma para o casamento da irmã, ela conhece o charmoso repórter Nick e visita a Fontana D’amore, onde, em vez de jogar uma moeda como manda A tradição, decide roubar algumas que estavam no fundo. A partir de então vários homens passam a persegui-la dizendo-se apaixonados – inclusive Nick. Comédia. Cor

 CORUJÃO I

MISSÃO: MARTE

Título Original: Mission To Mars

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2000

Diretor: Brian De Palma

Elenco: Don Cheadle, Kim Delaney, Connie Nielsen, Jerry O, Tim Robbins, Gary Sinise

Classe: Aventura

Quando a primeira missão tripulada a Marte sofre um catastrófico e misterioso desastre, uma missão de salvamento é enviada para investigar a tragédia e trazer de volta possíveis sobreviventes. Cor.

QUINTA-FEIRA, 07/04/2016

SESSÃO DA TARDE

COMO PERDER UM HOMEM EM 10 DIAS

Título Original: How to Lose a Guy in 10 Days

País de Origem: Americana/Alemã

Ano de Produção: 2003

Diretor: Donald Petrie

Elenco: Kate Hudson, Matthew McConaughey, Kathryn Hahn, Annie Parisse, Adam Goldberg, Thomas Lennon

Classe: Comédia

Ben é um publicitário que aposta com o chefe que faz qualquer mulher se apaixonar por ele em 10 dias. Se conseguir, será o responsável por uma cobiçada campanha de diamantes. Andie é uma jornalista que, por causa de uma matéria, está decidida a infernizar a vida de qualquer homem que se aproximar. Os dois se conhecem em um bar e escolhem um ao outro como alvo de seus planos totalmente opostos. Cor.

CORUJÃO I

A HONRA DO PODEROSO PRIZZI

Título Original: PrizziHonor

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 1986

Diretor: John Huston

Elenco: William Hickey, Anjelica Huston, Robert Loggia, Jack Nicholson, John Randolph, Kathleen Turner

Classe: Comédia

A história de uma família mafiosa de Nova York chefiada pelo poderoso e velho Prizzi. Um de seus protegidos apaixona-se por uma contratada do grupo, assassina profissional, assim como ele. Oscar atriz coadjuvante. Cor.

SEXTA-FEIRA, 08/04/2016

SESSÃO DA TARDE

O AUTO DA COMPADECIDA

Título Original: O Auto da Compadecida

País de Origem: Brasileira

Ano de Produção: 1999

Diretor: Guel Arraes

Elenco: Matheus Nachtergaele, Selton Mello, Denise Fraga, Diogo Vilela, Marco Nanini, Fernanda Montenegro

Classe: Comédia

O esperto João Grilo e o sonso Chicó, dois sertanejos pobretões, passam a perna em um punhado de moradores de uma cidadezinha do Nordeste. Até que Grilo, depois de se defrontar com um temido cangaceiro, presta contas de seus atos a Cristo, ao demônio e a Nossa Senhora. O filme é baseado na obra de Ariano Suassuna. Cor.

CORUJÃO I

NO RASTRO DA BALA

Título Original: Running Scared

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2005

Diretor: Wayne Kramer

Elenco: Paul Walker, Cameron Bright, Vera Farmiga, Karel Roden, Johnny Messner, Ivana Milicevik

Classe: Ação

Quando uma ação contra policiais corruptos é mal-sucedida, Joey Gazelle fica encarregado de dar sumiço na arma que matou um deles. Mas tudo dá errado quando o menino que mora ao lado vê o local onde Joey esconde a arma e a usa para matar o padrasto malvado, fugindo após o disparo. Desesperado, Joey tenta encontrar o menino e recuperar a arma antes da polícia e da máfia. Cor.

EM MÁ COMPANHIA

Título Original: Bad Company

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2002

Diretor: Joel Schumacher

Elenco: Anthony Hopkins, Chris Rock, Matthew Marsh, Gabriel Macht, Kerry Washington, Adoni Maropis, Peter Stormare

Classe: Comédia

Após um agente morrer em plena ação, a CIA convoca seu irmão gêmeo para completar sua missão. Entretanto, ele é um malandro das ruas que não tem a menor ideia do que fazer na CIA, recebendo a ajuda de um agente mais experiente. Cor.

CORUJÃO II

TRON: O LEGADO

Título Original: Tron: Legacy

País de Origem: Americana

Ano de Produção: 2010

Diretor: Joseph Kosinski

Elenco: Jeff Bridges, Garrett Hedlund, Olivia Wilde, Bruce Boxleitner, James Frain, Beau Garrett, Michael Sheen

Classe: Ação

Sam, filho de 27 anos de Kevin Flynn, procura informações a respeito do desaparecimento do pai, quando se vê dentro do mesmo mundo de ferozes programas e jogos violentos em que seu pai tem vivido nos últimos 25 anos. Em parceria com sua leal confidente, pai e filho embarcam numa jornada de vida ou morte através de um universo cibernético deslumbrante, que se tornou muito avançado e perigoso. Cor.

GRADE DE PROGRAMAÇÃO

SÁBADO, 02/04/2016

06:00 – Como Será?  

08:00 – Mais Caminhos    

09:00 – É de Casa  

12:00 – Jornal da EPTV- 1ª Edição    

12:50 – Globo Esporte  

13:20 – Jornal Hoje  

14:04 – Terra da Gente    

14:50 – Estrelas  

15:45 – Caldeirão do Huck  

18:35 – Êta Mundo Bom!  

19:15 – Jornal da EPTV – 2ª Edição    

19:35 – Totalmente Demais  

20:30 – Jornal Nacional  

21:15 – Velho Chico  

22:10 – Big Brother Brasil 16  

22:35 – Amor & Sexo  

23:35 – Altas Horas  

01:20 – Supercine Filme:  O Sistema 

03:00 – Flash Big Brother Brasil  

03:10 – Corujão I Filme:  Pequeno Problema, Mega Confusão 

04:20 – Corujão II Filme:  O Fantástico Senhor Raposo

DOMINGO, 03/04/2016

05:55 – Santa Missa  

06:55 – Antena Paulista

07:20 – Pequenas Empresas & Grandes Negócios  

07:55 – Globo Rural  

08:50 – Esporte Espetacular  

12:00 – Fórmula 1  

13:50 – Temperatura Máxima Filme:  Príncipe da Pérsia – As Areias  do Tempo                                                     

16:00 – Futebol 2016Campeonato Paulista – Palmeiras x Corinthians 

18:00 – Domingão do Faustão  

21:00 – Fantástico  

23:15 – Big Brother Brasil 16  

00:00 – Planeta Extremo  

00:30 – Domingo Maior Filme:  12 Rounds 2 

02:05 – Flash Big Brother Brasil  

02:10 – Sessão de Gala Filme:  O Último Dançarino de Mao 

04:10 – Segredos do Paraíso  

SEGUNDA-FEIRA, 04/04/2016

05:00 – Hora Um  

06:00 – Bom Dia São Paulo

07.10 – Bom Dia Cidade   

07:30 – Bom Dia Brasil  

08:50 – Mais Você  

10:10 – Bem Estar  

10:50 – Encontro com Fátima Bernardes  

12:00 – Jornal da EPTV – 1ª Edição    

12:50 – Globo Esporte  

13:20 – Jornal Hoje  

14:00 – Vídeo Show  

15:05 – Sessão da Tarde Filme:  Você Não Pode Beijar a Noiva 

16:35 – Vale a Pena Ver de Novo – Anjo Mau  

17:45 – Malhação: Seu Lugar no Mundo  

18:25 – Êta Mundo Bom!  

19:10 – Jornal da EPTV – 2ª Edição    

19:30 – Totalmente Demais  

20:30 – Jornal Nacional  

21:15 – Velho Chico  

22:20 – Big Brother Brasil 16  

22:45 – Tela Quente Filme:  Fúria 

00:10 – Jornal da Globo  

00:45 – Balada Olímpica  

01:20 – Programa do Jô  

02:00 – 24 Horas – Viva um Novo Dia  

02:50 – Corujão I Filme:  Relação Perigosa 

04:00 – Segredos do Paraíso  

TERÇA-FEIRA, 05/04/2016

05:00 – Hora Um  

06:00 – Bom Dia São Paulo

07.10 – Bom Dia Cidade   

07:30 – Bom Dia Brasil  

08:50 – Mais Você  

10:10 – Bem Estar  

10:50 – Encontro com Fátima Bernardes  

12:00 – Jornal da EPTV – 1ª Edição    

12:50 – Globo Esporte  

13:20 – Jornal Hoje  

13:53 – Vídeo Show  

14:39 – Vale a Pena Ver de Novo – Anjo Mau  

15:45 – Futebol 2016 – Champions League – Barcelona x Atlético de Madrid    

17:40 – Malhação: Seu Lugar no Mundo  

18:20 – Êta Mundo Bom!  

19:10 – Jornal da EPTV – 2ª Edição    

19:25 – Totalmente Demais  

20:30 – Jornal Nacional  

21:15 – Velho Chico  

22:20 – Big Brother Brasil 16  

23:20 – Tá no Ar: a TV na TV  

23:50 – Jornal da Globo  

00:30 – Programa do Jô  

01:10 – 24 Horas – Viva um Novo Dia  

01:55 – Corujão I Filme:  Escola de Rock 

03:50 – Segredos do Paraíso  

QUARTA-FEIRA, 06/04/2016

05:00 – Hora Um  

06:00 – Bom Dia São Paulo

07.10 – Bom Dia Cidade   

07:30 – Bom Dia Brasil  

08:50 – Mais Você  

10:10 – Bem Estar  

10:50 – Encontro com Fátima Bernardes  

12:00 – Jornal da EPTV – 1ª Edição    

12:50 – Globo Esporte  

13:20 – Jornal Hoje  

14:00 – Vídeo Show

15:05 – Sessão da Tarde Filme:  Quando em Roma

16:35 – Vale a Pena Ver de Novo – Anjo Mau  

17:50 – Malhação: Seu Lugar no Mundo  

18:25 – Êta Mundo Bom!  

19:10 – Jornal da EPTV – 2ª Edição    

19:30 – Totalmente Demais  

20:30 – Jornal Nacional  

20:55 – Velho Chico  

21:45 – Futebol 2016 –  Taça Libertadores – Santa Fé (Col) x Corinthians

23:45 – Profissão: Repórter  

00:30 – Jornal da Globo  

01:05 – Programa do Jô  

01:50 – 24 Horas – Viva um Novo Dia  

02:35 – Corujão I Filme:  Missão: Marte 

04:15 – Segredos do Paraíso  

QUINTA-FEIRA, 07/04/2016

05:00 – Hora Um  

06:00 – Bom Dia São Paulo

07.10 – Bom Dia Cidade   

07:30 – Bom Dia Brasil  

08:50 – Mais Você  

10:10 – Bem Estar  

10:50 – Encontro com Fátima Bernardes  

12:00 – Jornal da EPTV – 1ª Edição    

12:50 – Globo Esporte  

13:20 – Jornal Hoje  

14:00 – Vídeo Show  

15:05 – Sessão da Tarde Filme:  Como Perder um Homem em 10 Dias

16:40 – Vale a Pena Ver de Novo – Anjo Mau  

17:40 – Malhação: Seu Lugar no Mundo  

18:20 – Êta Mundo Bom!  

19:05 – Jornal da EPTV – 2ª Edição    

19:25 – Totalmente Demais  

20:30 – Programa Político-Partidário  

20:35 – Jornal Nacional  

21:20 – Velho Chico  

22:20 – Chapa Quente  

23:05 – Pé na Cova  

23:45 – Jornal da Globo  

00:25 – Programa do Jô  

01:05 – 24 Horas – Viva um Novo Dia  

01:50 – Corujão I Filme:  A Honra do Poderoso Prizzi 

03:55 – Segredos do Paraíso  

SEXTA-FEIRA, 08/04/2016

05:00 – Hora Um  

06:00 – Bom Dia São Paulo

07.10 – Bom Dia Cidade   

07:30 – Bom Dia Brasil  

08:50 – Mais Você  

10:10 – Bem Estar  

10:50 – Encontro com Fátima Bernardes  

12:00 – Jornal da EPTV – 1ª Edição    

12:50 – Globo Esporte  

13:20 – Jornal Hoje  

14:00 – Vídeo Show  

15:07 – Sessão da Tarde Filme:  O Auto da Compadecida

16:41 – Vale a Pena Ver de Novo – Anjo Mau  

17:43 – Malhação: Seu Lugar no Mundo  

18:20 – Êta Mundo Bom!  

19:08 – Jornal da EPTV – 2ª Edição    

19:28 – Totalmente Demais  

20:30 – Jornal Nacional  

21:15 – Velho Chico  

22:22 – Globo Repórter  

23:14 – Jornal da Globo  

23:52 – Programa do Jô  

00:32 – 24 Horas – Viva um Novo Dia  

01:51 – Corujão I Filme:  No Rastro da Bala 

                                     Em Má Companhia

03:48 – Corujão II Filme:  Tron: O Legado 

Sinopses da semana de 04 a 09 Abril de 2016

ATENÇÃO: OS RESUMOS DOS CAPÍTULOS ESTÃO SUJEITOS A MUDANÇAS EM FUNÇÃO DA EDIÇÃO DAS NOVELAS

MALHAÇÃO: SEU LUGAR NO MUNDO  

Capítulo 164

Rodrigo revela à família que Rodriguinho pode ser filho de Samurai, e Ana exige que Ciça faça um exame de DNA na criança. Camila grava um depoimento sobre a relação com Henrique e Marisa desaprova. Flávia descobre que o namoro de Luciana e Rodrigo está em crise. Ciça se nega a fazer o exame de DNA e afirma que Samurai é perigoso. Krica decide se afastar de Glauco e Cleiton. Ciça chantageia a família de Ana e Miguel. Luan e Jéssica passam tempo juntos. Miguel expulsa Ciça e Rodriguinho de casa.

Capítulo 165

Ciça deixa a casa de Miguel e Ana repreende o marido. Ciça procura abrigo no hostel e afirma a Tito que ele não conhece Samurai. Uodson tenta se enturmar com os primos de Alina. Luciana procura Rodrigo. Uodson desconfia da relação entre Valentim e Alina. Roger se nega a participar do plano de Flávia para afastar Luciana de Rodrigo. Marisa revela a Camila que os pais permitiram que ela continue no Leal Brazil, mas exigem que a menina retire o depoimento da internet. Tito afirma a Rodrigo que João era um traficante.

Capítulo 166

Rodrigo briga com Tito, e Luciana tenta acalmar os dois. Rodrigo discute com Luciana e Flávia aproveita para se aproximar do rapaz. Camila se recusa a tirar vídeo sobre Henrique da internet. Alina se irrita com os primos. Lívia vai à casa de Beto e percebe que Sandra convidou Vera para lanchar com eles. Alina se assusta com aproximação de Valentim. Samurai invade o quarto de Ciça. Jéssica conforta Luciana por causa do término do namoro com Rodrigo. Ana procura Ciça. Rodrigo questiona Samurai sobre João.

Capítulo 167

Samurai pede que Rodrigo marque uma reunião com a família. Ana tenta convencer Ciça a fazer o exame de DNA em Rodriguinho. Filipe fica contrariado ao ver que Nanda dirige melhor do que ele. Rodrigo recebe um aviso de cancelamento do show da banda, por causa do vídeo de Camila. Uodson se vinga dos primos de Alina. Luan e Jéssica sentem ciúmes um do outro, mas disfarçam. Cleiton e Glauco descobrem que Krica está procurando um novo amor. Samurai chega à casa de Ana e Miguel.

Capítulo 168

Samurai revela a história sobre Ciça e Rodriguinho para a família de Ana e Miguel. Rodrigo confronta Samurai sobre João, e o rapaz acaba confirmando que ele era um traficante. Glauco e Cleiton criam um perfil falso para falar com Krica em um site de relacionamentos. Filipe danifica a motocicleta de Samurai e teme não conseguir arcar com o conserto. Todos os integrantes da banda apoiam Henrique contra o preconceito de que o menino é alvo na internet. Ciça exige que Samurai desminta a história sobre João.

ÊTA MUNDO BOM!

Capítulo 67

Anastácia explica a Sandra que se aconselhou com Pancrácio porque ele é um homem sábio. Candinho e Pirulito acreditam que Pancrácio esteja apaixonado por uma mulher. Maria alerta Celso que deixará de amá-lo se estiver envolvido em um plano contra sua tia. Emma conhece Narcisa, mãe de Lauro. Sandra e Ernesto anunciam seu casamento. Severo afirma que dará dinheiro a Diana para que compre uma casa para sua mãe, e assim poderão se casar. Clarice questiona Vermelho sobre a noite em que Filomena foi dopada. Chega o dia do casamento de Dita e Quincas. O detetive Jack retorna à cidade. Anastácia sugere que Sandra convide a família de Cunegundes para seu casamento. Jack garante a Anastácia que Ernesto e Sandra já se conheciam.

Capítulo 68

Sandra e Ernesto despistam Anastácia, que dispensa os trabalhos de Jack. Dita e Quincas se casam, e Cunegundes fica desolada. Sarita ajuda Romeu a comprar presentes para Cunegundes. Romeu se incomoda ao ver Olga com Fábio. Emma comenta com Osório que Romeu não gasta seu dinheiro de forma responsável. Sandra vê Maria conversando com Jack e sugere a Ernesto que tirem o detetive de vez de seu caminho. Alice ajuda Cláudio a se exercitar. Ernesto arma para que Jack seja internado em um hospício, e Maria desconfia. Severo comenta com Braz que deu parte de seu dinheiro a Diana. Zé dos Porcos e Mafalda se beijam.

Capítulo 69

Mafalda se arrepende de ter beijado Zé dos Porcos. Filomena afirma que Fragoso é somente seu amigo, e Paulina alerta o comendador. Clarice insiste para que Vermelho lhe conte a verdade sobre a bebida adulterada de Filomena. Candinho lamenta seu amor por Filomena. Araújo ajuda Sandra e Ernesto com os preparativos para o casamento. Sutilmente, Ernesto ameaça Maria. Celso obriga Sandra a assinar uma nota promissória e a guarda em um cofre. Celso dá uma cópia da chave de seu cofre a Maria. Maria se aconselha com Pancrácio e revela ao professor que o nome do filho de Anastácia é Candinho.

Capítulo 70

Pancrácio conta a Maria que conhece o verdadeiro Candinho e afirma que levará seu amigo ao encontro de Anastácia. Zé dos Porcos sofre com o afastamento de Mafalda. Sarita provoca um acidente com o carro de Romeu. Braz pede que Diana encontre uma forma de tirar todo o dinheiro de Severo e promete se casar com ela. Anastácia convida Olímpia para ser madrinha de casamento de seu suposto filho. Pancrácio se aconselha com Pirulito sobre como comprovar a identidade do verdadeiro Candinho. Pancrácio garante a Maria que irá desmascarar Ernesto.

Capítulo 71

Pancrácio afirma que tem um plano contra Ernesto e pede que Maria tome cuidado com ele. Candinho desconfia dos segredos de Pancrácio com Maria e Pirulito. Maria teme que Celso esteja envolvido na armação de Ernesto. Araújo ensina a Celso sobre os negócios da família. Dita confronta Cunegundes. Mafalda confessa a Zé dos Porcos que teme ser obrigada a casar com Romeu. Aconselhada por Maria, Anastácia sugere que Sandra receba o medalhão de Candinho durante a cerimônia de casamento. Pancrácio procura Eponina e pede que ajude Candinho.

Capítulo 72

Eponina aceita viajar para São Paulo com Pancrácio, e Cunegundes desconfia. Cláudio agradece a amizade de Alice, que acredita ser uma fada. Ilde e Narcisa se reencontram. Narcisa provoca Emma. Diana teme que Braz não a ame. Celso presenteia Maria, e Sandra se incomoda. Braz chora ao ver Severo com Diana. Filomena sente-se mal. Paulina repreende as perguntas de Clarice a Vermelho, e a moça deduz que Filomena foi vítima de uma armação. Mafalda decide viajar com Eponina e Pancrácio, e pede a Josias o endereço de Romeu. Candinho exige que Pancrácio e Eponina lhe revelem seu segredo. Chega o dia do casamento de Sandra e Ernesto.

TOTALMENTE DEMAIS

Capítulo 127

Charles beija Débora e Cassandra avisa à irmã que o rapaz está interessado apenas em sua fortuna. Charles tenta convencer Cassandra de que gosta de Débora. Hugo compra o apartamento de Carolina na Barra da Tijuca. Adele ajuda Max a fingir para seus pais que é namorada do rapaz. Lili pede a Zé Pedro o boletim de ocorrência do acidente de Sofia, para encontrar o motorista que provocou a fatalidade. Max se revolta com a reação dos pais a seu suposto namoro com Adele.

Capítulo 128

Max decide contar a verdade a seus pais, que pedem perdão ao filho. Ivo conta a Lili que havia uma garota no carro, no momento do acidente de Sofia. Charles pede Débora em namoro. Carolina se surpreende ao descobrir que o Flor do Lácio é de Eliza. Fabinho vê uma moça parecida com Sofia observando o prédio de Rafael.

Capítulo 129

Cassandra pede a Hugo para comprar uma revista, para que ela possa fazer sucesso. Hugo ensina a Gilda a receita da empada do Flor do Lácio. Fabinho vê novamente uma mulher parecida com Sofia e vai atrás dela, que consegue escapar. Hugo revela a Pietro e Lu que planeja comprar a revista Totalmente Demais para Carolina voltar ao posto de direção. Sofia visita Jacaré na prisão.

Capítulo 130

Sofia revela a Jacaré como sobreviveu ao acidente e sugere que ele a ajude a roubar o cofre de sua casa. Fabinho diz a Germano que acredita que Sofia possa estar viva. Wesley afirma a Montanha que está se sentindo recuperado. Montanha flagra Rosângela com Florisval. Sofia consegue um advogado para libertar Jacaré. Hugo convida Carolina para a festa do lançamento da capa de Eliza na revista Totalmente Demais. Hugo revela que é acionista majoritário da revista e anuncia a volta de Carolina como diretora de redação, em substituição a Lorena.

Capítulo 131

Sofia garante a Jacaré que acabará com Eliza. Hugo pede a Carolina que Cassandra estampe a capa da próxima edição da revista. Eliza vê Sofia nas redondezas do Flor do Lácio e acredita que a filha de Germano está viva. Sofia diz a Jacaré que Eliza a reconheceu e sugere que o parceiro tire a modelo de seu caminho. Jacaré vê Jonatas e Eliza juntos.

Capítulo 132

Jacaré consegue entrar no Flor do Lácio e ameaça Jonatas e Eliza. Jonatas briga com Jacaré, que acaba fugindo. Germano se assusta quando Eliza diz ter visto uma menina parecida com Sofia. Germano conta a Lili que Eliza também viu Sofia, e avisa que Jacaré está livre. Germano contrata seguranças para Eliza, Lili e Fabinho. Germano encontra Sofia, que finge ter perdido sua memória.

VELHO CHICO

Capítulo 19

Luzia conta para Santo que Tereza se casará com outro. Eulália vibra com os novos negócios de sua fazenda, liderados por Santo. Bento culpa Santo pela morte de Belmiro. Tereza sofre com o silêncio de Santo. Encarnação sugere que Afrânio encontre um pretendente para casar com Tereza. Afrânio procura Iolanda e Encarnação repreende o filho. Emocionado com as lembranças de Belmiro, Santo abraça Luzia. Bento afirma a Luzia que só voltará a falar com Santo quando o irmão desistir de Tereza.

Capítulo 20

Santo propõe aos agricultores fundarem uma cooperativa com ele. Luzia esconde as cartas de Tereza para Santo. Santo sonda Chico Criatura sobre a casa de Afrânio na capital. Encarnação alerta Afrânio sobre a movimentação dos agricultores na fazenda. Afrânio descobre que Tereza está grávida e o médico sugere que o coronel case sua filha com Santo. Tereza escreve para Santo contando sobre sua gravidez. Afrânio leva Tereza de volta para casa e a menina se desespera com a reação do pai contra Santo. Luzia queima as cartas de Tereza e Piedade desconfia.

Capítulo 21

Afrânio jura vingança a Santo. Afrânio cai em uma emboscada e Bento atira contra o coronel. Clemente se desespera à procura de Afrânio. Cícero resgata o coronel e Doninha manda o filho buscar ajuda médica na cidade. Clemente conversa com Encarnação sobre o estado de saúde de Afrânio. Encarnação afirma a Tereza que Santo atirou em seu pai. Piedade pede que seus filhos não deixem a fazenda. Emílio joga no rio a bala que tirou do peito de Afrânio. Santo desconfia de que foi Bento quem atirou no coronel.  Celestino é seguido no meio da noite.

Capítulo 22

Clemente atira em Celestino. Santo afirma a Piedade que protegerá Bento. Bento decide trabalhar com o irmão. A polícia encontra o corpo de Celestino, junto à arma usada para tirar a vida de Belmiro. Tereza conforta Martim. Matilde conta para Iolanda que Afrânio foi baleado. O delegado acredita que Celestino tenha assassinado Belmiro. Iolanda visita Afrânio e conhece Tereza. Afrânio desperta do coma e se emociona ao ver Iolanda. Tereza pede que a Iolanda não desista de seu pai. O delegado questiona Santo sobre o atentado a Afrânio.

Capítulo 23

Santo diz ao delegado que perdeu a arma de Belmiro. Luzia descobre que Tereza está grávida de Santo, mas mente para Piedade. Piedade pede que Luzia se livre da carta de Tereza. Passam-se alguns dias. Afrânio ordena que Encarnação volte para a fazenda. Afrânio afirma a Iolanda que não permitirá que Santo se aproxime de seu neto. Tereza decide procurar Santo e Iolanda a apoia. Afrânio planeja casar Tereza com Carlos Eduardo. Afrânio repreende Iolanda por deixar Tereza partir para a fazenda. Luzia beija Santo e Tereza flagra os dois.

Capítulo 24

Tereza acredita que Santo e Luzia estão juntos. Santo afirma a Luzia que ama Tereza. Clemente e Cícero procuram por Tereza na fazenda de Eulália e Encarnação exige que interrompam as buscas pela neta. Doninha encontra Tereza e acolhe a menina. Afrânio chega à fazenda e anuncia que Tereza se casará com Carlos Eduardo. Encarnação ofende Iolanda. Cícero garante a Tereza que Afrânio não tirou a vida de Belmiro. Cícero se revolta contra o casamento de Tereza. Luzia revela a Santo que Tereza irá se casar. Tereza sofre por seu destino.

 

Liberdade, Liberdade

 Ana Caroline Chaves

O calor na pele é quase insuportável. O suor externa o que o corpo já não consegue aguentar. Homens e mulheres negros carregam peso, carregam pessoas, carregam suas almas vendidas aos brancos. Poeira, marcas do tempo, manchas e cicatrizes maculam tudo e todos. Os olhos acostumados ao luxo dourado da Coroa portuguesa, em Lisboa, se deparam com uma realidade há muito esquecida por ela. As lembranças dos últimos dias no Brasil, ainda criança, trazem a dura imagem do enforcamento do pai. Um sonhador, um herói. Não para os outros, mas para ela.

“Rosa”, alguém a chama. É Raposo (Dalton Vigh), o homem que a salvou do infortúnio. A volta ao Brasil, vinte anos depois, traz à tona todo o passado e o nome que carrega escondido: Joaquina (Andreia Horta). A filha de Joaquim José da Silva Xavier (Thiago Lacerda) e Antônia (Letícia Sabatella). A mulher que carrega no sangue a luta pela revolução de um país. A mulher que carrega a coragem para revolucionar a si mesma.

“Essa é a história de uma mulher que vive nesse período conturbado do país, em que o Brasil deixa de ser colônia e passa a ser a capital da Coroa portuguesa. É um período de revolução, do movimento da Inconfidência Mineira e de outros movimentos que desembocaram na Independência do Brasil”, define o autor Mario Teixeira. “O que mais me interessa em contar a história de Joaquina é a emoção que às vezes me assalta lendo o texto. É o Brasil, o amor que temos por essa terra”, pontua Vinícius Coimbra, diretor artístico da novela.

Com estreia no dia 11 de abril, ‘Liberdade, Liberdade’ é uma novela de Mario Teixeira baseada em argumento de Marcia Prates, livremente inspirada no livro ‘Joaquina, Filha do Tiradentes’, de Maria José de Queiroz. O texto tem a colaboração de Sérgio Marques e Tarcísio Lara Puiati. A direção artística é de Vinicius Coimbra.

 Vila Rica, capitania de Minas Gerais, Brasil, 1792

Nas veias de Joaquina (Mel Maia) corre o mesmo sangue de Tiradentes (Thiago Lacerda), o mártir da Inconfidência Mineira. Em 1792, Tiradentes é considerado um traidor da Coroa portuguesa. Como filha, Joaquina carrega o peso de ser descendente de um homem que será condenado à forca. Mas também leva consigo o olhar sonhador e a admiração pelo pai que, para ela, é um herói.

A menina cresce em uma casa simples. Uma mãe amável e rígida ensina-a que a vida é difícil, os pés precisam estar no chão e as mãos na terra. Sonhar é um luxo para poucos. Antônia (Leticia Sabatella) aprende com o Alferes Tiradentes (Thiago Lacerda), pai de Joaquina, como arrancar os dentes das pessoas. Com isso, garante o sustento da pequena. Mas os olhos de Joaquina têm a profundidade de quem acredita demais, uma determinação inquietante. Algo que Antônia só viu nos olhos do homem que amava, mas com quem não pôde contar.  A filha não sabe da luta do pai com os inconfidentes. Mas ainda criança aprende com ele uma das principais lições de sua vida: todos os homens e mulheres são livres. Vez ou outra, ele aparece às escondidas e ensina para a filha um pouco de suas crenças. Ensinamentos que Joaquina jamais esquece.

Como principal nome da Inconfidência, Tiradentes (Thiago Lacerda) quer livrar o Brasil dos mandos e desmandos de Portugal, custe o que custar. Os encontros dos rebeldes acontecem no cabaré de Virginia (Lilia Cabral), que também participa do movimento. Em um desses encontros, o companheiro de luta José Maria Rubião (Mateus Solano) alerta o Alferes: a Coroa portuguesa mandou acabar com a conjuração. Estão todos correndo risco de vida. O amigo sugere então que Tiradentes vá embora para o Rio de Janeiro ou para São Paulo. Mas é tarde demais… Enquanto se divertem com as belas mulheres do cabaré, o Capitão Tolentino (Ricardo Pereira) invade o local. Tiradentes e Rubião são presos.

Ao ser levado para testemunho, Rubião é colocado à prova. Tolentino precisa de um nome: “Quem é o líder do movimento?”. Ele faz o necessário para arrancar do homem uma confirmação e consegue. Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, é então condenado por traição. E ficam, para todos os rebeldes, as perguntas: como os soldados da Coroa chegaram ao cabaré tão rápido? Como sabiam que os rebeldes estavam lá? A ação de Portugal teve apoio de alguém do movimento?

Joaquina (Mel Maia) e Antônia (Leticia Sabatella) veem, na estrada, Tiradentes e Rubião em uma carroça, rodeados por soldados e tenentes. A menina percebe a preocupação da mãe. Mais que isso, sente na alma que o pai está em perigo. As duas seguem para a casa de Diogo Farto (Genézio de Barros) – o homem pode ajudar com algumas explicações, já que é simpatizante do movimento. A mãe de Joaquina dá a notícia de que Tiradentes foi preso e pergunta o que pode acontecer com ele. Diogo responde: “A pena por traição é a morte”. A pequena, escondida atrás da porta, escuta a afirmação e se desespera. Precisa encontrar o pai. Na manhã seguinte, foge sem ninguém ver. Esconde-se em uma carroça e segue até o Rio de Janeiro. Consegue adentrar o cárcere do pai e Tiradentes se desespera – pode até morrer, mas Joaquina é a rainha de sua vida, seu maior amor, nada pode acontecer com ela. Sem saída, ele explica que Joaquina está correndo perigo e tenta acalmá-la. Quando a convence a fugir, diz “eu te amo” e ouve o mesmo da filha. Ele olha a menina se afastar.

Espremida entre a multidão que aguarda o enforcamento do traidor, Joaquina vê o pai. São tantas pessoas que quase a derrubam. Sente os pés saírem do chão ao ser carregada por um gigante. O homem que tenta protegê-la se chama Raposo (Dalton Vigh), um minerador simpatizante da causa dos inconfidentes. Mas nem ele, nem ninguém pode evitar o inevitável: Joaquina testemunha a morte do próprio pai.

Rubião (Mateus Solano) acredita ter feito o correto. Apesar de saber que Tiradentes acabou morto por sua confissão, fez o necessário para salvar a própria vida. As torturas foram muitas, ninguém suportaria aquilo sem ceder. Será mesmo? Mas agora ele precisa encontrar um caminho para sobreviver e decide trocar de lado. Entrega-se aos mandos e desmandos de Portugal e promete fidelidade à Coroa. O capitão Tolentino (Ricardo Pereira) só observa, do alto de seu poder.

Sem perder tempo, Rubião segue para a casa de Antônia (Leticia Sabatella). Há algum tempo, deixou lá um saco de moedas de ouro para ser entregue a Tiradentes. Se o homem está morto, não precisa mais das moedas. Mas ao chegar lá e cobrar a quantia, descobre que o valor sumiu. Sem acreditar em Antônia, insiste na cobrança até que, em meio à discussão, acaba assassinando a mulher.

Raposo (Dalton Vigh) entra sozinho na pequena casa e vê Antônia agonizando. Em seus últimos suspiros, ela pede que o homem cuide de Joaquina (Mel Maia). Mas a verdade é que Raposo foi lá à procura de Joaquina. Assim que Tiradentes foi enforcado, a confusão aumentou e o bando de salteadores, liderado por Mão de Luva (Marco Ricca), golpeou o minerador e sequestrou a menina. Afinal, o peso em ouro da filha de Tiradentes valia muitas e muitas moedas.

Ao sair da casa de Antônia, Raposo consegue resgatar Joaquina do poder do bando de Mão de Luva. Com a ajuda de Virgínia (Lilia Cabral), organizam um plano para que ele e Joaquina sigam para Portugal. A estratégia é realizada com sucesso. Já no barco a caminho das terras portuguesas, Raposo tem que responder à dolorosa pergunta de Joaquina: “Onde está minha mãe?”. Sem saída, diz a verdade e embala aquela corajosa menina nos braços, sabendo que agora ela é sua filha.

Lisboa, Portugal, 1807

En garde!”, diz Rosa (Andreia Horta) para Raposo (Dalton Vigh). “Você luta como uma menina”, grita ela para o pai. Rosa o provoca o tempo todo durante o treino de esgrima, para alegria de Raposo. O homem morre de orgulho. Criou aquela corajosa criança, agora uma impetuosa mulher. Raposo abandonou as lutas do movimento inconfidente após muitas tragédias. Sua prioridade é ter a filha a salvo. Para despistar qualquer suspeita, criou Joaquina sob o nome de Rosa. Hoje, deve tudo o que tem à Coroa portuguesa. Tornou-se um importante fidalgo pelas riquezas que adquiriu ao longo dos anos.

O treino é interrompido quando André (Caio Blat), filho de Raposo, entra no salão e anuncia: a corte está fugindo das investidas de Napoleão e embarcando para o Rio de Janeiro. Raposo sabe que precisa acompanhá-los. É hora de voltar ao Brasil! Eles correm para separar os documentos e os bens mais importantes. O resto é deixado para trás. Raposo garante a Rosa que ela não deve temer o retorno ao Brasil. Mas, na verdade, preocupa-se com o fato da jovem não temer nada. Mesmo depois de tantos anos, Rosa/Joaquina (Andreia Horta) guarda a mesma bravura e o olhar destemido que já tinha na infância.

Antes de embarcar em uma viagem por mais de dois meses até a Colônia, Raposo reúne Rosa, André e Bertoleza (Sheron Menezes), negra alforriada criada por Raposo como filha, para explicar como devem ser os passos da família a partir de agora. Enfrentarão dificuldades no alto-mar, faltará conforto, às vezes até comida. Porém, eles têm o mais importante: estão juntos. A família parte, então, em direção ao Brasil.

Rio de Janeiro, Brasil, 1808

O choque ao chegar ao cais do porto é imediato. A decadência do local salta aos olhos. O suor dos homens e mulheres brancas com as vestes que imitam os europeus, apesar do calor escaldante; as marcas na pele dos escravos que circulam de um lado para o outro; o cheiro de esgoto a céu aberto; o trabalho dos comerciantes que descarregam mercadorias… Rosa percebe os olhares para Bertoleza (Sheron Menezes), alguns até a confundem com uma escrava, e Rosa a protege.

Rosa (Andreia Horta) está de volta ao seu país, de volta à terra onde seu pai foi morto. Faz tanto tempo que saiu dali… Tantos anos se passaram. Conheceu uma realidade diferente, viveu em meio ao luxo, à nobreza. Agora volta à triste realidade da Colônia.

Mesmo cansados e abatidos da viagem, começam o caminho para Vila Rica. Na estrada, Rosa e Raposo reencontram velhos conhecidos: Mão de Luva (Marco Ricca) e o bando de salteadores. Caju (Gabriel Palhares), o mais jovem integrante do bando, é ágil e esperto. Ele se esconde nas árvores, ao longo da estrada, entre os galhos, para ver a movimentação e alertar o líder. Mão de Luva aborda o grupo e Raposo confronta o bandido, enquanto os filhos estão acuados na carruagem.

Simão (Nikolas Antunes), braço-direito de Mão de Luva, reconhece o homem que há muitos anos passava por aquela estrada com a filha de Tiradentes. Sabendo do que Raposo é capaz, os homens o cercam. Ao ver que o pai está sem saída, Rosa desce da carruagem e entra na discussão. Os homens não conseguem tirar os olhos dela, se encantam pela beleza e atitude da fidalga. Mão de Luva a reconhece. Apesar de negarem a identidade real de Rosa, ele sabe que ela é Joaquina, a filha de Tiradentes. A família consegue escapar, mas teme pelos próximos dias e pelo que o bando e seu líder são capazes de fazer com a filha do traidor da Coroa.

Vila Rica, Capitania de Minas Gerais,1808

  

Raposo (Dalton Vigh), Bertoleza (Sheron Menezes), André (Caio Blat) e Rosa (Andreia Horta) finalmente chegam à segunda maior cidade do Brasil, Vila Rica. Mas se a viagem foi confusa e cansativa, a situação deles na chegada não melhora. A carruagem onde se encontram quebra ao tentar desviar de uma liteira. Como ainda faltam alguns quilômetros até a chácara de Raposo, precisam consertar o veículo. Mesmo morando em Portugal, o minerador manteve a chácara e a irmã Dionísia (Maitê Proença) cuidando da casa e das terras com rigidez.

Xavier (Bruno Ferrari) vê o acidente e corre para ajudar. O jovem consegue retirar Bertoleza, André e Rosa de dentro da carruagem e checa se alguém está machucado. Porém o que realmente chama sua atenção é a beleza de Rosa. Talvez nunca tenha visto uma mulher com aparência tão feminina e tão forte. É imediatamente atraído por ela. Xavier acabara de chegar a Vila Rica, após passar seis anos estudando medicina em Portugal. Mal teve tempo de rever os pais e de reencontrar a noiva Branca (Nathalia Dill), que o espera há tantos anos.

A liteira causadora do acidente carrega Branca. Mesmo em meio à discussão com Raposo, ela esquece todo o ocorrido quando seus olhos encontram os de Xavier, o homem a quem foi prometida em casamento há seis anos. Agora, ele está de volta. Mas Branca percebe que Xavier mantém seu olhar dividido entre ela e Rosa.

Impossibilitados de chegarem até a chácara por conta do acidente, Raposo, André, Bertoleza e Rosa são recepcionados na casa do Intendente Rubião (Mateus Solano). Rubião não consegue esconder os olhares furtivos para Joaquina, sem reconhecer a filha de Tiradentes naquela linda mulher.

Na mesa de jantar, as impressões de Rosa sobre o Brasil tiram Raposo do sério. Se ela quer alarmar o Intendente, está no caminho certo! A moça fala dos maus tratos sofridos pela população, dos abusos da corte e aposta que um dia o povo se rebelará. Rubião os alerta: o último movimento que falou sobre revolução teve seu principal conspirador enforcado. Joaquina paralisa, engole seco e finalmente se cala. Depois, tem que ouvir os gritos de Raposo, exasperado, sobre os riscos que ela corre. Ele teme pela vida da menina que aprendeu a amar. Rubião (Mateus Solano) percebe que ela tem opiniões fortes, poderia até ser uma revolucionária… Mas é muito cedo para julgar. De qualquer forma, está definitivamente impressionado com aquela que acredita ser filha de Raposo.

Abalada pela discussão, Rosa foge pelas ruas de Vila Rica, consciente do perigo do lugar. Precisa respirar. Em sua caminhada, depara-se com um homem que apanha de outros três. Sem pensar duas vezes, saca uma arma e aponta para a cabeça do principal agressor. Consegue afastar os arruaceiros e ajudar… Xavier. Saindo da Taverna, depois de alguns vinhos a mais, o médico entrou em uma briga. Xavier é conhecido na cidade por sua fama de beberrão e farrista, mas é um homem justo, que luta pela liberdade e igualdade entre os homens. É um rebelde, um dos importantes membros da causa, com ideais inspirados no movimento dos Inconfidentes. Xavier se esforça para ver quem o salvou, mas Rosa se esconde sob sua capa.

No caminho de volta para a casa de Rubião, Rosa encontra alguns Dragões de Minas, militares que trabalham para garantir os interesses e valores da Coroa portuguesa. Foram enviados por Rubião a pedido de Raposo, que desesperado procura a filha. Rosa mal chega ao Brasil e já se envolve em diversas situações de risco, o que preocupa Raposo. Já em casa, segura, ela tem dificuldade para dormir. Os pesadelos de tudo que viveu no Brasil quando criança ainda a perseguem. Na varanda, Rubião pede que ela tome cuidado. Agora que a encontrou, não quer perdê-la. Ela sorri com o galanteio. A moça também se encanta com o Intendente. Começa ali um sentimento improvável entre o traidor de Tiradentes e a filha do Alferes.

No dia seguinte, a família finalmente chega à chácara e reencontra Dionísia (Maitê Proença). Ela exala felicidade ao rever os sobrinhos e o irmão, apesar de Raposo não corresponder com palavras de afeto – Dionísia conhece o jeitão seco do irmão e não se abala. O clima de boa convivência logo acaba quando Rosa vê os escravos sendo castigados por Malveiro (Bruce Gomlevsky) a mando de Dionísia.

Rosa nunca imaginou que fosse testemunhar a maior das selvagerias – e na propriedade da família. Ela discute com a tia e pede que liberte os escravos do castigo. Para todos, Dionísia é uma mulher elegante e de bons valores, precisa manter a imagem – e isso inclui o respeito dos negros que possui. Ter a sobrinha dando ordens contrárias às dela não é bom.

Raposo (Dalton Vigh) defende a irmã e ordena que Rosa (Andreia Horta) se desculpe, para surpresa da filha, que se decepciona com a atitude do pai. Sabe que ele se aliou à Coroa e se tornou um monarquista para protegê-la, mas não imagina que ele apoie atitudes como aquela, encarando seres humanos como objetos, propriedades, e não almas individuais, com sonhos, desejos e sangue correndo nas veias. Rosa não tem opção, precisa respeitar a tia, o pai, os costumes da terra.

Certo dia, caminhando por Vila Rica, Rosa esbarra em Virginia (Lilia Cabral), que percebe no olhar daquela imponente mulher o mesmo olhar da corajosa menina Joaquina. A dona do cabaré da cidade entretém os homens com suas jovens – dentre elas Mimi (Yanna Lavigne), Vidinha (Yasmin Gomlevsky) e Gironda (Hanna Romanazzi) – e esconde ali um ponto de encontro dos rebeldes. Com a morte de Tiradentes, Virginia torna-se um dos principais nomes da causa. Ao reencontrar Joaquina, ela retoma a esperança da luta. Sabe que naquela mulher corre o mesmo sangue do homem que sonhava com a liberdade do Brasil e com a igualdade do povo. Virginia precisa trazer Joaquina para o movimento. Precisa contar com a força daquela mulher para a revolução.

Virginia está certa. Joaquina vai revolucionar o Brasil. Mas não só isso. Joaquina fará uma revolução em si mesma.

O início de ‘Liberdade, Liberdade’ – reconstruindo o Brasil de 1792 e 1808 

No início de janeiro, a equipe de ‘Liberdade, Liberdade’ começou os encontros e preparações para recriar o Brasil colônia. Além de consultar livros, filmes e obras de arte sobre o período, a equipe participou de palestras, leituras de capítulos em grupo e diversas aulas. Luta, esgrima, equitação, condução de charrete e etiqueta foram algumas das atividades experimentadas pelo elenco.

Depois desse momento inicial, cerca de 90 pessoas viajaram para Diamantina, Minas Gerais, onde deram início às gravações da novela. Durante cerca de duas semanas, os primeiros registros aconteceram em meio às belezas naturais nos entornos da cidade, como a Gruta do Salitre, a Estrada Real e o Cânion do Funil, pontos turísticos da região. Thiago Lacerda, Dalton Vigh, Mel Maia, Zezé Polessa, Marco Ricca e Nikolas Antunes gravaram cenas dos primeiros capítulos da trama, sob o comando do diretor artístico Vinicius Coimbra e dos diretores André Câmara e Pedro Brenelli.

“A região de Diamantina já é minha antiga conhecida, pois filmei ‘A Hora e a Vez de Augusto Matraga’ lá. É uma região de relevo e paisagens muito particulares e belas, com uma linha de horizonte mais ampla, normalmente maior do que no restante de Minas. Como diria Guimarães Rosa, é uma região de ‘poeira e estrelas’”, revela Vinicius Coimbra.

Para a viagem, três caminhões e quatro vans saíram do Rio de Janeiro carregadas com equipamentos técnicos e materiais de cenografia e produção de arte. A equipe de figurino levou oito araras e quatro caixas grandes com roupas e acessórios como luvas, chapéus e botas. Já a equipe de caracterização transportou cinco cases repletos de itens para ajudar a “conduzir” o elenco e a figuração para 1792 e 1808. Tudo para levar o público ao Brasil Colônia.

 

O Forte de São João

As gravações de ‘Liberdade, Liberdade’ no Rio de Janeiro começaram na primeira semana de fevereiro. O Forte de São João, na Urca, foi transformado no cais do porto do Brasil colônia. O cenário marca o primeiro capítulo da trama, onde Tiradentes (Thiago Lacerda) recebe o livro da independência norte-americana e de onde Raposo (Dalton Vigh) parte para Portugal levando Joaquina (Mel Maia). É lá também onde acontece a chegada de Raposo, Joaquina (Andreia Horta), André (Caio Blat) e Bertoleza (Sheron Menezes) quando retornam ao Brasil, no segundo capítulo.

Para transformar o local, a equipe de cenografia precisou de três dias. Foram quatro caminhões – um deles veio diretamente de Minas Gerais, com peças produzidas na região. Inspirada em gravuras da época, a equipe criou elementos para compor o espaço: pequenos carrinhos de madeira chamados ‘piolho’ – usados por escravos para transportar materiais –, fardos de tecidos amarrados com corda, reproduções de cordas de navio, velas de barco, tendas de pau do mato e folha de bananeira. Para esconder resquícios contemporâneos, a entrada do local foi coberta com areia. Tudo para reproduzir o cais do porto de 1808. Já nas cenas da taberna, também gravadas no Forte, três balcões compuseram o ambiente, além de dez mesas grandes rústicas de madeira.

A movimentação do lugar ficou por conta dos 200 figurantes que participaram dos dois dias de gravação e dos atores Thiago Lacerda, Andreia Horta, Lilia Cabral, Dalton Vigh, Caio Blat e Sheron Menezes, todos comandados pelo diretor artístico Vinicius Coimbra.

A equipe de figurino levou 350 peças para o set, para compor escravos e fidalgos. O time de caracterização precisou de três cases e duas malas grandes para carregar próteses de cicatrizes e machucados, e material que reproduz suor. Foram usadas cerca de dez latas de shampoo a seco para dar o aspecto aos cabelos da época – as pessoas usavam talco para tirar a oleosidade dos fios – e dez bastões corretivos que não disfarçaram nada, pelo contrário: foram usados para “sujar” os figurantes e atores.

O Paço Imperial

Para finalizar a primeira fase da trama, a equipe da novela se reuniu no Paço Imperial, localizado no Centro do Rio de Janeiro. Lá gravaram as cenas do julgamento e enforcamento de Tiradentes, interpretado por Thiago Lacerda. Durante dois dias, cerca de 700 pessoas participaram das cenas, que levaram todos em uma viagem até o Brasil de 1792.

A equipe de cenografia, durante uma semana, transformou o local, escondendo os elementos contemporâneos e incluindo peças que remetessem ao século XVIII. Primeiro, montaram um espaço de julgamento, onde Tiradentes recebe sua sentença até o enforcamento. Caminhões transportaram mesas, cadeiras, portas, cortinas e um dos principais itens da gravação: a forca.

A forca foi pré-montada duas semanas antes da gravação. Feita de madeira de demolição, ela possui seis metros de altura até o topo. Para a produção de arte, um dos objetos mais importantes foi o livro de sentenças que fica na mesa do julgamento. O livro é uma reprodução inspirada em pinturas do período. Um calígrafo reescreveu a sentença real de Tiradentes, que está nos registros da Inconfidência Mineira.

Cerca de duas mil peças de roupa foram levadas para o local, para figuração e elenco. Para a caracterização, dois quilos de “sujeira” e dois litros de lama cenográfica foram usados na pele e no cabelo de todos. E ainda 50 próteses de cicatrizes, queimaduras e dentárias, perucas e bastões de corretivo para sujar corpo e unhas. 

 

Trazendo Vila Rica para os Estúdios Globo

Para reconstruir o Brasil de 1792 e 1808, anos em que se desenrola a trama de ‘Liberdade, Liberdade’, as equipes de cenografia, produção de arte, caracterização e figurino tiveram de embarcar em uma viagem rumo aos tempos da colônia através de livros, pinturas e filmes. Uma época na qual toda a sociedade vivia sem saneamento básico, com esgoto a céu aberto, hábitos higiênicos precários, pouco acesso às riquezas naturais da terra… Um período em que os negros eram tratados como propriedade e os brancos buscavam status tentando se igualar aos europeus, adotando seus valores e hábitos.

“Ninguém sabe exatamente como era a vida privada no século XVIII no Brasil. Existem textos, algumas ilustrações, mas a história é contada por pessoas que podem editá-la ou estilizá-la. Portanto, nos baseamos na história, mas também demos a nossa contribuição”, explica Vinícius Coimbra. A partir dessa pesquisa sobre o universo do Brasil Colônia, as equipes se reuniram para costurar os elementos que, juntos, dão cor e forma à novela em um trabalho minucioso e detalhado.

Para reconstruir Vila Rica – onde se passam os principais acontecimentos da obra – nos Estúdios Globo, a equipe de cenografia, comandada pelo diretor de arte Mário Monteiro e pelos cenógrafos Paulo Renato, Márcia Inoue e Kaka Monteiro, e a de produção de arte, a cargo de Marco Cortez, precisaram resgatar a arquitetura mineira da época em cerca de 30 prédios que compõem um espaço de quatro mil metros quadrados. Paredes com acabamento primário, tons terrosos em todas as suas variações, madeira de demolição, telhas de cerâmica, esteiras de forração de teto feitas de palha de taquara e reproduções de pedra pé de moleque são algumas das características que remetem àquele tempo.

Tudo para dar mais veracidade ao local e ao período: um Brasil sem indústrias, com pouco investimento de Portugal e depredado em seus recursos naturais mais valiosos. O mesmo cuidado foi aplicado na chácara de Raposo, personagem vivido por Dalton Vigh, construída em um espaço de 600 metros quadrados, já que o personagem, um nobre minerador, é um dos mais ricos da cidade. A casa principal segue a estrutura tradicional da região, com cores brancas e detalhes em palha e cerâmica, e a senzala é feita de pau a pique e madeira de demolição.

Para os móveis e peças do cenário, a busca em antiquários mineiros e o contato com colecionadores de antiguidades foram essenciais. Com isso, a equipe de produção conseguiu garimpar artefatos como cadeiras, camas, carruagens, liteiras, entre outros, para compor o espaço. Como as peças deste período são raras, nem todos os móveis foram encontrados, e os profissionais tiveram de reproduzir grandes peças como armários e mesas de acordo com a marcenaria da época. Até os colchões foram desenvolvidos, pois o tamanho e o material das camas eram particulares e bem diferentes dos usados atualmente. Papéis de parede, tecidos, maçanetas e peças aproveitadas do acervo da cenografia passaram por um processo de envelhecimento para reproduzir com mais fidelidade o período histórico.

Fidalgos e escravos

As equipes de figurino, liderada por Paula Carneiro, e caracterização, assinada por Lucila Robirosa, criaram as suas interpretações para as vestimentas e o visual dos fidalgos e escravos em todas as suas diferenças. O ambiente inóspito e as condições precárias – mesmo dos mais ricos – faziam com que as roupas e acessórios fossem desgastados e, as mesmas peças, repetidas muitas vezes. Para dar esse aspecto gasto, tecidos foram comprados, lavados, modelados, depois envelhecidos e sujados com uma mistura especial desenvolvida pela equipe. Se os nobres usavam cerca de seis a oito peças no dia a dia – entre chapéus, casacos, coletes, corpetes, camisas, luvas, rendas, calças, saias longas, anáguas e botas –, os negros usavam duas ou três peças, como vestidos, saias, blusas e turbantes – ou seja, o básico necessário para se cobrirem.

No calor do Brasil, sem os recursos que existem hoje, a pele das pessoas revelava as marcas da jornada de cada um. Para reproduzir essas marcas, uma parceria com a equipe de efeitos especiais usou técnicas para “manchar” e “sujar” a pele dos personagens e figurantes. Em vez de maquiagem, a busca é por naturalizar e unificar: sujeira nos dentes e próteses, glicerina para o suor, base solúvel em álcool para criar manchas e tirar a uniformidade da pele, cicatrizes aplicadas em um sistema de carimbo, entre outros recursos. As cicatrizes não são só para os escravos. A personagem de Maitê Proença, Dionísia, sofria abusos do marido e terá diversas marcas que mostram essa história. Na busca por um visual natural do período, elenco e figuração precisaram remover química e tintura dos cabelos, que, em sua maioria, ganharam apliques para parecerem mais longos. Ainda foi preciso evitar unhas feitas e depilação.

O realismo ganha liberdade de criação com as mulheres mais nobres e as que vivem no cabaré de Virgínia, personagem vivida por Lilia Cabral. Joaquina, interpretada por Andreia Horta, traz uma mistura de referências contemporâneas: bordados atuais, tipos de manga e tecidos, todos confeccionados com a modelagem da época. Como Joaquina foi criada em Portugal, ela traz para o Brasil trajes que até então as mulheres não conheciam, como os cortes com cintura alta. Ela terá uma leveza na maquiagem, que reforçará a imagem dessa mulher que impressiona todos à sua volta, e penteados mais “modernos” para o momento histórico. Joaquina, inclusive, luta esgrima, como poucas mulheres faziam, e usa calças durante os treinos que acontecem em casa, com o pai de criação, Raposo (Dalton Vigh). Já Virgínia (Lilia Cabral) faz uso de corseletes, anáguas, vestidos e robes longos para exaltar sua beleza. Uma mistura de cortes da época, com tecidos mais fluidos e bem cortados, dá o tom das meninas que trabalham no cabaré. Penteados simples, como tranças e rabos de cavalo, conferem uma sensualidade natural às mulheres.

Na personagem de Nathalia Dill, Branca, tudo está combinando: formatos de vestidos bem brasileiros, com a cintura baixa da época, peças todas da mesma cor, bordados ton sur ton em cores diferenciadas como berinjela e azul petróleo. Ascenção, vivida por Zezé Polessa, mulher que vive pelas florestas e tem uma cicatriz misteriosa no rosto, tem um figurino medieval. Maitê Proença, a Dionísia, mostra que é uma mulher forte e elegante, usando cortes bem tradicionais e tons de preto, cinza e carbono. Já as escravas Blandina (Mariana Nunes) e Luanda (Heloísa Jorge) estão sempre com turbantes e roupas leves em cores mais claras, já que não tinham dinheiro para tingimentos e tecidos nobres.

Entrevista com o autor Mario Teixeira

 

Seu último trabalho na Globo, Mario Teixeira assinou a autoria da novela das sete ‘I Love Paraisópolis’ (2015) ao lado de Alcides Nogueira; ele também foi coatuor das novelas ‘Os Ossos do Barão’ (1996), ‘O Cravo e a Rosa’ (2000) e ‘Ciranda de Pedra’ (2008), além de ter colaborado com Silvio de Abreu em ‘Passione’ (2010). Também foi roteirista de séries infanto-juvenis como ‘Sítio do Pica-pau Amarelo’ (2001-2007) e ‘Castelo Rá Tim Bum’ (1994). Tem uma importante carreira literária que já lhe rendeu os Prêmios Jabuti e Prêmio Biblioteca Nacional de 2015 com o romance ‘A Linha Negra’. ‘Salvando a Pele’, ‘Alma de fogo’ e ‘O Golem do Bom Retiro’ são outros livros de destaque em sua carreira.

De onde surgiu a ideia de contar a história da filha de Tiradentes?

A ideia de falar sobre Joaquina partiu do argumento da Marcia Prates. A partir dele, desenvolvi uma história sobre a volta de uma menina cujo pai, Tiradentes, foi considerado um traidor. Joaquina traz dentro de si essa carga dramática. Ela volta de Portugal em um momento crucial da história brasileira, com a comitiva imperial. Raposo tem posses e criou essa moça como uma nobre em Portugal. Mas o seu retorno ao Brasil provoca uma busca dela por si mesma. Ela volta para uma terra que é dela, mas que condenou seu pai à morte e de uma forma trágica, na forca.

Quem é Joaquina e de onde vem a força dessa personagem?

Joaquina é uma mulher impetuosa, justa, acredita fielmente em seus valores e na busca por igualdade e liberdade. Não deixa os conceitos sociais mudarem a forma como pensa. O grande trauma que sofreu ao testemunhar a morte do pai serviu de impulso para se tornar uma mulher ainda mais forte. Descobrir mais sobre a luta de Tiradentes exaltará nela o sangue guerreiro e heroico do pai. Mas na trama, além de Joaquina, teremos outras personagens femininas fortes. Entre elas, Virginia (Lilia Cabral), que é a dona do cabaré e uma articuladora do movimento dos rebeldes. Está presente desde o início da trama, e é ela quem ajuda na fuga de Joaquina e Raposo para Portugal. Quando Joaquina retorna ao Brasil, Virginia vai ser sua consciência política, com quem Joaquina vai poder contar. São duas mulheres à frente de seu tempo, destemidas, e que acima de tudo acreditam e propagam os valores de igualdade, liberdade e fraternidade.

Não há muitos registros históricos da filha de Tiradentes e essa é uma obra ficcional. Quais foram suas referências para escrever a novela?

Essa é uma obra baseada em argumento de Marcia Prates, livremente inspirada no livro ‘Joaquina, Filha do Tiradentes’, de Maria José de Queiroz. Mas fiz também uso de diversas outras fontes para construir essa história. Os romances que mais me influenciaram foram “O Vermelho e o Negro” e “A Cartuxa de Parma”, de Stendhal, os livros do Joseph Conrad (“A flecha de ouro”), os do Alexandre Dumas e os do Emilio Salgari (“O corsário negro”). E não só os romances, mas vi filmes como “Os duelistas”, “Rainha Margot”, os filmes da Martine Carol (“Caroline Cherie”), indicados pelo Silvio de Abreu, também me serviram de base. Livros de história como as pesquisas fundamentais do Kenneth Maxwell (“O livro de Tiradentes”, “A devassa da Devassa”); os da Laura de Mello e Souza (“Desclassificados do ouro”) me fizeram entender melhor as relações de poder na época; e Júnia Ferreira Furtado (“Homens de negócio”), que jogou luz sobre os negócios das Minas Gerais setecentista, as relações hierárquicas que ainda vigoravam no período da nossa história. Relatos de viajantes da época também me foram muito úteis, como “Viajantes estrangeiros no Rio de Janeiro joanino”, de Jean Marcel Carvalho França. “As cartas chilenas”, de Tomás Antonio Gonzaga, também foram uma grande referência.

Como acontece a criação de uma história em que o momento histórico onde ela se desenvolve, ou seja, o pano de fundo da trama é representativo?

A história também é uma visão muito pessoal, os grandes historiadores a tratam assim. Eu acredito que a ficção também seja capaz de resgatar o passado. Eu aprendi muito sobre o Brasil do século XIX lendo Machado de Assis e seus contemporâneos, como Manuel Antonio de Almeida, por exemplo. No futuro, acredito que os historiadores vão consultar as nossas novelas para ajudar a contar a história da época. Penso na história como um romance policial: as testemunhas não são muito sinceras, e sua visão é muito particular, sujeita a interpretações. A própria memória nos trai. Alexandre Dumas fazia e acontecia com a história. Inventava fatos e invertia a cronologia dos acontecimentos a serviço da narrativa. E eu concordo com Hilary Mantel, que disse, no prefácio de um de seus livros, que, quando se trata de diferenciar o fato da ficção, qualquer coisa que pareça particularmente inverossímil provavelmente é verdadeira.

O que o público pode esperar de ‘Liberdade, Liberdade’?

Ação, aventura, emoção e romance. Essa é a história de uma mulher que vive nesse período conturbado, em que o Brasil deixa de ser colônia e passa a ser a capital do império. Vamos falar dessa mulher, dos amores dela dentro desse contexto histórico que foi a vinda da família real para o Brasil. Vamos falar de amor, mas também de revolução, de inconfidência e dos movimentos que desembocaram na independência do país.

Entrevista com o diretor artístico Vinicius Coimbra

Pouco tempo depois de trabalhar como assistente de direção no filme “Central do Brasil” (1998), Vinícius entrou para a Globo, onde trabalhou em minisséries e novelas como ‘Sabor da paixão’ (2002), ‘Celebridade’ (2003), ‘JK’ (2006), ‘O Profeta’ (2006) e ‘Queridos Amigos’ (2008). Ao lado de Dennis Carvalho, assinou a direção-geral das novelas ‘Insensato coração’ (2011), de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, e ‘Lado a Lado’ (2012), de João Ximenes Braga e Cláudia Lage, que ganhou o Emmy Internacional de melhor telenovela de 2013. O diretor também comandou a 21ª temporada da série ‘Malhação’ (2013). Em 2015, ele lançou dois filmes: “A Hora e a Vez de Augusto Matraga”, vencedor do prêmio de melhor filme no Festival do Rio e “A Floresta que se Move”, com Ana Paula Arósio e Gabriel Braga Nunes no elenco. O trabalho mais recente de Vinícius Coimbra foi a minissérie “Ligações Perigosas” (2016).

Quais os principais elementos da direção para criar uma estética realista do Brasil de 1792 e 1808? Como foi esse processo para você?

A falta de ordem e justiça, a ausência de medicina, saneamento, de água encanada faziam das pessoas seres mais rudes, brutos, sofridos. Estamos tentando colocar isso frente à câmera, na maquiagem, no figurino, no cenário e na fotografia. Então, temos sujeira, suor, dentes amarelos, fumaça, poeira… A vida como a gente entende que era naquela época.

Quais os diferenciais do trabalho de iluminação em ‘Liberdade, Liberdade’?

A diferença é sempre o fotógrafo. Acredito que cada profissional tem a sua assinatura, como qualquer artista. Aqui temos Ricardo Gaglianone  e Alexandre Reigada. Em termos técnicos, em ‘Liberdade, Liberdade’, as cores são menos vibrantes e há mais contraste na imagem, para realçar a sujeira da época. Usamos também lentes mais abertas, grande angulares, mesmo para os closes.

O elenco da novela viveu um importante processo de preparação. Houve aulas, leituras e workshop, indicação de livros e filmes para estudo a fim de que todos se ambientassem no período histórico. Conte mais sobre o processo de escalação e preparação do elenco como um todo.

O processo de escalação é muito intuitivo – o que é fundamental! Existe algo no olhar do ator que deve se assemelhar com o olhar do personagem que você imagina. A preparação, por sua vez, tem dois lados. Um, técnico, que agrupa aprendizados como culinária, esgrima, equitação… E outro, mais artístico, e aí entram os ensaios, onde concebemos esses personagens, onde os atores devem se apropriar de um DNA alheio.

Como está sendo trabalhar com o autor Mario Teixeira? Vocês trocam muito sobre o processo de criação da novela?

Conhecer o Mário foi uma grata surpresa da vida. Ele é uma pessoa muito culta, embasada e um parceiro extraordinário. Seu texto e seus personagens nos dão imagens maravilhosas. Estabelecemos uma ótima troca, intensa, nos ouvimos bastante e não faltam humor e confiança em nossa relação.

 

Perfil de personagens

Joaquina ou Rosa (Mel Maia / Andreia Horta) – É por natureza uma grande heroína. Filha de Tiradentes (Thiago Lacerda) e Antônia (Letícia Sabatella), quando criança tem admiração pelo pai. Testemunha o enforcamento dele e é resgatada por Raposo (Dalton Vigh), que a cria como filha em Portugal. Cresce e é chamada pelo nome Rosa, para esconder sua verdadeira origem. Torna-se uma mulher à frente de seu tempo, repleta de ideais e senso de justiça. Faz esgrima, cavalga, é letrada e muito corajosa. Volta para o Brasil e começa a descobrir mais sobre o passado do pai biológico e sobre o sangue revolucionário que corre em suas veias.

José Maria Rubião (Mateus Solano) – É o braço direito de Tiradentes (Thiago Lacerda) na luta pela libertação do Brasil da Coroa até ter a própria vida ameaçada. Entrega o Alferes para a família real portuguesa e tem a vida poupada, sendo eternamente grato por isso. Tenta resgatar um saco de ouro que deixou com Antônia (Letícia Sabatella) e, após uma discussão, acaba a assassinando. Torna-se o Intendente de Vila Rica e preserva os valores da Coroa portuguesa no local. Mora sozinho com a governanta Anita (Joana Solnado), com quem tem uma relação bem íntima, apesar de não nutrir sentimentos por ela. Quando Rosa (Andreia Horta) chega à cidade, a atração é imediata. O que ele não sabe é que ela é Joaquina, filha do Alferes e de Antônia (Letícia Sabatella).

Xavier (Bruno Ferrari) – Jovem recém-formado como médico, passou seis anos em Coimbra. Volta ao Brasil para atuar como médico e se casar com Branca (Nathália Dill), a quem foi prometido antes de viajar. Os pais dele, Matias (Mario Borges) e Brites (Rita Clemente), apostam no casamento para recuperarem a fortuna que um dia tiveram. Tem ideais revolucionários, quer um Brasil livre da Coroa e direitos iguais para todos os homens e mulheres. Se encanta por Rosa (Andreia Horta) e descobrirá, no devido tempo, que os dois compartilham da mesma luta.

Branca (Nathália Dill) – É o melhor partido de Vila Rica. Linda, bem criada, tem valores e comportamento dignos de uma dama. Porém tem uma personalidade insidiosa, calculista e dissimulada. Faz tudo para conseguir o que quer. Reencontra o noivo Xavier (Bruno Ferrari) e quer logo resolver o casamento, afinal sabe que, assim como ela, ele é o melhor partido de Vila Rica. Os pais, Diogo Farto (Genézio de Barros) e Luzia (Chris Couto), um dia fizeram gosto pela união, mas ao saber que a família do moço anda falida, tentam convencer a filha a mudar de ideia.  Mas Branca tem personalidade forte e não vai desistir do homem que ama, mesmo percebendo a aproximação dele com Rosa (Andreia Horta).

Raposo (Dalton Vigh) – É o homem que resgata Joaquina (Mel Maia) após a morte de Tiradentes (Thiago Lacerda) e Antônia (Letícia Sabatella). Até então é simpatizante pela luta dos inconfidentes. Ao ver a pequena testemunhar a morte do próprio pai, ele se compadece de seu sofrimento e assume sua criação. Juntos, eles embarcam para Portugal e lá a chama de Rosa. Apesar de um dia ter apoiado a luta dos inconfidentes, Raposo deve tudo que tem à Coroa portuguesa. Torna-se um importante fidalgo pelas riquezas que adquiriu ao longo dos anos. Anos depois, quando os nobres vêm para terras brasileiras para fugir das invasões napoleônicas, Raposo decide os acompanhar. Por ser um ex-revolucionário que se tornou um conservador, vai entrar em colisão com os ideais de Joaquina.

Dionísia (Maitê Proença) – Irmã de Raposo (Dalton Vigh). Ela é tia de criação de Joaquina/Rosa (Andreia Horta). Dionísia é responsável pela preservação dos bens do irmão no Brasil enquanto ele reside em Portugal. Ela é conservadora, se considera uma senhora de respeito e acaba tendo conflitos com Joaquina por conta da diferença de opiniões. Mas ela ama a sobrinha e faz de tudo para proteger sua identidade, para que nenhum mal a atinja. Dionísia carrega marcas do passado. Cicatrizes causadas pelas surras que levava do ex-marido.

André (Caio Blat) – Filho de Raposo (Dalton Vigh), é o grande confidente da irmã Joaquina (Andreia Horta). Sabe de todo seu passado e teme pela vida dela com o retorno para o Brasil. Quer agradar o pai e tenta acompanhar seus hábitos, mas a sensibilidade do rapaz o mantém distante da brutalidade típica dos homens da época. André tem que lidar com o inesperado amor de Mimi (Yanna Lavigne), linda prostituta que se apaixona por ele.

Bertoleza (Sheron Menezzes) – Negra alforriada criada como filha por Raposo (Dalton Vigh). Cresce ao lado de André (Caio Blat) e Joaquina, a quem conhece como Rosa (Andreia Horta). Não sabe do passado da mulher que considera como irmã. Cresce como fidalga e, ao vir para o Brasil com a família, se depara com um limbo social: não se encaixa na realidade dos fidalgos e nem na dos escravos.

Gaspar (Romulo Estrella) – Arruaceiro de Vila Rica, um dos muitos que vagavam pela capital do ouro, esperando a chance de enriquecer com facilidade. Torna-se um suposto negociante de escravos, quando na verdade é traficante e contrabandista, um tipo disposto a tudo.

Mão De Luva (Marco Ricca) – Grande salteador da região de Vila Rica, líder de um bando, que garante que o lucro fique somente nas mãos de seus integrantes. Pegam itens de valor que podem revender – moedas, roupas, pedras preciosas… O que der lucro, está valendo. Sequestra Joaquina (Mel Maia) ainda criança e tenta trocar a filha de Tiradentes (Thiago Lacerda) por ouro, mas ela consegue fugir. Mais velha, reencontra o salteador, que tentará de novo o golpe. Afinal, agora ela vale ainda mais ouro!

Simão (Nikolas Antunes) – Integrante do bando de Mão de Luva, é o braço-direito do líder. De vez em quando se atrapalha e dificulta os negócios do chefe, mas é fiel e faz de tudo para ajudá-lo.

Caju (Gabriel Palhares) – Bandoleiro mirim do bando de Mão de Luva (Marco Ricca). Muito esperto, fica de olho na movimentação das estradas para já alertar o grupo sobre lucro a caminho!

Ascensão (Zezé Polessa) – É uma mulher que vive à margem da sociedade. Entende de remédios naturais e curas, e conhece os segredos de muita gente da cidade, pois já prestou serviços a muitas delas. Como tem grande conhecimento de práticas médicas, tem fama de bruxa.

Virgínia (Lília Cabral) – Dona do Cabaré de Vila Rica. É uma mulher que encanta os homens por sua sensualidade e inteligência. Promove os encontros dos rebeldes em seu estabelecimento, sendo ela um dos pilares do movimento. No passado, ajudou Raposo (Dalton Vigh) a fugir com Joaquina (Andreia Horta). Ao conhecer Rosa, reconhece no olhar a pequena que carrega o sangue do líder do movimento dos Inconfidentes. Tenta trazer Joaquina para perto e mostrar mais sobre a história de Tiradentes (Thiago Lacerda). Poucos sabem, mas ela é mãe de Rubião (Matheus Solano) e se ressente do caminho que o filho escolheu.

Mimi (Yanna Lavigne) – Trabalha no Cabaré de Virgínia (Lilia Cabral). Sonha em se casar com um príncipe. Tem uma preguiça e tanto dos afazeres domésticos e por isso discute frequentemente com Vidinha (Yasmin Gomlevsky) e Gironda (Hanna Romanazzi). É linda e se apaixona loucamente por André (Caio Blat). Esse amor impossível vai deixá-la arrasada.

Gironda (Hanna Romanazzi) – Trabalha no Cabaré de Virgínia (Lilia Cabral). Não tem habilidades para costurar e cozinhar. Acredita que uma mulher é virgem até encontrar o homem certo, o grande amor. E jura de pé junto que nunca se deitou com um homem, para gargalhada das outras. Na verdade, ela é uma falsa virgem, e sua virgindade será leiloada entre os clientes. Tolentino (Ricardo Pereira), o coronel dos dragões e braço direito de Rubião, cai de amores por ela, e essa paixão o faz se afundar em dívidas para satisfazer os caprichos da moça.

Vidinha (Yasmin Gomlevsky) – É o braço-direito de Virgínia (Lilia Cabral) no Cabaré. É fiel à dona do local e a ajuda em tudo que é possível. A única menina do bordel que sabe ler e escrever.

  

Tolentino (Ricardo Pereira) – É o capitão que captura Tiradentes (Thiago Lacerda). É fiel à Coroa portuguesa e cumpre seu trabalho com precisão e objetividade. Quando Rubião (Mateus Solano) se torna Intendente da Coroa, passam a trabalhar como parceiros na tentativa de manter a ordem de acordo com os interesses da família real portuguesa.

Omar (Bukassa Kabengele) – Vem para o Brasil para ser o espião da Coroa portuguesa e identificar focos de rebelião. Só quem sabe suas reais intenções são o Intendente Rubião (Matheus Solano) e o Capitão Tolentino (Ricardo Pereira). Para vigiar as atividades dos rebeldes, procura emprego no cabaré de Virginia (Lília Cabral). Por ser negro, é discriminado por muitos e, em meio a uma confusão, é resgatado por Xavier (Bruno Ferrari). E não só uma ou duas vezes. Ao descobrir que ele é um dos rebeldes, entra em conflito: preserva a vida do homem que o salvou ou cumpre suas obrigações?

Anita (Joana Solnado) – É a governanta de Rubião (Mateus Solano). Mantém um relacionamento íntimo com o dono da casa e se ressente de sua aproximação com Rosa (Andreia Horta).

Ventura (Vitor Thiré) – Irmão cego de Rubião (Mateus Solano). Apaixona-se por Bertoleza (Sheron Menezes) sem saber que ela é negra.

Diogo Farto (Genézio De Barros) – Apoia o movimento dos Inconfidentes, mas avisa Tiradentes (Thiago Lacerda) que as coisas estão saindo de controle pouco antes da morte do rapaz. Aconselha Antônia (Leticia Sabatella) e ajuda a procurar Joaquina (Mel Maia) quando a pequena foge. Com a morte de Antônia e do Alferes, Diogo Farto alia-se à Coroa portuguesa para manter sua família e sua qualidade de vida. Despreza a promessa de casamento da filha Branca (Nathalia Dill) com Xavier (Bruno Ferrari), pois sabe que a família do moço está falida. Com a chegada de Raposo (Dalton Vigh), vê no jovem André (Caio Blat) uma possibilidade de noivo muito mais interessante, afinal ele é rico.

Luzia (Chris Couto) – Casada com Diogo Farto (Genézio de Barros), cuida dos interesses de Branca (Nathalia Dill) e tenta fazer o possível para controlar os ímpetos da filha. Gosta da vida que o marido lhe dá, das regalias e quer manter o status em Vila Rica.

Alexandra (Juliana Carneiro Da Cunha) – A “mecenas” dos rebeldes, recém-chegada de Paris, irmã de Diogo Farto (Genézio de Barros). Banca os atos dos rebeldes, como financiadora da causa, mas tudo em segredo, porque mantém a fachada de velha dama da sociedade.

Matias (Mario Borges) – Minerador, perde boa parte da fortuna da família quando as terras secam, e o pouco que ganha paga de impostos para a Coroa portuguesa. Hoje trabalha de sol a sol para garantir o sustento da família. Consegue mandar o filho Xavier (Bruno Ferrari) para estudar medicina em Coimbra e aposta no casamento dele com Branca (Nathalia Dill) para recuperar a boa vida da família.

Brites (Rita Clemente) – Casada com Matias (Mario Borges), se esforça para manter a casa em ordem com a ajuda de Celeste (Olívia Araújo). Ama o filho Xavier (Bruno Ferrari) incondicionalmente e pensa sempre no melhor para ele.

Celeste (Olívia Araújo) – É a mucama de Matias (Mario Borges) e Brites (Rita Clemente), que querem a todo custo vender a mulher para conseguir algum lucro.

Caldeira (Jairo Mattos) – É o dono da taverna local. Respeita os mandos e desmandos da Coroa portuguesa na cidade, pois não quer problemas. Guarda um segredo: é judeu, cristão-novo, vítima do preconceito e da intolerância.

Simoa (Leticia Isnard) – Cristã-nova como o marido Caldeira (Jairo Mattos), sonha em ter uma boa vida, com escravos e dinheiro. Acha-se boa demais para trabalhar de sol a sol na taverna/estalagem do marido.

Malveiro (Bruce Gomlevsky) – É o feitor de Dionísia (Maitê Proença). Garante o bom funcionamento da chácara onde a senhora mora e pune os escravos.

Saviano (David Junior) – Trabalha na casa de Dionísia (Maitê Proença) e é constantemente assediado por ela. Gosta mesmo de Luanda (Heloísa Jorge).

Luanda (Heloísa Jorge) – Trabalha na casa de Dionísia (Maitê Proença). Envolve-se com Saviano (David Junior) às escondidas da patroa, que mantém uma relação íntima com o escravo. Quando descobre o relacionamento, Dionísia pune os dois. Luanda detesta Bertoleza (Sheron Menezes), pois não entende como uma negra, apesar de alforriada, priva da intimidade dos brancos.

Blandina (Mariana Nunes) – Trabalha na casa de Dionísia (Maitê Proença). Divertida, bem-humorada, vive sempre longe de encrencas. Não questiona nada, mas tem olho crítico, é observadora e perspicaz.

Esméria (Ju Colombo) – Garimpeira velha da Mina da Travessia, de propriedade de Raposo (Dalton Vigh). Idosa para a lida no garimpo, agora é lavadeira.

Jacinta (Dani Ornellas) – A melhor garimpeira da mina. Encontra um enorme diamante capaz de comprar sua liberdade, mas ele é roubado pelo feitor Malveiro (Bruce Gomlevsky). Por causa dessa injustiça, foge e ajuda a fundar um quilombo.

Padre Vizeu (Marcos Oliveira) – Matou o padre que se dirigia a Vila Rica para tomar a identidade dele.

Participações especiais

Tiradentes (Thiago Lacerda) – Principal nome da Inconfidência, quer livrar a colônia dos mandos e desmandos de Portugal. Envolve-se com Antônia (Letícia Sabatella) no passado e com ela tem uma filha, Joaquina (Mel Maia/Andreia Horta). É um sonhador, como diz a pequena, que o admira apesar dos avisos da mãe. Um dos parceiros da Inconfidência o entrega para a Coroa e ele acaba enforcado diante da filha.

Dona Antônia (Letícia Sabatella) – Cuida da filha Joaquina (Mel Maia/Andreia Horta) e quer distância de Tiradentes (Thiago Lacerda), pai da criança. Ama o Alferes, mas a vida os separou. Hoje o homem só lhe traz problemas e ele ainda ensina conceitos libertários para a pequena, o que preocupa a mãe. É uma mulher forte, que luta para ter uma vida tranquila e ensinar bons valores à filha. Acaba morta pelo homem que entregou Tiradentes para a Coroa Portuguesa.

Publicidade:
Anterior Noite Sertaneja traz Nino Violeiro ao município no dia 07 de maio
Próxima North Shopping realiza campanha de esclarecimento sobre prevenção da gripe