MÚSICA AJUDA A SALVAR VÍTIMAS DE PARADA CARDÍACA


“Funk do Guizinho” e seu ritmo ensinam o ouvinte a reconhecer uma parada cardíaca, iniciar as compressões torácicas, ligar para o número de emergência e aguardar ajuda adequada

Neste sábado, 15 de setembro, das 8h às 16h, a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo – Socesp, treinará 2.500 crianças, de 62 escolas públicas. O exercício será realizado ao som do “Funk do Guizinho”, música criada em 2017 para auxiliar no treinamento de massagem cardíaca (RCP).

De autoria do cardiologista Agnaldo Piscopo, diretor do Centro de Treinamento em Emergências da Socesp, a música e o próprio ritmo ajudam a reconhecer uma parada cardíaca, iniciar a massagem cardiorrespiratória e ligar para o número de emergência.

Aliada ao uso do “Guizinho”, manequim feito à base de garrafa pet para simular os procedimentos em casos reais, a música tem ajudado a tornar o treinamento mais lúdico, de fácil acesso e compreensão da população, principalmente das crianças e jovens, que são potenciais multiplicadores do treinando.

O manequim, criado pelo mesmo cardiologista em 2015, é feito de garrafa pet vazia, camisa velha, isopor ou jornal e grampeador. O molde é uma inovação em treinamentos de compressão torácica, já que os modelos convencionais são muito caros.

De acordo com Piscopo, a garrafa pet oferece a mesma resistência que o tórax em uma massagem de ressuscitação cardíaca e pode ser confeccionada por qualquer pessoa, a um custo baixíssimo. Dada a importância do Guizinho, o cardiologista apresentará seu trabalho em novembro, na cidade de Chicago (EUA), durante o Simpósio de Ressuscitação do American Heart Association (AHA).

A iniciativa, que já treinou mais de cinco mil crianças, visa ajudar os participantes a aprenderem a realizar as compreensões torácicas, que aumentam em até quatro vezes as chances de sobrevivência de uma pessoa que tenha um quadro de parada cardíaca.

Sobre o Guizinho

Os bonecos usualmente empregados em treinamentos custam caro – cerca de 150 dólares cada um – e podem ser usados até seis vezes, no máximo. Para viabilizar treinamentos amplos, foi necessário buscar alternativa econômica e eficiente.

Tal solução atende pelo nome de “Guizinho”, um boneco feito com uma garrafa pet tampada e cheia de ar – cuja pressão fica idêntica ao do tórax humano –, juntamente com outros materiais reciclados, usados para encher a camiseta velha com extremidades grampeadas, que serve de invólucro ao “corpo”.

Testes realizados com 200 estudantes em uma escola de Araras (SP) mostraram que o treino com o boneco “Guizinho” é tão eficaz quanto aquele realizado com os tradicionais manequins importados. O nome do boneco homenageia seu idealizador, o médico cardiologista Agnaldo Piscopo.

Dados alarmantes

Doenças cardiovasculares são a principal causa de mortes no Brasil, provocando cerca de 350 mil óbitos por ano. Metade das vítimas falece em até uma hora a partir da manifestação dos primeiros sintomas.

A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp) aponta que, em média, no Brasil, morrem, por dia, cerca de 720 pessoas vítimas de ataques do coração. Ocorre um óbito a cada minuto e meio.

De acordo com a última Pesquisa Nacional da Saúde (PNS), as doenças cardiovasculares também causam grandes custos com relação a internações hospitalares.

Pesquisa da Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que, em 2024, o Brasil deverá subir para a primeira posição no ranking de mortes por essas doenças.

SERVIÇO

Música ajuda a salvar vítimas de parada cardíaca
Pavilhão B – Transamérica Expo Center
Local: Av. Dr. Mário Av. Dr. Mário, 387 – Santo Amaro
Dia: 15 de setembro
Horário: das 8h30 às 16h

Sobre a SOCESP

A Socesp – Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo é uma entidade sem fins lucrativos, fundada em 1976. Regional da Sociedade Brasileira de Cardiologia e Departamento de Cardiologia da Associação Paulista de Medicina, conta com cerca de 8 mil sócios. Os principais objetivos da Socesp são contribuir para a atualização dos cardiologistas do estado e difundir o conhecimento científico gerado pela própria Socesp aos profissionais da saúde que atuam na Cardiologia e para a população.

Publicidade:
Anterior AS SEIS PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE A TERCEIRIZAÇÃO
Próxima GUAÍRA: TORNEIO LEITEIRO COMPLETA 40 ANOS