Engajar a população na preservação do meio ambiente e mitigar a depredação dos logradouros públicos são objetivos do “Programa Adote o Verde”.

Uma iniciativa da Prefeitura de Guaíra executada pela Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente que prevê a adoção de praças, parques, canteiros e outros, especialmente os  que possuam áreas verdes. O decreto regulamentando a matéria foi publicado no Diário Oficial Eletrônico do Município de 22 de julho (edição nº 902) e os interessados: empresas, terceiro setor (entidades) ou pessoas físicas devem procurar a Secretaria de Agricultura, Abastecimento e Meio Ambiente.

No setor de Agricultura e Meio Ambiente, o proponente será orientado sobre os requisitos e as intervenções que podem ser feitas nos espaços adotados, ressaltando que o adotante terá a incumbência da manutenção e poderá explorar o logradouro, no caso de empresas, por exemplo, com propagandas.

A Prefeitura tem no escopo do projeto diretrizes que nortearão as melhorias urbanas, ambientais e paisagísticas autorizadas para cada tipo de logradouro. A ideia, sempre, é a de promover a funcionalidade, embelezamento e, se possível, o uso do espaço para a interação das pessoas.

“Trata-se de uma forma de conscientizar e trazer a comunidade para o espaço que lhe pertence. Nos espaços públicos cuidados pela própria comunidade a depredação, praticamente, não existe”, realçou o prefeito, José Eduardo Coscrato Lelis.

O período de adoção pode durar de 1 a 4 anos, podendo ser prorrogado, caso haja interesse do adotante, e este, também cumpra com seus encargos, que serão discriminados no termo de adoção, sendo a principal a manutenção, como limpeza.

A Secretaria de Agricultura fica no Anel Vário Julio Rubim (antigo Matadouro) e atende pelo telefone: (17) 3331-2799.

CUSTO DA DEPREDAÇÃO

O setor de Manutenção de Próprios Públicos gasta cerca R$ 20 mil mensais somente com material para consertar o que é depredado todo dia. A equipe deste departamento é composta de 4 funcionários que passam mais da metade da sua jornada consertando o que foi intencionalmente quebrado por uma parcela muito diminuta da população, a conhecida “depredação do patrimônio público”, o que em termos populares significa: destruir bens que pertencem a todos.

Funcionários que deveriam estar fazendo manutenção preventiva como a troca de lâmpadas queimadas ou pequenos serviços de pintura por desgaste, na prática passam a maior parte de sua carga horária repondo lâmpadas, fios e torneiras roubados, entre muitos outros, frutos da falta de consciência de uns poucos que prejudicam todos.

ROTATÓRIA ADOTADA

 

O comerciante Valdemir Ribeiro, proprietário da empresa JR Gás foi um dos primeiros encampar a ideia e adotou a rotatória em frente ao seu estabelecimento, na avenida José Flores, entrada para os bairros Jardim Elisa, Cohab 2 e Miguel Fabiano.

Ele está satisfeito com o projeto e estimula mais comerciantes a participar. Por outro lado conclama a população que evite sujar ruas, praças e ruas. “Limpeza é saúde, é bem estar, é tudo, por isso que fiz esta parceria com a Prefeitura. Espero contar com os demais para não jogando lixo em qualquer lugar. A gente tem que fazer a nossa parte porque só a Prefeitura não dá conta”, ressalta o comerciante.