COMPREENDA OS DIFERENTES PERFIS DE INVESTIDOR PARA TRAÇAR PERSPECTIVAS E APLICAR SEU DINHEIRO SEM RECEIO

Saber qual o perfil que mais corresponde às suas características é fundamental para investir com segurança e aumentar a rentabilidade

Os perfis de investidor diferenciam-se de acordo com as diferentes classificações de riscos. Compreender variados aspectos que os compõem é essencial para o desenvolvimento adequado de um planejamento financeiro eficiente, auxiliando, assim, para a concepção de perspectivas e metas particulares.

A análise pessoal capaz averiguar as principais características referentes ao universo financeiro é essencial para quem deseja investir recursos com tranquilidade e segurança.

Ao realizar aplicações que são incompatíveis com o próprio perfil, o indivíduo estará se expondo a riscos desnecessários, ficando passível à rentabilidade nula e até mesmo à déficits orçamentais.

Para quem deseja operar transações na Bolsa de valores, o identificação do perfil é fator obrigatório. Bancos, corretoras e outras instituições financeiras procuram, também, identificar a qual dimensão o cliente pertence, antes de iniciar os procedimentos requisitados. 

O perfil de investidor é completamente baseado em particularidades naturais, intrínsecas a qualquer indivíduo. A maneira como lidamos com as mais diversas situações, racional e emocionalmente, são qualidades responsáveis pela designação descritiva ideal para aplicações.

A vertente ideal

Quatro expressões são responsáveis pela diferenciação dos perfis de investimento: conservador, moderado, arrojado e agressivo.

Como apontado anteriormente, de modo geral, a definição é caracterizada pelo grau de sujeição a riscos nas operações.

Atualmente, diversos meios, preferencialmente os digitais, fornecem testes capazes de inferir com precisão, por meio de conclusões analíticas e leitura de dados, a personalidade investidora mais compatível com sua disposição.

Haverá uma averiguação acerca da situação financeira como um todo – patrimônio, renda, despesas –, além de outras verificações, como idade, objetivos, prazos e conhecimento de mercado.

O conservador

O primeiro, e mais popular, é o perfil conservador. Caracterizam aqueles que não estão dispostos a correr demasiados riscos, optando por segurança e retorno garantido.

O perfil também prioriza maior liquidez em seus investimentos, em que é possível realizar resgates rápidos e com poucas perdas. Por isso, ele prefere investir em rendas fixas, apostando pouco em renda variável.

Os títulos que mais representam a caderneta de investimento da categoria são: Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA e debêntures. Quando desejam arriscar mais, decidem-se por ações que apresentam retornos previsíveis.

O moderado

Esse é o perfil que concilia os dois extremos. O ajuizado meio-termo corresponde ao investidor que está disposto a encarar determinados riscos, variando um pouco mais os destinos de seus recursos.

Conhecendo um pouco mais sobre o mercado financeiro, o investidor moderado assume riscos maiores visando a obtenção de melhores rendimentos. Porém, estabelece para isso um limite de segurança, a fim de não colocar seu patrimônio, que está em crescimento, em cheque.

Divide sua caderneta de aplicações, selecionando rendas fixas e algumas (em menor quantidade) variáveis.

A cautela é sua principal característica, buscando compreender melhor os contextos antes de agir.

O arrojado

Perfil daqueles que utilizam a razão em favor da precaução, como os moderados, mas que está bem mais disposto a correr riscos.

Expondo-se mais, está consequentemente suscetível a maiores perdas, principalmente em médio e em longo prazo. Essa categoria de investidor compreende que o grau de retorno associa-se ao nível de risco e, assim, opta por investimentos de maiores riscos (mas que prometem lucros mais pesados).

Apesar da citada exposição, o grupo é bem calculista, evitando aplicações que não são pensadas e analisadas previamente. A sensatez pode render ganhos muito maiores, sem sofrer prejuízos desnecessários.

O agressivo

Esse perfil não tem medo das oscilações e riscos recorrentes do mercado financeiro. Para eles, os déficits decorrentes do curto prazo são equívocos ligeiros, não impossibilitam a realização do planejamento a longo prazo.

Essas perdas, inclusive, são muitas vezes relevadas como um mal menor, necessário para a aquisição de altos faturamentos posteriormente.

A parcela compositora desse grupo ostenta grande conhecimento acerca do mercado e das diferentes aplicações realizadas, objetivando, em todas as circunstâncias, a maior rentabilidade. De modo geral, a porcentagem de lucro pretendido deve ser mais alta que a inflação.

mesmo que, para isso, necessite se expor a riscos mais consideráveis, que podem até mesmo causar prejuízos.

Perspectiva de retornos a curtos prazos, aposentadoria confortável, carteira de investimentos diversificada e reservas para emergências (diárias e de cunho mercantil) são aspectos substanciais do estratégico perfil.

Muito categórico com suas pretensões, avalia o mercado e todas as possíveis conjunturas (atuais e futuras), arriscando sempre em grandiosas ações visionárias, mesmo que para isso seja necessário se expor a determinados riscos.

Autoconfiança

Conhecer seu perfil de investidor é extremamente importante para realização de investimentos sensatos, capazes de gerar lucros e aumentar rendas. Sentindo-se confortável com a prática, os resultados tendem ao constante aperfeiçoamento.

Aplicar seu dinheiro em ações compatíveis à características pessoais é sinônimo de segurança e responsabilidade, aspectos essenciais para o sucesso no mundo financeiro.

Publicidade:
Anterior ENTENDA O QUE É APROPRIAÇÃO CULTURAL, ACUSAÇÃO FEITA A UM COMERCIAL DE PERFUME ESTRELADO POR JOHNNY DEPP
Próxima NOVAS VAGAS DE EMPREGO EM GUAÍRA SÃO DIVULGADAS PELO POSTO DE ATENDIMENTO AO TRABALHADOR