São Paulo, 15 de janeiro de 2020 – Nas férias de verão, as crianças realizam atividades esportivas e de lazercom maior frequência. Fora da escola, os riscos de contusões e fraturas também aumentam neste período.Segundo dados do Ministério da Saúde, a queda é a principal causa dos acidentes domésticos registrados no Brasil, respondendo por quase metade dos casos.

De acordo com Rômulo Brasil Filho, ortopedista do Hospital Santa Catarina, em sua especialidade há um aumento de até 20% nos atendimentos a crianças, durante as férias. “A maioria das lesões são nos membros superiores, antebraço, punho, clavícula e ombro, desde escoriações até fraturas com indicações cirúrgicas”, afirma.

Recentemente, o médico tem observado um retorno de lesões comuns até as décadas de 1980 e 1990,ocorridas em brincadeiras com bicicleta, patins, bola e trepa-trepa. “Há um esforço dos pais, independente daclasse social, para fazer com que os filhos brinquem mais ao ar livre, alguns até limitam o acesso diário das crianças à celulares e tablets”.

O ortopedista destaca a importância do esporte para o desenvolvimento dos pequenos, mas ressalta que os pais não podem cobrar resultados dos filhos. “Eles (pais) devem enxergar apenas como atividade de lazer, que promove o relacionamento com outras crianças. O esporte traz ganhos para concentração, disciplina e ensinasobre ganhar e perder”.

Seja brincadeira ou atividade física, é importante que um adulto supervisione a criançada para evitar acidentes. O cuidado se estende, ainda, a dentro de casa. Na cozinha, por exemplo, há fogo e objetos cortantes, portanto,é melhor restringir a presença dos pequenos neste espaço. Rede de proteção nas janelas e o “revestimento” em cantos e quinas também são fundamentais.

“As crianças fazem coisas impossíveis. Os pais devem estar sempre atentos. Mas vale lembrar que meninos e meninas precisam de duas coisas: convívio social e atividades físicas, e isso só é possível reunindo um grupo deles”.

Hospital Santa Catarina

O Hospital Santa Catarina, que completou 113 anos de fundação em 2019, prima pela excelência no atendimento seguro e humanizado. Referência de qualidade em serviços de saúde no Brasil, atende desde pequenos procedimentos até cirurgias de alta complexidade. A instituição filantrópica é parte da Associação Congregação de Santa Catarina, uma instituição filantrópica que impacta na cadeia de valor produtivo do país e atua nos eixos da saúde, educação e assistência social, por meio de 22 Casas e cerca de 14 mil colaboradores, distribuídos em seis Estados brasileiros.

Com infraestrutura moderna, equipamentos de última geração e profissionais altamente qualificados, o Hospital Santa Catarina dispõe de 316 leitos, sendo 79 de UTI, distribuídos em cinco Unidades de Tratamento Intensivo (neurológica, cardiológica, pediátrica, geral e multidisciplinar), 17 salas de cirurgias e pronto atendimento 24 horas.