ESTUDO RELACIONA A APNEIA OBSTRUTIVA DO SONO À DEMÊNCIA E DESENVOLVIMENTO DO ALZHEIMER


São Paulo, 23 de janeiro de 2020 – Existe relação entre a Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAOS) com a Demência, manifestada através da doença de Alzheimer. É o que foi comprovado em um estudo com idosos publicado pelo Journal of Clinical Sleep Medicine.

Os pacientes analisados tinham idade média de 76 anos e um nível moderado de demência. Eles usaram a terapia com CPAP, sigla em inglês para Continuous Positivo Airway Pressure, que significa Pressão Positiva Contínua nas Vias Aéreas, para tratar a Apneia Obstrutiva do Sono.

Na pesquisa, metade do grupo permaneceu usando o aparelho de CPAP por um ano; a outra metade parou de usar. Os resultados mostram que o uso sustentado do CPAP produziu benefícios a longo prazo.

As pessoas que continuaram usando o dispositivo permaneceram estáveis ou apresentaram melhora em quase todas as avaliações; aqueles que pararam de utilizá-lo continuaram se deteriorando. A qualidade subjetiva do sono melhorou significativamente no grupo com CPAP.

Seus sintomas depressivos e sonolência diurna também se estabilizaram. O grupo também mostrou menos declínio cognitivo. Eles apresentaram evidências de melhoria no funcionamento executivo. O CPAP também pareceu ter efeitos positivos em sua velocidade de processamento mental.

A SAOS é uma doença crônica, evolutiva caracterizada pela obstrução parcial ou total das vias respiratórias.

“Ela pode causar paradas repetidas e temporárias da respiração enquanto a pessoa dorme. Em indivíduos adultos, é considerada apneia a suspensão da respiração por 10 segundos em cinco ou mais episódios por hora de sono, o que resulta na redução dos níveis de oxigênio no sangue e pode acarretar em problemas sérios à saúde principalmente quando é considerada grave e não é tratada.”, explica a fisioterapeuta responsável pelo setor de Apneia do Sono do Grupo Microsom, Milena Faria.

Segundo pesquisa realizada com 22.518 pessoas pela Sociedade Brasileira de Neurofisiologia (SBNC), 45% da população brasileira dorme mal e 52% acordam cansados. Atualmente a Apneia do Sono é associada a diversos problemas de saúde, tanto cardíacos como neurológicos como hipertensão, infarto, diabetes tipo 2 e AVC, perda de memória, Demência e Alzheimer.

Sobre o Grupo Microsom

O Grupo Microsom nasceu com o objetivo de tratar de forma mais humana as pessoas com qualquer tipo de deficiência. Ao longo do tempo agregou diversas soluções em seu portfólio, tais como aparelhos auditivos, aparelhos para zumbido, gagueira e apneia do sono. Sua missão é promover qualidade de vida para as pessoas que sofrem de alguma deficiência e precisam de soluções personalizadas e um atendimento humanizado. Ao todo, já conta com quase 30 anos de expertise e mais de 60 pontos de atendimento distribuídos por diversos Estados brasileiros.

Anterior DESCARTE IRREGULAR DE LIXO ESTÁ MATANDO ANIMAIS DO PARQUE MARACÁ
Próxima CINCO PASSOS PARA QUEM QUER ADOTAR INOVAÇÃO EM SUA EMPRESA