Higiene bucal é essencial para manter a saúde em tempos de isolamento

Mesmo com a recomendação de ficar em casa, as pessoas não podem negligenciar a higiene bucal – cuidado é fundamental e previne problemas mais sérios

Escovação pelo menos três vezes ao dia e uso de fio dental são essenciais, uma vez que os hábitos alimentares podem até ter aumentado durante a quarentena;

Por conta da pandemia do novo coronavírus, atendimentos odontológicos eletivos foram suspensos, sendo mantidos apenas os casos de emergência e urgência;

São Paulo, abril de 2020 – A recomendação de ficar em casa por conta da pandemia da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, fez com que muitas pessoas passassem a trabalhar e estudar em casa, mudando completamente a rotina. Mas, mesmo com a diminuição da interação social, os cuidados com a higiene bucal não devem mudar.

Não sair de casa e ter menos contato com outras pessoas pode fazer com que haja negligência nos hábitos de higiene bucal, como diminuir a frequência de escovação e uso de fio dental ou escovas interdentais, essenciais para a manutenção da saúde bucal.

“Mesmo sem sair de casa nossos hábitos alimentares continuam os mesmos, por vezes até mais frequentes. Resíduos alimentares e microrganismos formam a placa bacteriana nos dentes e não perdoam a falta de escovação e de uso do fio dental que cria o ambiente perfeito para cáries, gengivites e mau hálito”, diz o cirurgião-dentista Camillo Anauate Netto, conselheiro do Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP).

O cirurgião-dentista recomenda que a escovação seja realizada pelo menos três vezes ao dia, de preferência com uma escova de cerdas ultramacias para não machucar as gengivas.

“Lembrando que a língua também deve ser higienizada pelo menos uma vez ao dia. O ideal é que isso seja feito com raspadores de língua ou com uma escova diferente da usada para escovar os dentes. Higienizar a língua é muito importante para evitar o mau hálito”, informa o profissional.

A troca regular das escovas de dente também é importante durante o isolamento. “A recomendação é que elas sejam substituídas a cada três meses ou menos em caso de suspeita que o usuário esteja com alguma doença infecciosa ou viral – como o coronavírus”, ressalta Anauate Netto

Atendimento odontológico

Cuidar da higiene bucal também é uma forma de cooperar com o isolamento social e se proteger do contágio pelo novo coronavírus. Devido ao risco de contaminação, os cirurgiões-dentistas estão atendendo apenas em situações de emergências e urgências, seguindo as orientações do Ministério da Saúde, Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Portanto, é recomendado aos pacientes que entrem em contato com o seu cirurgião-dentista antes de procurarem atendimento.

“Quando a pessoa sentir uma dor, tiver uma prótese ou aparelho que está machucando, fratura em restaurações dentais ou sofrer algum trauma leve, que não seja emergência, ela deve consultar o profissional de saúde bucal”, diz o conselheiro do CROSP.

“Se o caso for verificado como urgente, o paciente será atendido com todas as medidas de segurança no consultório”, acrescenta.

Sobre o CROSP – O Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CROSP) é uma autarquia federal dotada de personalidade jurídica e de direito público com a finalidade de fiscalizar e supervisionar a ética profissional em todo o Estado de São Paulo, cabendo-lhe zelar pelo perfeito desempenho ético da Odontologia e pelo prestígio e bom conceito da profissão e dos que a exercem legalmente. Hoje, o CROSP conta com mais de 145 mil profissionais inscritos. Além dos cirurgiões-dentistas, o CROSP detém competência também para fiscalizar o exercício profissional e a conduta ética dos Técnicos em Prótese Dentária, Técnicos em Saúde Bucal, Auxiliares em Saúde Bucal e Auxiliares em Prótese Dentária. Mais informações:  www.crosp.org.br

Publicidade:
Anterior Chegada do outono contribui para a disseminação do novo coronavírus
Próxima Mackenzie disponibiliza parte de cursos gratuitos em EaD durante a quarentena