Maio, 2020 – Segundo a Federação Brasileira de Gastroenterologia, cerca de 70% da população brasileira possui algum tipo de gastrite. Essa é apenas uma das doenças relacionadas ao sistema digestivo.  Comemorado todo dia 29 de maio, o Dia Mundial da Saúde Digestiva foi criado pela instituição World Gastroenterology Organization (WGO) e é propagado, aqui no Brasil, pela Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG). Com o intuito de alertar a população sobre a importância do diagnóstico correto e precoce no tratamento das doenças do aparelho digestivo, a data divulga temas anuais, indicados pelo calendário mundial de ações educativas. Este ano, o tema é Microbioma Intestinal.

Conhecido como o conjunto de bactérias que habitam diversas partes do nosso organismo, especialmente o intestino, o Microbioma Intestinal ajuda a proteger o nosso corpo contra o ataque de microrganismos nocivos, assim como auxilia na digestão e absorção de nutrientes complexos. De acordo com a WGO, o conjunto de bactérias é um patrimônio genético muitas vezes menosprezado, mas que desempenha um papel primordial na saúde humana.

Care Plus convidou a dra. Nilma Lucia Sampaio Ruffeil, médica gastroenterologista e hepatologista, para falar um pouco sobre a importância da data e sua relação com o Dia Mundial sem Tabaco (31 de maio), o cenário da saúde digestiva no Brasil, e cuidados essenciais durante e após a pandemia da Covid-19.

“Ao trazer discussões sobre prevenção e cuidados, o Dia Mundial da Saúde Digestiva é extremamente relevante. A data contribui com debates sobre o cenário da área e também sobre temas específicos”, afirma a médica. Nilma revela ainda que, no Brasil, as principais queixas no consultório atualmente estão associadas com refluxo gastresofágico (RGE), constipação intestinal e esteatose hepática (gordura no fígado).

Com base em orientações da especialista, confira alguns dos principais cuidados que são recomendados em consultório, destacando que é fundamental procurar um especialista, pois o diagnóstico de cada pessoa determina um tratamento específico:

  • Doenças como RGE, gastrite, úlcera – dieta fracionada, comer lentamente, não se deitar logo após a refeição, não beber água durante as refeições, evitar bebidas gasosas;

  • Doenças como esteatose hepática – dieta fracionada, rica em fibras, pobre em açúcares e gorduras, fazer atividade física, evitar consumo de álcool;

  • Constipação– aumentar a ingestão de fibras e água na alimentação, fazer atividade física.

“Além dos cuidados já referidos, é importante evitar o excesso de pimenta, não tomar café de estômago vazio, e evitar mascar chicletes. Para as crianças, é importante controlar a ingestão de balas e refrigerante. Já para os idosos que costumam fazer o uso de muitos medicamentos, estes não devem ser tomados em jejum, para prevenir agressão gástrica”, reforça. Segundo a especialista, a alimentação contribui para o bem-estar e, inclusive, pode reduzir as chances de uma pessoa desenvolver diversas doenças.

Mitos sobre a saúde do sistema digestivo

A doutora ainda esclarece dois mitos popularmente conhecidos pelos brasileiros:

“Se eu não tratar essa úlcera, ela pode virar um câncer”. Úlcera não vira câncer, mas câncer pode se manifestar na forma de úlcera; por isso ela deve ser biopsiada para o correto diagnóstico.

“Essa boca amarga é problema de fígado”. Fígado é um órgão que sofre calado, não tem sintomas, exceto em fase avançada de alguma doença. Normalmente, “boca amarga” está associada com presença de refluxo gastresofágico (RGE).

Dia Mundial da Saúde Digestiva e sua relação direta com o Dia Mundial sem Tabaco

Celebrado muito próximo ao Dia Mundial da Saúde Digestiva, o Dia Mundial sem Tabaco (31 de maio), apresenta uma forte conexão com a primeira data. O fumo está associado com maior risco de câncer pulmonar, diabetes mellitus, doenças cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio, e acidente vascular cerebral. Porém, como explica a médica, ele também está presente no diagnóstico de doenças que afetam o aparelho digestivo.

“Dentre as doenças digestivas, o hábito de fumar pode levar a pessoa a desenvolver RGE, gastrites ou úlceras associadas à alteração do ácido gástrico e redução dos fatores que protegem a mucosa gástrica, além de estar associado à situações de pólipos de cólon; doença de Crohn – doença inflamatória intestinal -; inflamação de pâncreas – pancreatite; formação de cálculos biliares; câncer de boca, esôfago, estômago e cólon”

Nilma revela que a prevenção e os cuidados são essenciais para evitar o agravamento de doenças. Diversos tipos de câncer no aparelho digestivo podem ser fatais se diagnosticados em fases já avançadas, como o câncer de esôfago, que tem grande relação com o fumo.

Cuidados e dicas com a saúde digestiva durante a pandemia da Covid-19

A chegada da pandemia da Covid-19 exige um olhar ainda mais cuidadoso para a saúde digestiva. Além das dicas de prevenção mencionadas por Nilma, é preciso prestar atenção aos sintomas que podem estar relacionados à Covid-19.

“Pacientes podem apresentar um quadro com sintomas digestivos por meio de náuseas, anorexia e diarreia, na ausência de manifestações respiratórias. Esse quadro tem uma evolução mais prolongada do que aquela situação de uma gastroenterite comum, sendo algumas vezes associada com perda do paladar e também olfato – é preciso estar atento para fazer o diagnóstico do coronavírus nessas situações”, reforça.

Desde, 2019, a Care Plus oferece a seus beneficiários o serviço de Telemedicina, que conta com acompanhamento médico contínuo para queixas agudas dos pacientes. Durante a pandemia, o serviço tem tido um retorno excepcional. A tecnologia tem sido fundamental para a realização dos serviços humanizados, com uma área exclusivamente focada no vírus. Mesmo antes da recomendação da ANS, a operadora já tinha o serviço implementado e, atualmente, a plataforma tem colaborado com a saúde dos pacientes ao evitar com que eles saiam de casa e ao oferecer profissionais de excelência.

 

Sobre a Care Plus

Care Plus faz parte da Bupa, que tem presença em mais de 190 países. Há mais de 28 anos, fornece soluções de saúde premium, por meio de uma ampla gama de produtos (medicina, odontologia, saúde ocupacional e medicina preventiva). É a principal operadora de saúde no Brasil em seu nicho de mercado, atendendo a mais de mil empresas e cerca de 112 mil beneficiários.