NO DIA FOLCLORE, CONHEÇA DEZ MITOS EM TORNO DO VINHO

“Vinho se bebe sem gelo”, “Vinho de rolha é melhor”, a Wine To You (W2U) responde algumas dúvidas comuns sobre esse universo

Dia 22 de agosto é comemorado o Dia do Folclore no Brasil e, para comemorar a data, o pessoal da Wine To You (W2U) decidiu desmistificar algumas lendas que circundam o mundo dos vinhos.

Com mais de 50 vinhos em seu portfólio. incluindo o Rosé Piscine – vinho rosé francês mais vendido no Brasil em 2018 e 2019 -, a empresa trouxe ao mercado brasileiro um novo conceito de vendas da bebida por e-commerce, com preços acessíveis para atender diversos tipos de consumidores, inclusive, os que não têm muito conhecimento sobre a bebida.

Veja abaixo alguns mitos mais comuns

  1. Quanto mais velho o vinho, melhor

Com certeza você já ouviu essa teoria e, talvez até conheça alguém que guardou uma garrafa fechada de vinho por anos, esperando que ela aumentasse em qualidade e valor. Então, cerca de 90% de todo o vinho produzido no mundo deve ser consumido em um ou dois anos a partir da data de fabricação, e muitos entusiastas do vinho na verdade preferem o vinho quando ele é jovem e fresco.

Apenas um pequeno número de vinhos beneficia do envelhecimento. Estes tendem a ser de qualidade excepcional e frequentemente apresentam níveis elevados de taninos e/ou acidez, uma vez que estes elementos ajudam a conservar o vinho.

  1. Não se deve colocar gelo no vinho

Por ser uma bebida complexa, ainda existe gente que torce o nariz com a possibilidade de ter qualquer acompanhamento ou adereço que possa influenciar no sabor da bebida. É verdade que o gelo poderá fazer com que o vinho perca algumas das suas principais características, mas também pode ser usado para temperar o vinho que é especialmente alcoólico, semelhante ao que você faria com um bom uísque.

Além disso, existem vinhos mais concentrados, criados especialmente para colocar gelo, como é o caso de Rosé Piscine, que traz um aroma sedutor e maior concentração de açúcar e que exige o consumo com gelo para se atingir o equilíbrio.

  1. Vinho Rosé é uma mistura de tinto com branco

Esse é um mito antigo mas que muita gente acredita até hoje. O Rosé é, na verdade, um vinho produzido com uvas tintas. Durante a vinificação, o mosto das uvas (ou seja, o suco antes de ser fermentado) fica em contato com as cascas por um breve período para extrair apenas um pouco de cor e aromas

  1. O vinho branco deve ser servido gelado e o tinto nunca

Você provavelmente já ouviu a idéia de que o vinho tinto deve ser servido em temperatura ambiente, enquanto o vinho branco deve ser servido gelado. Na realidade, porém, você obterá os melhores resultados se os vinhos tintos e brancos forem servidos resfriados ou em temperatura ambiente. Se o vinho branco for servido muito frio, você não conseguirá sentir as nuances em seu sabor, e se o vinho tinto for servido muito próximo da temperatura ambiente, ele pode ter um gosto plano. Não tenha medo de experimentar ou de perguntar ao sommelier que temperatura eles recomendariam!

Dica: a ‘temperatura ambiente’ é provavelmente mais fria do que você pensa. As temperaturas ideais para servir vinhos tintos variam de 13˚C-18˚C (55˚F-64˚F).

  1. Vinho com rolha de rosca são vinhos de má qualidade

No passado, os vinhos com tampa de rosca eram considerados baratos ou inferiores aos vinhos selados com uma rolha. Mas hoje, a distinção entre rolha e garrafas com tampa de rosca tornou-se muito mais obscura. Graças à nova tecnologia, as tampas de rosca podem ser muito mais confiáveis ​​do que as rolhas, que variam em sua capacidade de prevenir a oxidação dentro da garrafa.

As tampas de rosca tornaram-se populares entre os bebedores de vinho, pois são mais fáceis de abrir e armazenar, e preferidos por muitos vinicultores e importadores, pois causam menos falhas no vinho.

  1. Vinho em caixa são ruins

O tipo de recipiente raramente afeta a qualidade do vinho dentro dele, mas pode influenciar a vida útil do vinho. Mas, como a maioria dos vinhos não é feita para envelhecer, uma bolsa bag-in-box ou mesmo uma lata de metal pode conter um vinho fantástico, desde que proteja a bebida interna da luz e do ar.

Um número cada vez maior de produtores de vinho está procurando alternativas às garrafas de vidro para tornar o transporte do vinho mais sustentável e abrir e consumir o vinho mais fácil para o bebedor. É provável que vejamos mais vinhos excelentes sendo embalados em formatos alternativos no futuro. Portanto, não julgue o vinho pela embalagem!

  1. Uma colher manterá os espumantes melhores

É possível que você conheça alguém que coloca uma colher de metal ou um garfo dentro da garrafa de espumante antes de colocá-la na geladeira, pensando que manterá as borbulhas por mais tempo. O raciocínio por trás disso parece muito convincente, afinal, como um bom condutor, a colher de metal é rapidamente resfriada na geladeira, o metal frio então emite um ar mais frio ao redor, supostamente tornando mais difícil para o gás escapar da garrafa. No entanto, isso foi testado por muitos pesquisadores respeitáveis ​​e foi considerado ineficaz.

Dica: Se você não terminar uma garrafa de espumante de uma vez, é melhor comprar uma boa rolha de espumante.

  1. Espumantes são só para ocasiões especiais

Nos dias de hoje, é uma tragédia que algo tão delicioso como um espumante seja reservado para algumas ocasiões fugazes por ano. Você não precisa esperar por uma desculpa para abrir uma garrafa de espumante: ele combina perfeitamente com vegetais e frutos do mar e é considerado um dos vinhos mais versáteis para beber com comida. E você não precisa quebrar o banco para beber como uma celebridade – há muitos vinhos espumantes de qualidade que podem ser comprados por valores super acessíveis.

  1. Você só deve beber vinhos rosés no verão

Rosé certamente vai bem com o sol – e o tipo provençal faz uma combinação maravilhosa com saladas de tomate, alcachofra ou outras iguarias de verão. Mas você pode – e deve – beber rosé o ano todo. Combine rosés com qualquer coisa como baba ganoush e homus, saladas de verdes a grãos, pizza e massas com pesto, falafels, caril, legumes temperados marroquinos com cuscuz, vegetais grelhados de verão com ervas frescas, ratatouille, paella vegetariana, azeitonas e comida mexicana.

  1. Vinho Rosé é só para mulheres

Qualquer pessoa que divide o conteúdo de seu bar em linhas de gênero merece ser condenada a beber apenas água para sempre. Rosé é para quem gosta de um bom vinho. Se você for maior de idade para beber e possuir algumas papilas gustativas, é para você.

Para mais informações acesse https://www.winetoyou.com.br/ e www.rosepiscine.com.br e escolha o vinho que melhor agrade seu paladar

Sobre o Rosé Piscine

O Rosé Piscine é uma bebida sofisticada e irreverente, já que possibilita ao consumidor degustar o vinho de forma diferenciada – com duas a três pedras de gelo. Feito sob medida para aqueles que gostam de drinques refrescantes, ele é composto por 100% de uva Negrette, traz graduação alcoólica de 11% e deve ser consumido em uma temperatura que varia entre 6 e 8 graus. Seu aroma é levemente frutado, com notas de pêssego, limão e morango e traz um sabor com toque de lichia, mistura que proporciona um final exótico para quem o aprecia. Reconhecido como o primeiro vinho rosé do mundo a ser bebido com cubos de gelo, Rosé Piscine tem se tornado cada vez mais uma das preferências dos brasileiros, sendo o vinho francês importado mais vendido no Brasil, em 2018 –, segundo dados da Ideal Consulting. Seu rótulo colorido, com listras azuis e brancas, a garrafa se destaca em qualquer lugar que é exibida. Este refrescante vinho foi criado em Saint-Tropez e produzido na região sudoeste da França, país onde a bebida vende mais de um milhão de garrafas por ano.

Publicidade:
Anterior EMPRESA DE BIOTECNOLOGIA CRIA TESTE DE AUTO COLETA PARA COVID-19 COM 100% DE EFICÁCIA E RESULTADO EM 24 HORAS
Próxima PRIMEIRA VACINA CONTRA O CORONAVÍRUS DESENVOLVIDA INTEIRAMENTE NO BRASIL AVANÇA RUMO AOS TESTES NECESSÁRIOS PARA APROVAÇÃO