Como atender às necessidades e demandas do mercado “Faça Você Mesmo”?

51% dos consumidores afirmam ter feito reformas ou reparos em casa por conta própria durante a pandemia.

Realizar reparos ou reformas por conta própria nunca foi uma tarefa fácil. Arriscar-se na pintura de uma parede ou na troca de um sifão, além de gerar tensão, pode até mesmo resultar em prejuízo para o pintor ou encanador de primeira viagem.

Porém, durante a pandemia, 51% dos consumidores revelam ter se aventurado em uma atividade “faça você mesmo” relacionada a reparos ou pequenas reformas em casa. O dado foi apurado em uma pesquisa* realizada pela Oficina da Estratégia, consultoria especializada em projetos de mapeamento da jornada e experiência do cliente, e indica que, em situações de necessidade, uma boa parte dos consumidores se dispôs a testar suas habilidades manuais. Uma mudança significativa na cultura dos brasileiros em relação a esse assunto.

Em pesquisa complementar ** realizada pela Oficina no mesmo período, esta junto aos pequenos e médios lojistas de material de construção, a percepção sobre as mudanças no mercado de “faça você mesmo” é reforçada. 77% dos lojistas perceberam o aumento do consumidor “do it youself” nas lojas. Seja para economizar com a mão de obra, pela vontade de colocar a mão na massa ou pelo até pelo receio de abrir sua casa para pessoas desconhecidas durante a pandemia, o consumidor se mostrou mais aberto para aprender e praticar essas atividades.

Quando se trata de programar reformas para um futuro próximo, o panorama muda: apenas 19% dos consumidores indicam a possibilidade de seguir com a ideia de reparos em casa feitos por conta própria. Mas, apesar do percentual ser mais baixo, é possível identificar que há um mercado de consumidores “faça você mesmo” se formando. Segundo Eveline Iannarelli, sócia-fundadora da Oficina da Estratégia, entender com profundidade o comportamento desse novo consumidor será uma tarefa imprescindível para os profissionais de marketing do segmento. “Aqueles que conseguirem se colocar na pele desse cliente e desenvolver soluções para as demandas apresentadas são os que têm mais chance de se destacar neste momento. Criar produtos prontos para o uso, que não requeiram diluições ou outros preparos complicados, disponibilizar assessoria por profissionais especializados e até o desenvolvimento de tutoriais com passo-a-passo são alguns exemplos do que pode ser feito para facilitar a sua vida do novo consumidor.

Se quiser falar mais sobre o assunto, entre em contato conosco: contato@oficinadaestrategia.com.br

* Pesquisa “Você, sua casa e a pandemia”, realizada pela Oficina da Estratégia entre julho e agosto de 2020 (250 consumidores: 72% moradores da cidade de São Paulo; 80% entre 30 e 60 anos; 86% entre dois a quatro moradores na mesma casa e 100 donos de lojas de material de construção de São Paulo).

** Pesquisa “Lojas de Material de Construção e a pandemia”. (100 donos de lojas de material de construção de São Paulo).

Publicidade:
Anterior Xbus lança promoção para viagem São Paulo – Ribeirão Preto com volta grátis
Próxima Dia das Crianças - Procon-SP dá dicas para quem vai comprar o presente pela internet