HPV e tabagismo: como esses dois fatores influenciam no aparecimento dos tumores de cabeça e pescoço


Carlos Fruet, oncologista do InORP Oncoclínicas

 

Localizados em regiões como boca, língua, gengivas, bochechas, amígdalas, faringe, laringe, tireoide e seios paranasais, os tumores de cabeça e pescoço, segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), atingem mais de 36 mil brasileiros ao ano.

“Nos últimos anos, principalmente em pacientes mais jovens, há uma tendência de aumento dos casos de câncer na região orofaringe devido à transmissão do HPV. Pesquisas recentes mostram que, em média, os casos acontecem na faixa etária dos 25 aos 35 anos. Este tipo de câncer é totalmente prevenível tanto pela vacinação contra o HPV quanto pela adoção de práticas sexuais seguras”, conta Carlos Fruet, oncologista do InORP Oncoclínicas.

Os casos relacionados ao HPV se dão, em grande parte, pela prática do sexo oral sem proteção. Para reforçar a prevenção, o oncologista lembra que o uso de preservativo é indispensável. Há disponível anualmente pelo SUS a vacinação contra o HPV para as faixas etárias de 9 aos 14 anos para as meninas, e 11 a 14 anos para os meninos.

“Além de importante para as meninas a vacina deve ser realizada também nos meninos. Ela é uma das mais completas disponíveis, pois ajuda na prevenção de diversos tipos de câncer, entre eles de colo de útero, boca, garganta, ânus, vulva, vagina e pênis. Muitas pessoas questionam o porquê de ela ser aplicada no início da adolescência. Este fator é essencial uma vez que a vacina é mais eficaz antes que se tenha tido qualquer contato com este tipo de vírus”, acrescenta o oncologista.

Outro ponto que também é mencionado pelo oncologista para o aparecimento dos tumores de cabeça e pescoço é o tabagismo. Cerca de 90% dos pacientes diagnosticados são fumantes, de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS).

“É importante ressaltar que estamos falando de tipos de câncer que são evitáveis. Apenas com a mudança de hábito é possível não só prevenir, mas ter uma vida mais saudável em todos os sentidos. Estudos por todo o mundo demonstram que a combinação de fumo e consumo de álcool excessivamente são os principais fatores de risco para o desenvolvimento das neoplasias de cabeça e pescoço”, aponta Carlos Fruet.

Sintomas e diagnóstico
Assim como praticamente todos os tipos de câncer, quanto mais cedo descoberto, maiores são as chances de cura com o tratamento. Os primeiros sinais do câncer de cabeça e pescoço podem ser lesões na boca que não cicatrizam em 15 dias, dificuldades e dor ao mastigar e engolir e nódulos no pescoço.

“Outros sinais são manchas na parte interior da boca, mudança de cor e também rouquidão persistente. Nesta prevenção, podemos incluir também a manutenção da saúde bucal com idas frequentes ao dentista. Qualquer sinal que seja fora do comum é importante procurar ajuda de um especialista”, comenta Dr. Carlos.

Hoje, os tratamentos para os tipos de neoplasias que envolvem a cabeça e pescoço são multidisciplinares com acompanhamento de vários profissionais da área.

“Tudo vai depender da localização, idade do paciente e saúde em geral. Por isso, a importância do diagnóstico precoce e de sempre manter a saúde em dia”, finaliza.

Anterior COMO LEVAR CRIANÇAS AO DENTISTA SEM MEDO?
Próxima MAIOR RESORT DO BRASIL INAUGURA NOVA FASE NO TURISMO DE OLÍMPIA