Pular para o conteúdo

Senac Barretos

Alerta: Lombalgia não é um diagnóstico

O fisioterapeuta, Bernardo Sampaio, explica tudo que você precisa saber sobre o assunto, confira!

A lombalgia (dor lombar ou dor nas costas), é um problema muito comum entre a população, acometendo de jovens a idosos. Mais de 90% da população irá ter um episódio de dor lombar em suas vidas.

“Não podemos dizer que a lombalgia é um diagnóstico, pois a dor lombar pode ter várias causas, sintomas. Essa dor pode ter diversas causas como por exemplo, nervo, músculo articulação, por isso, não pode ser um diagnóstico fechado como uma causa. Em geral, a dor nas costas tem uma origem inespecífica, pois pode ser devido a múltiplos fatores como má postura; lesão muscular; artrose; sobrecarga entre outros”, comenta o fisioterapeuta.

Menos de 10% dos casos de dor lombar possuem origem em causas graves como inflamatórias, tumorais, por exemplo. Em relação os sintomas, esses podem ser inúmeros, mas na grande maioria incluem uma dor local ou irradiada para as pernas, é normal também em alguns casos ter uma inflamação na região e contraturas musculares.

“Você já entendeu que a dor lombar pode acometer qualquer pessoa, de qualquer idade, sexo e nível de atividade, mas se você está em um grupo de risco, pode estar mais exposto a sofrer com os sintomas. Condições como gravidez, idade, baixo nível de condicionamento e a existência de doenças pré-existentes, como a fibromialgia, podem favorecer o incômodo.”, comenta Bernardo Sampaio.

Abaixo, o especialista mostra alguns fatores de risco, confira:

Idade: Conforme as pessoas envelhecem, a perda de força dos ossos pela osteoporose pode levar a fraturas. O tempo também leva a uma diminuição natural da elasticidade e dos tônus musculares.

Sedentarismo: Musculatura abdominal e lombar enfraquecidas podem não suportar corretamente a coluna vertebral. Além disso, alguns estudos mostram que o exercício aeróbio é benéfico para a manutenção da integridade dos discos intervertebrais.

Ganho de peso: Estar acima do peso, obeso ou ganhar uma quantidade significativa de peso rapidamente pode colocar pressão e levar a dor lombar.

“Após sentir um incomodo ou algo parecida na região das costas, o ideal é que você procura um fisioterapeuta e explica a situação, dessa forma o profissional consegue entender o caso e verificar o que é melhor, pode pedir alguns exames mais específicos ou já encaminhar alguns exercícios dentro da fisioterapia. Dica mega importante que eu deixo: sempre procure um profissional, ás vezes temos um incomodo apenas, pensamos que não é nada demais, mas com o passar do tempo pode se tornar algo bem desagradável”, conclui o fisioterapeuta Bernardo Sampaio.

Para saber mais sobre dores, tratamentos e dicas. Acesse: www.itcvertebral.com.br

BERNARDO SAMPAIO: Fisioterapeuta pela PUC-Campinas (Crefito: 125.811-F), diretor clínico do ITC Vertebral e do Instituto Trata, unidades de Guarulhos, Bernardo Sampaio é também professor em cursos de pós-graduação em fisioterapia traumato-ortopédica, professor em fisioterapia do Centro Universitário ENIAC (Guarulhos) e também leciona como convidado nos cursos de pós-graduação na Santa Casa de São Paulo. Possui experiência em fisioterapia ortopédica, traumatologia e esporte; e especialização em fisioterapia músculo esquelética, aprimoramento em membro superior e oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo. Mestrando em ciências da saúde pela faculdade de ciências médicas da santa casa de São Paulo. Saiba mais em: www.institutotrata.com.br e www.itcvertebral.com.br