Pular para o conteúdo

Senac Barretos

Como construir ou reformar sabendo exatamente quanto gastar?

A inflação tem assombrado não apenas na hora das compras de mercado ou ao encher o tanque de combustível, o consumidor também tem se assustado com os preços das reformas e serviços de forma geral, assim como os preços dos imóveis novos e de diversos serviços, reflexo da escalada dos preços gerados pela inflação.

Na busca por tentar reduzir o impacto da inflação para quem quer construir ou reformar especialistas indicam estocagem de materiais e uma programação financeira que permita negociar passo a passo da obra com os fornecedores de material e mão de obra, mas pode ocorrer de não ser suficiente, pois se por um lado alguns materiais de construção são perecíveis, como cimento, por exemplo, por outro não se pode fazer um contrato de prestação de serviços com tamanha flexibilidade que caiba todos os reajustes de um período de 4 ou 6 meses, prazo médio de uma obra de reforma, por exemplo.

O empresário e técnico de edificações Utter Borsatto, diretor de uma empresa de engenharia e reformas no Rio de Janeiro dá dicas para quem pretende iniciar uma reforma ou construção. “Um ponto importante a superar é o imaginário com relação aos custos dos serviços de reforma, nosso setor ficou quase totalmente paralisado durante a pandemia. Quando retomamos, tivemos de atualizar todos os nossos custos e não paramos mais de fazer isso, mês a mês.”

A realidade de hoje é muito diferente da vivenciada antes da pandemia iniciada em 2020, quando se podia pensar em uma boa reforma na casa dos R$ 2.500,00 o metro quadrado para o consumidor final, na  modalidade chamada de reforma de porteira fechada, como é chamada a modalidade em que o cliente recebe a obra pronta, do projeto à finalização de acabamento, incluindo os materiais. Hoje facilmente uma reforma com acabamento médio padrão chega entre R$ 3.500,00 a 4.000,00 por m² no Rio de Janeiro.

Para se ter uma ideia, os Custos Unitários Básicos de Construção (CUB/m²), calculados conforme a Lei Fed. nº. 4.591, de 16/12/64 e com a Norma Técnica NBR 12.721:2006 da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), emitidos pela SINDUSCON apresenta, no padrão normal, ou seja, intermediário, o custo por metro quadrado construído em junho de 2022 a partir de R$ 2.455,44. Lembrando que esses são os custos estimados de construir do zero, sempre mais baratos do que reformas de médio padrão, que ainda incluem demolição. 

As empresas têm buscado no relacionamento com os fornecedores um caminho para atenuar o impacto do reajuste dos insumos, que significa facilmente um aumento de preços médios na casa dos 50% se comparado ao período pré-pandêmico.

Thais C. Ribeiro, engenheira civil, alerta para os riscos de contratar profissionais sem formação na área, outra medida fundamental para mitigar riscos de surpresas e custos inesperados na hora de construir ou reformar “uma obra feita sem o devido planejamento ou acompanhamento técnico pode custar muito mais do que o cliente imagina. Já acompanhei casos em que o cliente perdeu toda a obra, tendo de quebrar tudo e fazer tudo do zero novamente”.

Então como ter segurança na obtenção de um orçamento de reforma? Aqui está uma lista com 10 dicas para não ter surpresas na hora de contratar uma obra de reforma ou construção:

1 – Se tratando de uma construção ou uma reforma, o recomendado é começar por contratar um projeto arquitetônico e de instalações, a existência de um projeto bem elaborado pode significar uma economia superior a 20% nos custos de uma reforma e até 30% no caso de uma construção;

2 – Se for um reparo pontual, como uma infiltração ou um vazamento, o melhor caminho é consultar um profissional técnico habilitado para fazer o diagnóstico, fugir de curiosos e de “orçamento grátis” são os primeiros passos para evitar problemas;

3 – A maioria das intervenções de reforma podem ser executadas e supervisionadas por técnicos de edificações, até mesmo reformas de fachadas, por exemplo, só há a necessidade de engenheiros e arquitetos em questões de maior complexidade que envolvam alterações estruturais, contratar os profissionais adequados garante redução de gastos;

4 – Buscar informações sobre a empresa e/ou profissional que está contratando através da internet, em ferramentas de busca e nos sites dos conselhos profissionais como CREA, CAU e CRT;

5 – Se a reforma pretendida for em uma fachada, o recomendado é começar por contratar um laudo de percussão. Esse laudo vai permitir ter o levantamento de área a ser recuperada com precisão, evitando surpresas após contratar o serviço de reforma da fachada;

6 – É de bom-tom evitar orçamentos sem compromisso e avaliações técnicas gratuitas: não existe serviço gratuito, nesse caso só não está claro aonde será feita a cobrança;

7 – Ter cuidado quando pesquisar na internet sobre custos de reformas e mão de obra em geral: nem sempre as informações estão atualizadas e/ou consideram boas práticas construtivas.

8 – Com a ajuda de um profissional, é possível fazer uma lista de todos os materiais a serem utilizados nas várias etapas da obra, com essa relação em mãos, pode-se buscar orçamentos num número maior de fornecedores, a variação em alguns itens pode surpreender.

9 – Cuidado redobrado ao contratar profissionais liberais, além dos riscos com vínculo empregatício vale verificar a possibilidade de ter garantia dos serviços prestados.

10 – Ao contratar uma empresa ou profissional, é bom que exista um contrato detalhando cada etapa da obra, contendo prazos e formas de pagamento.