Praça do Aniceto recebe a peça teatral ‘A Farsa do Advogado Pathelin’

A praça 'Tosimiti Nomura' (praça do bairro Aniceto), recebe a 'Cia Rosa dos Ventos de Teatro' que apresenta a peça 'A Farsa do Advogado Pathelin'
clique para ampliar
clique para ampliar
clique para ampliar

Com sua política de difundir a cultura para todos, atingindo principalmente os bairros com maior concentração de população, o novo coordenador de Cultura do Município, Pitt Dias já elencou uma peça teatral para a praça do bairro Aniceto Carlos Nogueira ainda neste mês. No dia 26, às 20h a praça Tosimiti Nomura, praça do Aniceto, recebe a Cia Rosa dos Ventos de Teatro que apresenta a peça A Farsa do Advogado Pathelin.

Sinopse
O espetáculo de rua propõe uma saborosa fusão entre circo e teatro. Um trabalho instigante, atual e curioso que utiliza o jogo do palhaço, acrobacia, malabarismo, pernas de pau e música ao vivo para contar a história do advogado Pathelin, um grande trapaceiro que diante de sua ruína financeira aplica um golpe em Guilherme Côvado, renomado comerciante de tecidos.

A surpresa desta montagem fica a cargo da inserção de conflitos paralelos vividos entre os palhaços durante a encenação. O grupo que chega à rua tem suas divergências internas e, com muito humor, elas se revelam colocando uma história dentro da outra.

Com muito humor, improvisos, trocadilhos com o público, num tom muitas vezes escatológico e impudico, o espetáculo A Farsa do Advogado Pathelin revela o ser humano em sua ganância e habilidade para tirar vantagens. O personagem que dá título a esta farsa escrita em 1470, ainda hoje é citado por parlamentares que aludem seu nome em discursos moralizantes contra os maus hábitos na política.

O resultado é uma festa cômica que envolve o público em duas histórias: a farsa propriamente dita e as muitas discussões e desentendimentos que se traduzem em pegadinhas, diabruras e molequice.

A Farsa do Advogado Pathelin mexe com os poderes morais e políticos, levando à cena seres alucinados pela pobreza e pelos humores do baixo ventre, entorpecidos pela oportunidade de trapacear a todos e a si próprios.

O espetáculo que tem no elenco Fernando Ávila, Gabriel Mungo, Robson Toma e Tiago Munhoz, com direção de Roberto Rosa dura 65 minutos e tem a classificação indicativa de 12 anos.

Publicidade:
Anterior Casa de Cultura recebe doação de livros em braile
Próxima Judocas do C.T. Meninos de Ouro/AABB são destaque no 11º Torneio de Judô Uemura & Yamashita