PESQUISAS APONTAM OBESIDADE COMO FATOR DE RISCO PARA COVID-19

Professor da Anhanguera de Ribeirão Preto dá dicas de cuidados com a saúde para se exercitar e evitar agravamento da doença
Um estudo realizado com cerca de 7 mil pessoas nos Estados Unidos apontou que a obesidade severa é um fator de agravamento da Covid-19 e que pode aumentar em até quatro vezes o risco de morte pela doença.
No Brasil, de acordo com o Ministério da Saúde , 55,7% dos adultos estão acima do peso e cerca de 20% atingem a condição de obesidade. Os dados são da Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, e apontam uma realidade que pode facilitar outras doenças e quadros mais graves.

Dados da Organização Mundial da Saúde mostram uma realidade parecida: pacientes com condições crônicas pré-existentes e diretamente ligadas à obesidade, como diabetes e hipertensão, apresentaram quadros mais graves da covid-19, levando a casos de síndrome do desconforto respiratório agudo, insuficiência respiratória aguda e outras complicações.

Por isso, torna-se importante manter o corpo ativo mesmo durante a quarentena. O professor de Educação Física da Faculdade Anhanguera de Ribeirão Preto, Felipe Modolo, explica que a atividade física é qualquer movimento que gere um gasto de energia para o nosso corpo.
“Manter um corpo ativo fisicamente é importante pois estimula diferentes capacidades, como a cardiorrespiratória e a força muscular. Essas capacidades ajudam o nosso corpo a regular o quanto de energia nós gastamos diariamente e esse gasto energético é o resultado de uma balança entre a nossa alimentação e o quanto de energia nós gastamos, seja para varrer a casa ou fazer um treino de corrida. Assim, manter-se ativo fisicamente é importante, sobretudo, por gerar maior gasto energético e ajudar a controlar a composição corporal, diminuindo os índices de gordura no corpo”, explica.

Por isso, é recomendado que pessoas obesas façam atividades físicas em casa e mantenham uma alimentação saudável. Mas há algumas restrições.
“O exercício, assim como um remédio qualquer, quando mal orientado ou feito de maneira errada pode ser prejudicial à saúde. O ideal é procurar sempre a orientação de um professor de Educação Física, para organizar e controlar a prescrição do treinamento. Contudo, de maneira geral, para quem não está acostumado a fazer qualquer atividade física, o ideal é começar por criar uma rotina de exercícios diários e não se preocupar tanto em fazer exercícios vigorosos, extremamente intensos, especialmente pessoas que sofrem de obesidade, ou alguma outra condição clínico-patológica, pois nesses casos a prescrição é extremamente específica. O importante nesse início é conseguir se manter ativo todos os dias, com baixa intensidade, mas criar essa regularidade de exercícios para o corpo”, orienta.

O professor da Anhanguera ainda dá dicas para quem quer se movimentar durante a quarentena. “Se for um trabalho mais específico ou alguém que tenha uma doença, o acompanhamento do professor de Educação Física é muito importante, pois há diferenças no planejamento do treino de cada condição clínica. Mas se puder deixar uma dica para o dia a dia é: se mantenha ativo e comece aos poucos. Ao invés de ir na padaria com o carro, vá a pé; se estiver trabalhando em home office, procure reservar algum período do dia para levantar, caminhar pela casa, se alongar. Nesse período de quarentena, se manter ativo é o mais importante”, completa.

Sobre a Anhanguera

Fundada em 1994, a Anhanguera já transformou a vida de mais de um milhão de alunos, oferecendo educação de qualidade e conteúdo compatível com o mercado de trabalho em seus cursos de graduação, pós-graduação e extensão, presenciais ou a distância.

Presente em todos os estados brasileiros, a Anhanguera presta inúmeros serviços gratuitos à população por meio das Clínicas-Escola na área de Saúde e Núcleos de Práticas Jurídicas, locais em que os acadêmicos desenvolvem os estudos práticos. Focada na excelência da integração entre ensino, pesquisa e extensão, a Anhanguera oferece formação de qualidade e tem em seu DNA a preocupação em compartilhar o conhecimento com a sociedade também por meio de projetos e ações sociais. Em 2014, a instituição passou a integrar a Kroton. Para mais informações, acesse: http://www.anhanguera.com
Sobre a Kroton

A Kroton, que faz parte da holding Cogna Educação, uma companhia brasileira e uma das principais organizações educacionais do mundo, atende ao mercado B2C do Ensino Superior, levando educação de qualidade em larga escala. Presente em mais de 900 municípios em todo Brasil, a companhia conta com 176 unidades próprias, 1.410 polos de ensino a distância e 846 mil estudantes, sob as marcas Anhanguera, Fama, Pitágoras, Unic, Uniderp, Unime e Unopar. Transformar a vida das pessoas por meio da educação, formando cidadãos e preparando profissionais para o mercado, é a missão da instituição, que trabalha para continuar concretizando sonhos em todos os cantos do país.
Publicidade:
Anterior CUIDADOS COM OS OLHOS NO INVERNO
Próxima AGOSTO TERMINA COM MUDANÇAS NO TEMPO EM SÃO PAULO