Pular para o conteúdo

Senac Barretos

9 causas de Dor nos Olhos

Sintoma pode indicar doenças oftalmológicas que precisam de tratamento imediato

A dor nos olhos é um sintoma relativamente comum. O nome dessa condição é oftalmalgia. Há diversas causas de dor ocular e é sobre isso que vamos falar hoje.

Segundo Dra. Maria Beatriz Guerios, oftalmologista geral especialista em glaucoma, a dor ocular se caracteriza pela sensação dolorosa que pode afetar o globo ocular, as pálpebras, o fundo dos olhos e demais estruturas do olho.

“A dor ocular, principalmente quando surge de forma repentina, pode ser um sinal de problemas mais sérios. Nesses casos, é preciso procurar um oftalmologista assim que possível”.

Com a ajuda da Dra. Maria Beatriz, vamos agora listar as 9 principais causas de dor nos olhos.

1- Glaucoma secundário por trauma

O glaucoma secundário pode ser causado por traumas e lesões no globo ocular. É uma forma grave da doença, pois pode levar ao aumento repentino da pressão intraocular (PIO). Esse aumento, por sua vez, pode causar danos permanentes no nervo óptico e causa perda da visão de forma definitiva.

A dor ocular intensa costuma ser intensa e pode vir acompanhada de dor de cabeça, visão embaçada e/ou com halos coloridos, enjoos e vômitos. É uma forma bastante agressiva de glaucoma, sendo considerada uma emergência oftalmológica. Em geral, a dor vai afetar apenas o olho que foi lesionado.

2- Ceratite

A ceratite é a infecção ou inflamação da córnea. Uma das principais causas é a infecção pela Acanthamoeba que afeta, principalmente, os usuários de lente de contato.

A condição também pode ser resultado de traumas, lesões na córnea, contato com produtos químicos, exposição dos olhos aos raios UV. Outras causas são o olho seco e doenças que afetam o fechamento das pálpebras.

Além da dor no olho, a pessoa pode apresentar vermelhidão, irritação, embaçamento visual, lacrimejamento, queimação, sensação de corpo estranho, fotofobia e dificuldade em abrir o olho.

A ceratite pode afetar um ou ambos os olhos. Na presença dos sintomas, é importante procurar o oftalmologista assim que possível.

3- Uveíte

A uveíte é a inflamação da úvea, estrutura que se localiza na parte de trás do olho humano, chamada de câmera posterior. Ela é formada pela íris, o corpo ciliar e a coroide.

Uma das causas mais conhecidas da uveíte é a toxoplasmose, doença infecciosa causada por um protozoário presente nas fezes de gatos e outros animais.

Além das infecções que podem causar uma uveíte, há algumas doenças sistêmicas que também aumentam o risco, como as doenças reumatológicas, autoimunes e doenças inflamatórias intestinais.

A uveíte pode afetar diferentes partes da úvea. Quando atinge a parte da frente pode causar a dor ocular intensa, vermelhidão, sensibilidade à luz e leve redução da visão. Quando a uveíte afeta a parte posterior do globo ocular, pode causar lesões no nervo óptico que são irreversíveis. Portanto, pode levar à perda da visão.

Em geral, a uveíte afeta apenas um dos olhos. É uma doença grave que precisa de tratamento precoce. Na presença dos sintomas é importante procurar o oftalmologista ou um serviço de urgência especializado.

4- Celulite Orbital

A celulite orbital é uma infecção que afeta os tecidos moles da órbita ocular. A infecção pode se espalhar até o nervo óptico. Por isso, é uma doença que precisa de tratamento precoce.

Em cerca de 90% dos casos, a celulite orbital é secundária a uma sinusite e costuma afetar mais crianças que adultos. A dor ocular é bastante específica, unilateral e se manifesta de acordo com os movimentos oculares. Além da dor, há bastante inchaço, vermelhidão, calor local, febre e dificuldade para enxergar.

O tratamento precoce da celulite orbital é imprescindível e é feito em ambiente hospitalar, dada a gravidade da doença. Na presença dos sintomas, é recomendado procurar um serviço de emergência oftalmológica.

5- Cefaleia

A dor ocular pode surgir como uma manifestação secundária de outra doença, como a cefaleia (dor de cabeça). Há diferentes tipos de cefaleias como as enxaquecas, cefaleia em salvas, cefaleia cervicogênica, entre outras.

A dor ocular é mais comum na enxaqueca. Normalmente, a oftalmalgia vem acompanhada de fotofobia com grande necessidade de ficar em ambientes escuros. Já na cefaleia em salvas, a dor ocular pode vir acompanhada de lacrimejamento e diminuição da pupila (miose).

Vale lembrar que a dor ocular relacionada às cefaleias pode afetar um ou ambos os olhos. Nos casos de dor ocular relacionada às cefaleias, não é preciso procurar o oftalmologista.

A única exceção é quando os sintomas não desaparecem com a melhora dos sintomas da cefaleia.

6- Neuralgia do trigêmeo

A dor ocular decorrente da neuralgia do trigêmeo é uma das mais intensas. A sensação dolorosa é descrita como um choque ou ainda como uma queimação na região dos olhos. A dor é intermitente, ou seja, ela se repete ao longo do dia e dura alguns minutos. Geralmente, afeta um dos lados da face.

A neuralgia do trigêmeo causa dores em todas as regiões da face, sendo esse aspecto que contribui para descartar problemas oculares. O tratamento da neuralgia costuma melhorar a dor nos olhos. Portanto, nesses casos não é preciso procurar o oftalmologista.

7- Tumores oculares

Felizmente os tumores oculares são raros. Além disso, há tumores malignos e benignos. De qualquer maneira, algumas neoplasias podem causar dor nos olhos. Os tumores podem se desenvolver na órbita ocular, nas pálpebras e na retina.

Além da dor ocular, alguns tumores podem causar o deslocamento do globo ocular, visão dupla e perda da visão. Dependendo da localização, o tumor pode ser visível, como é o caso do carcinoma sebáceo que afeta as pálpebras e pode ser confundido com um calázio.

A dor ocular relacionada à tumores não é repentina e os sintomas adjacentes podem variar, de acordo com o local afetado e com o tipo de tumor. Além disso, a dor ocorre no olho em que o tumor se desenvolveu. Em todos os casos, é preciso procurar um oftalmologista para uma avaliação.

8- Calázio e Terçol

O terçol e o calázio são doenças oculares bastante comuns. Ambos afetam as pálpebras e podem causar dor nos olhos. O terçol é uma infecção que costuma se desenvolver na borda externa das pálpebras. A sua aparência lembra uma “espinha”, avermelhada e com pus.

O calázio é uma inflamação das glândulas sebáceas que se localizam nas pálpebras e a lesão costuma se localizar na parte interna das pálpebras superiores. A região também fica avermelhada e inchada.

A dor ocular não costuma ser intensa e melhora com o desaparecimento das lesões. O tratamento do terçol e do calázio costuma ser paliativo, pois são condições que melhoram de forma espontânea. Lembrando que a dor só afeta o olho em que a lesão se desenvolveu.

9- Glaucoma Agudo

O glaucoma primário de ângulo fechado, também chamado de glaucoma agudo, representa um terço dos casos de glaucoma. Sua ocorrência está ligada ao fechamento parcial ou completo do ângulo formado na junção da córnea com a íris.

Devido a essa obstrução, o humor aquoso não é drenado corretamente e acarreta o aumento da pressão intraocular (PIO).

A maioria dos pacientes diagnosticados glaucoma de ângulo fechado apresenta a forma crônica da doença. O fechamento se desenvolve de forma lenta e não causa sintomas e sinais.

Já a forma aguda tem manifestações clínicas mais agressivas, sendo considerada uma emergência oftálmica que requer tratamento imediato. O paciente pode sentir dor ocular intensa, dor de cabeça, visão embaçada e/ou com halos coloridos, enjoos e vômitos.

A forma intermitente é mais branda, como sintomas e sinais que, apesar de serem recorrentes, se resolvem espontaneamente.

O glaucoma primário de ângulo fechado agudo é uma emergência oftalmológica. Além de uso de medicamentos orais e de colírios, é indicada a iridotomia periférica a laser.

A iridotomia a laser é um procedimento em que o oftalmologista faz um pequeno furo na periferia da íris, usando um laser. Esse orifício vai ajudar na drenagem do humor aquoso para controlar a pressão intraocular.

Procure seu oftalmologista

Apesar de termos listado várias causas de dor nos olhos, é importante dizer que há outras patologias que também resultam nesse sintoma.

O mais importante é procurar o oftalmologista quando a dor ocular é persistente e acompanhada de outros sintomas.